Instalar o gOS numa pendrive

A partir do Windows, é possível instalar o gOS, a distribuição de GNU/Linux utilizada nos computadores da Everex, numa pendrive. Para isso, basta seguir os oito passos do tutorial do pendrivelinux.com.

No final do tutorial, ficam com um sistema operativo que podem levar para todo o lado.

Tablaunch – as tuas aplicações preferidas à distância de um clique

tablauncherTablaunch é um pequeno utilitário para GNU/Linux que permite executar, de forma rápida, as aplicações preferidas do utilizador. Pensem neste programa como um local onde adicionam os atalhos para as aplicações que mais usam, num interface com separadores – do género do Firefox.

Esta aplicação pode ser utilizada no Gnome, KDE ou qualquer outro ambiente gráfico, como o meu preferido: OpenBox.

Os utilizadores que desejem instalar esta aplicação terão que descarregar o código-fonte e compilá-la. Se utilizam o Ubuntu, podem descarregar este pacote e instalá-la sem grande trabalho ou então seguir estas instruções e adicionar o repositório do CrunchBang – uma versão personalizada do Ubuntu.

A configuração do Tablaunch é simples: basta editar o ficheiro de configuração, localizado na home do utilizador e escrever o nome que querem dar ao atalho, o comando para executar a aplicação e o ícone para o atalho, caso queiram utilizar um ícone. Para instruções de configuração mais detalhadas, vejam este simples tutorial do Crunchbang.com.

Editoras irlandesas processam ISP por quebra nas vendas

As editoras, nos dias que correm, parecem pautar-se por uma grunhice que nem ao diabo lembra. Vejam, como exemplo, o que está a acontecer na Irlanda: as discográficas deste país levantaram um processo conta o ISP Eircom, a quem atribuem a responsabilidade pela quebra no volume de vendas de música.

O presidente da EMI irlandesa, Willie Kavanagh, uma das editoras que está a processar o ISP, vai mais longe e diz que a banda larga tem parte da culpa na diminuição das vendas.

Eu vou mais longe ainda e digo que a culpa é das próprias editoras, por não se saberem adaptar aos tempos que correm e não conseguirem ver que a internet é um veículo para fazerem ainda mais dinheiro.

via Exame Informática

Firefox 3.0 beta4

A mais recente – e possivelmente penúltima – beta do Firefox 3.0 foi lançada pela Mozilla, para os três sistemas operativos mais populares (GNU/Linux, Mac OS X e Windows) e em diversos idiomas.

Se já utilizaram uma das betas anteriores, não vão notar grandes novidades ao nível do interface. Mas lá dentro, nas entranhas do bicho, existem várias novidades. Uma delas, talvez até a maior, é o uso do Profile Guided Optimization (PGO), que permite ao browser ter uma maior performance, principalmente em sites que utilizam Javascript – se acederam ao Gmail com uma das betas anteriores do Firefox, sabem bem do que estou a falar.

Outra novidade é a aparição do Places – Biblioteca, na versão portuguesa. Este é o novo local de organização dos favoritos e de acesso ao histórico. Na Biblioteca, o utilizador pode adicionar tags aos favoritos, pesquisar no histórico e nos favoritos, criar pesquisas inteligentes que se actualizam conforme vão ocorrendo alterações e realizar cópias de segurança.

A quarta beta do Firefox 3.0 tem ainda mais novidades, como a melhor integração do tema com o Windows XP e Vista. Para saberem quais são, nada melhor que experimentarem. Algumas extensões poderão não funcionar, mas basta seguir esta nossa dica e boa parte delas funcionará sem grandes problemas.

Download


Esta pequena caixa de selecção foi adaptada do site Cybernetnews.com.

Cuidado com o G-Archiver

Se pertencem ao grupo de utilizadores que utilizou a aplicação G-Archiver, programa que fazia um backup dos vossos emails do Gmail para o vosso computador, fiquem a saber que foram vítimas de roubo de identidade.

