MacOS X 10.6 Snow Leopard: Finder & 64-bit

Com o lançamento da release 10A190 da nova versão do OS X para a comunidade de programadores, foram revelados mais detalhes do próximo felino. De acordo com as notas do lançamento, a Apple está a apostar forte na API Cocoa, em detrimento da Carbon e continua a migrar todo o sistema para a plataforma x86-64, ou seja, 64-bit.

SnowLeopard

A Apple diz que todas as aplicações com interface gráfica incluídas no MacOS X já eram baseadas em Cocoa, sendo o Finder a grande excepção. Nesta nova versão, o Finder vai finalmente ser migrado para Cocoa.
Apesar de o Cocoa estar reputado como “melhor” que o Carbon por entre a maioria dos programadores, é esperado que ambas as API’s continuem a coexistir.

Porém, o ênfase continua no Cocoa e a Apple está a requerer que as aplicações 64-bit em Carbon migrem para Cocoa. Este anúncio foi feito na WWDC 2008 e apanhou alguns produtores de software desprevenidos, e é por isso que o Photoshop CS4 para Mac continua uma aplicação 32-bit enquanto que a versão Windows já oferece opção 64-bit.

Segundo o AppleInsider, o Snow Leopard será o primeira a incluir o kernel do MacOS totalmente em 64-bit. Os benefícios da arquitectura x86-64 baseiam-se principalmente no desempenho de aplicações que exigem muita memória, não tendo muita importância no utilizador comum.

CrossOver de borla…

Animem-se os fãs do CrossOver!

CrossOver logo

O pessoal da CodeWeavers lançou o “Lame Duck Pressident Challenge Offer” como um último adeus ao Sr. Pres. George W. Bush pelo facto de este só ter cumprido uma das muitas promessas que fez durante a sua campanha eleitoral nos 4 anos do seu mandato.

Continuem a ler para saber como obter a vossa cópia…

Continue reading

Ubuntu com 8 milhões de utilizadores? Hum…

Tentar acertar no número de utilizadores de uma aplicação livre – a não ser que ela nunca tenha sido distribuida, tendo, por isso, apenas o seu criador como utilizador –  é como jogar no Euro Milhões: esperamos acertar, mas as probabilidades disso acontecer são muito pequenas. Isso não impede a Canonical de tentar adivinhar o número de utilizadores da sua distribuição do sistema GNU/Linux, tal como as extremamente baixas probabilidades de ganhar o Euro Milhões não nos impedem de continuar a apostar.

Em declarações ao site InternetNews.com, Chris Kenyon, da Canonical, afirmou que o Ubuntu é usado por mais de 8 milhões de pessoas. Chris afirma que a fórmula para chegar a estes números está longe de ser perfeita, mas que não vê nada que deixe dúvidas acerca dos números.

Tenho que concordar com a desconfiança na fórmula, e estendo-a aos números avançados. Não é nada contra o Ubuntu ou a Canonical, mas apontar um número de utilizadores é um tiro no escuro. Contabilizar o número de utilizadores do Ubuntu é bastante difícil, porque um único CD pode dar para dezenas de instalações – se for bem estimado, para centenas.

Terá o Ubuntu 8 milhões de utilizadores? Não serão antes 3 ou 4 milhões, ou 14 ou 15 milhões? Como disse Goethe: «Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida.»

Citação de Albert Einsten

Enquanto estava a stumblar, encontrei esta citação de Albert Einsten que demonstra a teoria da relatividade:

Put your hand on a hot stove for a minute, and it seems like an hour. Sit with a pretty girl for an hour, and it seems like a minute. That’s relativity.

Geekices… 😛

Como alterar o tamanho padrão do gnome-terminal

gnome-terminal

Por muito porreiro que o gnome-terminal possa ser, ainda não tem nenhuma opção que permita aos utilizadores alterar o seu tamanho padrão, como o konsole tem. Normalmente não há grande problema nisso, mas se estiverem a usar algo tipo o cmus ou um cliente MUD/Talker, é uma chatice do caraças ter este emulador de terminal tão pequeno.

Uma solução é iniciarem o gnome-terminal com a opção –geometry (gnome-terminal –geometry 80×40), mas não é definitiva, a não ser que criem um atalho com este comando e opção. Contudo, se iniciarem o gnome-terminal com outro atalho, ele volta a apresentar-se no tamanho normal. Podem sempre alterar todos os atalhos para esta aplicação, mas é muito trabalho e também não é algo definitivo – basta iniciar o emulador com o Alt+F2 e ele aparece outra vez em “tamanho pequeno”.

Solução definitiva é editar o ficheiro /usr/share/vte/termcap/xterm (sudo gedit /usr/share/vte/termcap/xterm), procurar a linha com :co#80:it#8:li#24:\ e alterar o valor. Como a mim a largura do gnome-terminal chega e sobra e só o quero mais comprido, altero o :li#24 para :li#40, ficando assim: :co#80:it#8:li#40:\. O resultado pode ser visto na imagem deste post.

GooglePlex

Se existe um paraíso para os Geeks, esse local é o Googleplex.

Situado em Mountain View, na California, o Googleplex é o maior escritório do Google.

É certamente o local mais divertido para se trabalhar e não só, visto que o local permite aos trabalhadores do Google conversarem, discutirem ideias, trabalharem em projectos pessoais, desfrutar duma massagem, levar o seu animal de estimação, jogar snooker, nadar na piscina, jogar volleyball e muito mais.

Este espaço, apesar de colocar à disponibilidade todas estas actividades, reproduz-se num aumento da produtividade.

Espero um dia conseguir estabelecer um WebTugaplex… 😛

Para os mais curiosos, ficam aqui algumas fotos do Googleplex.

Continue reading

Smileys no Gmail

Preparem-se para mais sofrimento na comunicação por email. Depois do flagelo que são os emails em HTML, agora vamos ter que gramar com os smileys dos endereços provenientes do Gmail. Isto porque o Google teve a infeliz ideia de adicionar esta bonecada ao seu serviço de email.

O drama, o horror… De repente senti um arrepio na espinha.

{via Aberto até de Madrugada}