Acessibilidade na Web

Acessibilidade na Web

Hoje em dia a Internet é o ponto de encontro virtual de culturas mais concentrado em todo o mundo.

Como em tudo na vida, existem pessoas com necessidades acrescidas devido a problemas físico-motores ou deficiências mentais.

Para facilitar o acesso à Internet a estas pessoas e a sua participação na Web, é necessário optimizar a Web de forma a que estas pessoas com maiores dificuldades possam ver a sua tarefa simplificada e facilitada.

Existem vários tipos de deficiências que necessitam de uma maior atenção, como é o caso de deficiências motoras, deficiências mentais, deficiências temporárias (braço partido) e ainda deficiências tecnológicas, como por exemplo pessoas com um computador antigo que não tenha um browser com ambiente gráfico ou sem suporte javascript, ou até mesmo o acesso via gadgets como telemóveis, consolas, etc…

Em baixo deixo-vos um vídeo de uma apresentação do Ivo Gomes sobre “Acessibilidade para a Web” que nos mostra como desenvolver sites com melhor acessibilidade.

Para quem não sabe, o Ivo Gomes (@ivogomes) é web developer, inclusive apresentamos aqui um projecto dele, o MyTVShows. Como profissional que é, o Ivo Gomes estuda as melhores técnicas para tornar um site acessível a pessoas com dificuldades.

Nesta apresentação mostrou-nos algumas dicas que podem para nós serem insignificantes, mas que para uma pessoa com certas dificuldades pode ser muito beneficente.

Para além disso, poderão tirar algumas dicas para o desenvolvimento de sites, como por exemplo o facto de evitar ou não criar layouts com tabelas.

As tabelas são apenas necessárias para mostrar um conjunto de dados que necessitam de estar organizados em células.

Quando está a desenvolver um layout de um site, deverá utilizar “divs”, o que tornará o seu código muito mais limpo e reduzirá o tamanho do documento.

Ainda em relação à acessibilidade, fizemos alguns testes no WebTuga e verificamos que temos o site minimamente preparado para receber pessoas com estas dificuldades já descritas. No entanto ainda existem bastantes aspectos que podem ser melhorados.

Para desenvolvedores para a web que estejam interessados em melhorar a acessibilidade dos seus sites, recomendo a instalação de um browser pela linha de comandos, como por exemplo o Links e ainda extensões para o Firefox como são o exemplo do Web Developer Toolbar que permite desactivar as imagens, css e Javascript nas páginas e ainda o Acessibar.

Torne o seu site acessível, com certeza que existirão pessoas que lhe ficarão agradecidas pelo seu gesto.

Para os interessados, está disponível também um PDF com a apresentação.

Guerra Santa

Todos têm uma fé. Uns acreditam em Delphi, outros em Java. Há ainda os discípulos de C, de Visual Basic, HTML e outras tantas igrejas menores. São programadores, mas poderiam muito bem ser chamados de pastores.

Jamais duvide da linguagem preferida de um programador. Pode ser o caminho mais curto para a fogueira da Guerra Santa Virtual.

Como não podia deixar de ser, também cultivei a minha religião. Ainda brincava com BASIC, sem fazer nada de importante, quando conheci o Pascal. Um amigo baixara algumas apostilas de um BBS – ainda não se acedia à Internet – e assim que li fiquei convertido.

Pela primeira vez na vida vi uma linguagem estruturada. Tudo muito lógico, restrito e, ao mesmo tempo, flexível. Talvez não tão eficiente quanto o todo poderoso C, que conhecia de fama, mas muito mais eficaz que o BASIC e perfeita para a correcta aprendizagem da programação.

Devorei os tutoriais todos e em questão de dias já fazia programas em Pascal que nunca conseguira fazer em BASIC.

Convertido, jurei nunca mais usar “goto” e sempre adorar a estrutura perfeita das constantes, variáveis e sub-rotinas, organizadas e declaradas previamente, Já havia versões estruturadas de BASIC por aí, mas sempre era possível numerar as linhas e desviar o programa usando “goto”, uma verdadeira blasfêmia a ser evitada.