O criador deste programa acrescentou uma "funcionalidade" que recolhia os dados inseridos pelos utilizadores e os enviava, por email, para uma caixa de correio do autor da aplicação.

Caso tenham utilizado o G-Archiver, acedam à vossa conta do Google e alterem a password. Se não conseguirem aceder à vossa conta, por esta ter a palavra-passe alterada, contactem o Google.

Twitts a partir da linha de comandos

Com um pequeno utilitário chamado cURL, disponível na maioria das distribuições de GNU/Linux, é possível actualizar enviar twitts para o Twitter.

No Ubuntu, os utilizadores terão que instalar o cURL. Um simples sudo apt-get install curl faz o servicinho. Depois, apenas têm que utilizar o seguinte comando: curl -u yourusername:yourpassword -d status="Your Message Here" http://twitter.com/statuses/update.xml

Onde está yourusername, devem inserir o vosso utilizador. yourpassword deve ser substituído pela vossa palavra-passe do twitter. Depois, só têm que inserir a vossa mensagem entre as aspas.

Dica retirada do site blogs.tech-recipes.com

Mas afinal o que é o Twitter?

Muitas pessoas têm ouvido falar acerca do Twitter, uma das novas modas na Internet. No entanto, algumas delas ainda não perceberam a verdadeira proposta do Twitter.

O CommonCraft fez um pequeno vídeo, onde explica o verdadeiro uso do Twitter no dia a dia dos internautas.

Veja o vídeo e caso deseje testar o Twitter, não se esqueça de seguir os bloggers do WebTuga ( cenourinha e brunomiguel ou até mesmo as notícias do WebTuga @ Twitter.

Como adicionar e remover software no Ubuntu

Desinstalar software no Ubuntu não é uma tarefa ao alcance de todos. Apenas os mais intrépidos, os Indiana Jones da informática, se podem aventurar nesta missão quase impossível.

Mas o facto de ser muito complicado não tem que ser um impedimento à realização desta tarefa. Se quiserem aventurar-se nestas coisas da remoção de software no Ubuntu – coisa de gente doida, deixem que vos diga -, vejam este ultra-complicado tutorial do guiaubuntupt.org.

Boa sorte! (nem sabem como vão precisar dela…)

Levantando um pouco o véu ao Internet Explorer 8

Acho que, pela primeira vez, o Internet Explorer promete. Mas só a versão 8, que ainda se encontra em desenvolvimento.

O que me faz dizer isto é este browser suportar, por defeito, os padrões web. Eu não me recordo de utilizar uma versão do Internet Explorer que conseguisse esse feito. Bem, mas eu só utilizei o IE a partir da versão 5.

Outras novidades são a adição de uma barra de marcadores, suporte para subscrições de feeds na barra de marcadores, recuperação automática de um crash e um filtro anti-phishing melhorado. Estas são funcionalidades já vistas à muito tempo no Firefox.

Outra, esta não vista no Firefox, permite ao utilizador seleccionar uma palavra ou frase e fazer uma pesquisa sobre ela em diferentes serviços: por exemplo, procurar uma morada num serviço de mapas.

Os utilizadores interessados, podem descarregar a versão beta do Internet Explorer 8 e testar este browser. Mas não se esqueçam que esta não é uma versão estável, por isso ponderem bem a sua instalação.

Download, via Bink.nu

TMN aumenta as velocidades do acesso à net

Hoje, a TMN anunciou um aumento automático das velocidades de download nos seguintes tarifários: Banda Larga Light, Banda Larga e Banda Larga Casa T.

O primeiro tarifário passou dos 384Kbps para os 512Kbps. O segundo e o terceiro, anteriormente com uma velocidade de 640Kbps, estão agora a 1Mbps.

Este aumento de velocidade abrange todos os clientes Banda Larga TMN, incluindo os beneficiários do projecto e-escolas.

Fonte: Bit.pt