Anonymous cria rede social

AnonPlus é o nome da nova rede social criada pelos grupo de hackers Anonymous. Por motivos de expulsão do grupo Anonymous da nova rede social Google+, o grupo decidiu realizar uma página temporária que no futuro será a sua própria rede social de seu nome AnonPlus. Segundo palavras dos seus autores, nesta nova rede social não existirá medo, censura, apagões, nem serão retidos pelos trolls ou por quem tente impedir a difusão da verdade. A rede será aberta mesmo a pessoas que não sejam hackers que assim poderão criar também um perfil e usufruir daquela que promete ser uma mega rede social, mas underground – se é que isto existe.

 

De momento o serviço ainda está em fase de preparação, espera-se que arranque num futuro próximo, ficando o nós por cá com a missão de divulgar a quando da sua abertura oficial.


Turquia prende 32 membros dos Anonymous

Depois de alguns ataques virtuais, as autoridades turcas decidiram deter 32 pessoas que alegadamente pertencem ao grupo de hackers Anonymous.

As detenções foram anunciadas no seguimento de investidas contra o site da entidade que regula as telecomunicações na Turquia como forma de protesto contra a iniciativa legislativa que prevê a aplicação de filtros à navegação na Internet.

A aplicação de filtros limita o acesso a vários conteúdos considerados nocivos ou mesmo polémicos.

De acordo com a BBC, os internautas turcos vão ser obrigados a escolher um de quatro perfis de filtros.

Anonymous desmantelada em Espanha

Foram detidos esta sexta-feira 3 hackers da organização pirata Anonymous.

Na casa de um deles, foi detido material usado para atacar as páginas na Internet da Playstation (Sony), BBVA, Bankia, Enel e dos governos do Egipto, Argélia, Líbia, Irão, Chile, Colômbia e Nova Zelândia.

A NATO já tinha lançado um pedido de alerta em relação a esta organização classificando-os como “ameaça militar” pois podiam comprometer documentos importantes que apenas o governo tem autorização para aceder.

Um dos detidos guardava em sua casa um servidor a partir do qual coordenava ataques informáticos contra as páginas electrónicas governamentais, financeiras e empresariais de vários países.

Os três piratas informáticos detidos já tinham previsto lançar um ataque contra os sites dos principais partidos políticos na véspera das eleições de 22 de Maio.