Veio então a interface gráfica, e o computador ficava cada vez mais acessível aos impuros e infiéis humanos normais. Apanhei o comboio um pouco tarde, quando Windows 95 já se firmava como padrão de mercado e comecei a desenvolver em Delphi, que era baseado em Pascal. Percebi, porém, que apesar da minha firme convicção, as linguagens ditas inferiores não desapareciam. Pior.

Percebi que era possível sim, desenvolver programas bons até mesmo em Visual Basic. Minha fé perdera o sentido de ser.

Pode ser difícil de admitir, mas a sua linguagem de programação preferida, assim como a sua equipa de futebol, não ganha sempre. A evolução, já dizia Darwin, depende da selecção natural e da diversidade. Não importa o quanto se batalhe e dicuta, haverá sempre  alguém fazendo um programa melhor que o seu, na linguagem que você mais odeia. E não adianta nada deita-lo na fogueira.

Tentaram esse método há uns mil anos atrás e não deu certo.


resolvi partilhar com vocês esta cronica da revista PC Master (Ano 5, Edição 51, Por Leandro Calçada). O texto demonstra na perfeição a realidade… todos nós (programadores) por uma razão ou por outra gostamos mais de uma linguagem de programação e conscientes da nossa convicção defendemos-la até ao fim, quem diz linguagens de programação, diz sistemas operativos… somos todos seguidores de alguma coisa.

Eu digo, ainda bem que não concordamos em tudo e ainda bem que existe alternativas e concorrência.

Darwin tinha razão, a evolução depende da selecção natural e da diversidade… será sempre assim…

Bom fim de semana, Cumprimentos

Opera 10 alpha 1

Opera 10

Hoje em dia, graças à facilidade de acesso ao código fonte de alguns browsers, existem centenas de navegadores.

O Opera, apesar de não ser OpenSource, é um dos browsers com melhores resultados na renderização de HTML e JavaScript e para além disso está disponível para várias plataformas.

O Opera 10 já está a ser desenvolvido e recentemente foi disponibilizado ao publico o Opera 10 alpha 1.

Nesta nova versão, o motor de renderização vai ser substituído pelo Opera Presto 2.2 que promete melhores velocidades e segue os standards à risca.

No Opera 10 não vai existir o problema com a compatibilidade dos tipos de letras em diferentes plataformas, graças ao Web Fonts.

Para além disso o novo motor de renderização permite obter melhores resultados no que toca à opacidade dos elementos duma página e também apresenta melhorias a nível de SVG, permitindo o uso de tipos de letra SVG e animações por JavaScript.

Em relação ao DragonFly, este também apresenta novidades como a edição em tempo real de DOM e a monitorização do tráfego HTTP.

Ainda falando em relação ao motor de renderização, este passa a 100% o Acid 3 test.

Outra das características do Opera 10 é um corrector ortográfico, melhorias e novidades a nível do cliente de e-mail, que agora permite o envio de e-mails em HTML graças ao editor WYSIWYG, suporte para widgets na plataforma Linux e ainda um sistema para actualização automática do browser.

Navegador Opera 10 Alpha

Primeira versão de testes do novo programa navegador da Opera.

opera_10_alfa_150.jpg

Segundo a desenvolvedora, o Opera 10 Alfa inclui o motor de renderização mais rápido se comprado à versão anterior, o Opera 9.5, liberado em junho de 2008.

Dentre as inovações presentes no browser, destaque para correção ortográfica em tempo real, recurso de atualização automática do software (quando a versão final do Opera 10 estiver disponível) e suporte à formatação HTML por parte do Opera Mail.

spellcheck.jpg

Download

Tudo o que Precisa Saber Sobre o Snow Leopard

O nome do próximo sistema operativo da Apple foi revelado durante a Keynote do Steve Jobs, na WWDC 2008, embora apenas tenha revelado que se chamaria Snow Leopard, nos dias seguintes vieram a público mais informações sobre o Snow Leopard (por exemplo a página no site da Apple dedicada ao Snow Leopard), dando-nos a conhecer um pouco mais como será o próximo sistema operativo da Apple.

