Microsoft Dreamway

Microsoft Dreamway

Para quem não sabe, no próximo dia 3 de Outubro, vai decorrer um evento da Microsoft com o nome de “Dreamway”.

O evento será direccionado q programadores e profissionais das Tecnologias de Informação e irá contar com a participação do actual CEO da Microsoft, o nosso conhecido Steve Ballmer.

A realizar-se no Centro Cultural de Belém em Lisboa, a participação no evento terá um custo de 50€ por pessoa.

Clique aqui caso queira assistir ao evento.

[Rede WebTuga] Top Semanal 19/05/08 – 25/05/08

Boa noite a todos, para acabar o dia vou fazer um pequeno apanhado dos melhores posts desta semana na rede WebTuga.

Esta semana começamos da melhor forma, com a notícia de que alguém foi atacado por ovos voadores. O OVNI só foi identificado assim que se despenhou na parede mais próxima.

Foi também no início desta semana que nos deram a conhecer o futuro OLPC XO 2.0. O portátil parece prometedor, esperemos para ver se o preço coincide com os preços avançados.

Fiquem com os melhores posts…

Até já… mua!

Microsoft planeia comercializar o Surface já este ano

O ano passado, a Microsoft mostrou ao mundo o Surface: um computador em forma de mesa – ou uma mesa que é um computador -, com a base a ser uma superfície sensível ao toque. Na altura, a empresa afirmou que este produto só deveria ser disponibilizado daqui a alguns anos.

Mas as coisas parecem não estar lá muito bem para os lados de Redmond, pois Steve Ballmer anunciou que a empresa deverá iniciar a comercialização do Surface ainda este ano.

Se acontecer como o Windows Vista, este será mais um produto da empresa que foi lançado prematuramente, apesar do Vista ter estado em desenvolvimento cinco anos. E, como aconteceu com o Vista, a imagem da empresa vai sofrer com isso.

via Ubergizmo.com

Mandriva escreve carta aberta a Steve Ballmer

Ainda ontem vi um press release da Mandriva, onde eles anunciavam que tinham conseguido um acordo com o governo nigeriano para fornecer computadores com o Mandriva 2008 instalado. Fiquei contente, confesso, porque era mais uma vitória para o software livre. Hoje estava a contar de escrever um texto sobre isso, mas o cenourinha enviou-me uma link para o blog da Mandriva e essa história caiu por terra.

Quando cliquei na referida link, vi uma carta aberta para Steve Ballmer, onde um dos membros deste projecto, François Bancilhon, descreve a forma como o acordo correu e foi aceite, para depois o governo nigeriano decidir que afinal iria utilizar Windows, mas pagaria o devido à Mandriva. Ele mostra-se compreensivelmente indignado com esta repentina mudança do governo nigeriano e, na minha opinião, dá a entender que sabe o que realmente se passou (e não saberemos todos).

Wow! I’m impressed, Steve! What have you done for these guys to change their mind like this? It’s pretty clear to me, and it will be clear to everyone. How do you call what you just did Steve, in the place where you live? In my place, they give it various names, I’m sure you know them.

No meio disto tudo, quem perde é o governo nigeriano. Escusado será dizer porque é o maior prejudicado nisto.

{Press release da Mandriva}
{Carta aberta a Steve Ballmer}

Mark Shuttleworth faz fortes críticas à Microsoft

Ubuntu

Numa entrevista dada à Eweek, Mark Shuttleworth falou das alegadas infracções de patentes da Microsoft e fez fortes críticas à empresa, acusando-a de fazer extorsão.

Mark Shuttleworth acusa a Microsoft de tentar dividir a comunidade open-source, ao alegar infracção de 235 patentes, e de se aproveitar da fraqueza financeira de algumas distribuições para comprar acordos. O presidente da Canonical também aponta o dedo às distribuições que fizeram os acordos de protecção com a Microsoft, por se deixarem arrastar para uma teia de incertezas, medo e confusão (FUD).

To say, as Ballmer did, that there is undisclosed balance sheet liability, that’s just extortion and we should refuse to get drawn into that game. On the other side, if Microsoft is concerned about its intellectual property, there is no one in the free software community that wants to violate anyone’s IP. Disclose the patents and we’ll fix the code. Alternatively, move on.

Durante a entrevista, Mark Shuttleworth é questionado sobre a GPL3. Ele afirma que a GPL3 é melhor que a sua antecessora e que o novo Ubuntu vai estar sob esta licença. Quanto às criticas de Linus Torvalds à nova GPL e à não passagem do kernel do Linux para esta licença, ele acredita que o ditador benevolente – Linus Torvalds – apenas quer o melhor para o kernel e que não há problema em haver ou não mudança de licença.

Quanto a possíveis acordos de interoperabilidade com a Microsoft, o homem forte da Canonical afirma que eles não estão postos de lado, mas que os acordos de protecção são uma carta fora do baralho.

Steve Ballmer deturpou o estudo sobre as potenciais infracções de patentes

A Microsoft, quando fez as acusações sobre a violação das patentes por parte da comunidade FOSS, baseou-se num estudo feito pela PUBPAT (the Public Patent Foundation).

Este estudo mostra que o GNU/Linux poderá violar 283 patentes de software e não as 235 que a Microsoft diz. Agora Dan Revicher, autor do estudo, sai em defesa da comunidade FOSS, dizendo que Steve Ballmer interpretou mal o estudo e que isto não passa do habitual FUD (fear, uncertainty and doubt) da gigante de Redmond. O autor diz que o software livre enfrenta tantos, se não menos, riscos de violar patentes como o software proprietário e que o estudo mostra isso mesmo.

O autor diz ainda que a intenção destes estudo era a de eliminar o já habitual FUD da Microsoft.

Fontes: Blog do jocaferro && Eweek

Comunidade Linux versus Steve Ballmer

A comunidade Linux está revoltada contra Steve Ballmer, CEO da Microsoft, que os acusou de violarem a propriedade intelectual da mesma.

Além disso, Ballmer exige que a comunidade Linux pague por uma patente de que esta não detém os direitos.

Várias organizações já fizeram uma carta aberta a Ballmer e inclusive foi criado um site onde a comunidade linux pede à Microsoft para mostrar quais as linhas de código em que o Linux viola as patentes em questão.

Portanto, a Microsoft tem até ao dia 1 de Maio para responder ao "Show us the Code" e provar que o Linux viola as patentes.

Página Oficial: Show us the Code