Divagações sobre software e religião

Será o software como a história de Adão e Eva? Se comermos a maçã, isto é, virmos o código, somos expulsos do paraíso?

Se o software for como a história de Adão e Eva, então a Microsoft é Deus e os utilizadores os fiéis escravos, perdão, servos que não devem saber como o software foi programado, com o risco de serem expulsos do paraíso, aka processados? Reparem como a história de Adão e Eva tenta amedrontar o povo, de forma a eles não ganharem conhecimento e pensamento próprio.

Assentará o modelo closed-source nestas bases? Se sim, então a freira responsável pelo departamento IT do Vaticano está a cometer uma heresia ao usar software livre. Há um ditado que diz: "O conhecimento é poder". Se assim é, não é de admirar que a Microsoft queira acabar com o movimento FOSS. Assim acaba-se a grande ameaça e eles podem continuar a manter a posição monopolista que actualmente têm, sem o risco de a perderem. Como já comparei a Microsoft com uma religião, vou agora comparar os entusiastas do movimento FOSS com outra ou outras religiões. Os entusiastas do movimento FOSS são uma espécie de Buddha; são seres humanos que atingiram o nirvana e desejam um mundo melhor.

Mas talvez se aplique melhor os princípios do Zoroastrianismo, onde os apoiantes do movimento FOSS são Zoroaster, o profeta fundador do Zoroastrianismo que viu que afinal só havia um Deus e que os Deuses que ele servia eram maus. Esta última comparação talvez seja a mais correcta, porque os princípios base do Zoroastrianismo são: bons pensamentos, boas palavras e boas acções. Zoroaster também acreditava que cada um é livre de fazer as suas escolhas, mas que estas acarretam consequências. Outra das crenças deste profeta é que o conhecimento deve ser de todos, e talvez seja esta a maior semelhança com o movimento FOSS.

Como é óbvio, o software não é religião, embora o software, muitas vezes, seja usado para o mesmo fim que a religião: poder. Ring a bell?! Tenho lido em vários sites que o movimento FOSS não está muito preocupado com estas acusações; também já pude ver que eles têm muitas defesas e muito apoio. Mas a Microsoft não falava assim se não tivesse um trunfo na manga, digo eu. Ou então isto vai ser um tiro no pé por parte da Microsoft.

Este texto todo é só porque ando a ver muitos documentários, e é com muito prazer que os vejo. Adquirir novos conhecimentos é bom, porque assim evitamos ser controlados por alguém, tipo, vestir roupa mais quente no inverno para evitar-mos constipações.

Este texto foi pensado ontem à noite, enquanto estava a tentar dormir. Hoje trabalhei-o um pouco, mas sei que ainda está em bruto; mas vou deixá-lo como está e só altero algum erro ortográfico ou de pontuação que possa existir e que eu não tenha reparado. Se detectarem algum, avisem.

Agora vou ouvir Thievery Corporation – The Heart’s a Lonely Hunter, para relaxar o cérebro.

11 thoughts on “Divagações sobre software e religião

  1. Na minha opinião, a Microsoft tem todo o direito em esconder o seu código… eles é que o fizeram, gastaram dinheiro em o fazer, e ninguem tem nada a ver com isso, só compra o windows quem quer! Já comeco a notar aqui uma tendência anti-Microsoft, mas a verdade é que ninguem é obrigado a usar windows, e felizmente já há excelentes alternativas e muitas delas gratis, por isso nao tem desculpa. Ninguem é escravo do windows, eu uso windows com muito gosto!
    Ha muita gente que apoia a tese de que, como pagamos o windows temos direito a saber o seu codigo fonte… errado! Qualquer pessoa que ler este comment já bebeu coca-cola, e nenhum deles sabe a fórmula.. era só o que faltava alguem atrever-se a exigir a formula à coca-cola, acho que toda a gente concorda com isso, no entanto como se trata da Microsoft, as pessoas pensam que tem esse direito…

  2. oooopppppssss
    Também me deu para divagar sobre a religião!
    666?
    Não!
    235 é o verdadeiro número da Be$ta!

    @braço.

  3. Oh meu deus! Que saudades que eu já tinha destes posts tão lindos a dizer mal da Microsoft… Falando em termos de religião, porque não comparam Maria Madalena ao Linux, por estar sempre a chorar aos pés de Jesus (Microsoft), segundo a bíblia?

    Eh pah… Vocês e a microsoft… :-p

  4. @NeRoPs
    Por acaso Maria Madalena era a mulher de Jesus Cristo, embora a bíblia diga que ela era uma prostituta. Há vários estudos e descobertas que suportam esta teoria, e o facto das mulheres, até ao séc. XVI, serem tratadas como seres inferiores que não mereciam nada (só serviam para mandar umas quecas, engravidar, cuidar dos filhos, limpar e cozinhar) vem dar ainda mais força a esta teoria.