A principal informação revelada é o facto de o Snow Leopard ter o seu desenvolvimento focado na performance e segurança, devendo manter o mesmo aspecto que o Leopard.

Neste artigo é feita uma análise exaustiva do Snow Leopard, cliquem ao lado para continuar a ler: Continue reading “Tudo o que Precisa Saber Sobre o Snow Leopard”

PDF Search Engine – motor de busca para PDFs

PDF Search

Hoje em dia na Internet podemos encontrar qualquer tipo de ficheiro ou documento em variadíssimos formatos.

PDF Search Engine é um motor de busca que lhe permite, através de tags/palavras-chave, encontrar documentos com informação relevante.

Por exemplo, se procurar por "webtuga" encontrará 9 documentos no formato PDF. Alguns deles eram até desconhecidos para mim, mas graças ao PDF Search Engine, pude constatar que o WebTuga é referência em alguns trabalhos catedráticos.

Os resultados são fornecidos pelo Google, mas em vez de retornar todos os resultados, apenas retorna aqueles que estão em formato .pdf.

Agora já sabe, se está à procura de informações acerca de um determinado assunto, o PDF Search Engine pode-lo-á ajudar.

Como instalar o KDE 4.1 beta 1 no Ubuntu 8.04

kde desktop kde 4.1 ubuntu

Ainda não chegou à versão final, mas já está disponível para o Ubuntu e respectivas variantes um repositório com a primeira beta do KDE 4.1. Como esta não é ainda a versão estável deste gestor de desktop e eu não tenho paciência para estar a usar um desktop potencialmente não tão estável como eu gostaria, prefiro não adicionar este repositório por enquanto. Mas quando a versão final sair, é a primeira coisa que faço.

Entre as muitas novidades desta primeira beta do KDE 4.1 estão o maior número de aplicações já a utilizar o QT4 – como o Kontact, a PIM do KDE -, mais opções de configuração do desktop e a maior maturidade do Plasma, um componente essencial do KDE4.

As instruções para adição do repositório e instalação do KDE 4.1 beta 1, assim como a link do repositório, estão no site Ubuntugeek.com. Usem, mas não abusem. 😛

Como construir um computador Linux com 150$

tux webtugaJose Fermoso, um dos editores do blog Gadget Labs da Wired, escreveu um excelente artigo que o ensina como construir um computador "Powered by Linux" por apenas $150 dólares.

A motherboard que já inclui CPU , tem suporte para até 6 portas USB, uma porta LAN 10/100 e duas portas SATA. A acompanhar, temos uma memória ram de 512MB que poderá ser expansível até 1GB ( máximo que a motherboard suporta ), um disco de 80GB da Seagate, um leitor de CDs 52x. Tudo isto dentro de uma caixa branca e simples.

E claro, o motor de tudo isto será uma distribuição Linux, que custa niclas.

Como sugestão, o blogger aconselha também a comprarem o livro "Building a PC For Dummies".

Para os interessados, fica aqui a referência ao artigo.

PlayOnLinux 3.0 / Arietis


PlayOnLinux
é um front-end para o Wine que facilita a instalação de aplicações e jogos do Windows na sua distribuição Linux.

A nova versão, apesar de suportar os mesmos scripts da versão 2, tem agora um novo aspecto para a interface de instalação de aplicações.

O PlayOnLinux v3 foi testado com a plataforma de jogos Steam, o Internet Explorer 6, Safari, Notepad++, Office 2003 e muitos mais.

Para além destas novidades, existe agora uma nova categoria para "Educação", o chamado EduOnLinux.

Site: PlayOnLinux v3