    Não sei se sabes, mas a bíblia cristã actual foi debatida por vários representantes da igreja, à vários séculos atrás, para decidir que evangelhos incluir e excluir; por isso é que o aparecimento do evangelho de Judas causou tanto alarido e mau estar no seio do Vaticano.

    O exemplo da Maria Madalena foi mal dado… E falamos tanto da Microsoft, porque é por causa deles que o GNU/Linux cada vez tem maior aceitação. Se não fosse pelo software fraquinho que é feito lá para os lados de Redmond, o GNU/Linux ainda não tinha tanta aceitação. Obrigado Microsoft :-)

  5. Interessante esta comparação, ou seja utilizadores de windows = ignorantes, pois seguem o pastor tal como os catolicos :-) é bem eu sou ateu e gosto de Linux :-)

  6. Eu não disse que os utilizadores de Windows são ignorantes. Há muito user de Windows que lhe dá à grande.

  7. Na religião Windows só sabes que existe um S.O. supremo e que será simples o caminho a trilhar por ele, no entanto nunca conhecerás esse S.O. supremo no seu esplendor total porque tal não te é permitido, os erros e crashes acontecerão e nada podes fazer, aceita-os porque és apenas o utilizador e mais não necessitas saber. Nesta religião o conhecimento não é de graça, paga-se.

    Na religião Linux sabes que existe um S.O. que te dá liberdade de escolha, e o caminho a trilhar pode ser feito por ti, podes conhecer o S.O no seu esplendor total, o caminho a trilhar será árduo, mas o conhecimento obtido será recompensador, os irmãos desta religião ajudam-se entre si e não escondem segredos. Nesta religião o conhecimento apenas exige que o procures e trabalhes por ele.

  8. Duas coisas se me permitem:
    1. Quanto ao Windows (apesar de me poderem chamar de anti-windows) tem todo o direito legal a não divulgar o que quer que seja, se fosse obrigado a fazê-lo cairiam todos os direitos de autor e copyright (eu não me importava mas seria um desastre).

    2. Este não é o local para estas discussões mas como noto que, cada vez mais, as pessoas optam por dizer mal antes de procurarem respostas acertadas, cá vai.
    É muito fácil dizermos mal quando não concordamos com algo, principalmente quando não conhecemos (é próprio da natureza humana) porém perdemos toda a razão que podemos ter na altura ao fazê-lo… se não concordamos com uma religião, evitamos confrontos sob pena de cairmos em erro .
    A bíblia sofre constantemente actualizações e revisões… o concílio que definiu que textos incluir ou não na bíblia realizou-se no sec IV (se não estou em erro) e teve como objectivo regular o culto dos crentes porque, sendo até então o cristianismo perseguido, cada comunidade fazia e dizia o que pensava ser o mais correcto, o que podia levar a heresias. Haviam também alguns que aproveitando o nome de JC queriam fazer passar as suas próprias ideias ou mesmo combater o próprio cristianismo. Este concílio visou filtrar essas ideias. Prova disso é o facto de o Apocalipse ser ainda hoje alvo de muitas dúvidas por não se encaixar na linha de pensamento de João (o pseudo-autor).
    E quanto a Madalena… documentem-se e sejam críticos na análise, não digam mal só porque outros dizem ou porque está na moda.
    Eu não Curto o Ratzinger e não me ponho aqui a dizer mal só por dizer.

    Não me levem a mal…

  9. @olly
    Deste uma explicação muito bonitinha sobre as “actualizações” da bíblia, mas tenho que discordar. A religião é, pura e simplesmente, uma forma de poder que usa a crença. É só. E se sofre “actualizações”, é porque se sente que há a necessidade de a moldar um pouco quando começam a surgir muitas vozes de descontentamento. Eu podia pegar-lhe por aqui e por em causa o cristianismo, mas não vou fazê-lo porque respeito as crenças; mas quero deixar bem claro que não sou nada, mas mesmo nada religioso.

    E não me parece que te possam levar a mal por teres opinião. Fazes bem em partilhá-la.

  10. @Bruno

    Eu sei perfeitamente as novas discobertas, por isso escrevi “como diz na biblia”. E quanto a ser mulher de Jesus, nao está 100% provado, mas eu acredito que sim…

    E sim, sou ateu, no entanto usei este exemplo que e do conhecimento geral… 😉

  11. QUEM DISSE QUE ELES COMERAM UMA MAÇÃ? A ONDE É QUE ISTO ESTÁ ESCRITO.
    SÃO COISAS COMO ESTAS QUE FAZEM MINHOCAS NOS MAIS FRACOS.
    ACEITAM UM ESTUDO BÍBLICO GRÁTIS COM AS TESTEMUNHAS QUE VOS BATEM NA PORTA E DESCOBRE AQUILO QUEM NEM SONHAS QUE EXISTE NAS ESCRITURAS SAGRADAS.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>