Guerra Santa

Todos têm uma fé. Uns acreditam em Delphi, outros em Java. Há ainda os discípulos de C, de Visual Basic, HTML e outras tantas igrejas menores. São programadores, mas poderiam muito bem ser chamados de pastores.

Jamais duvide da linguagem preferida de um programador. Pode ser o caminho mais curto para a fogueira da Guerra Santa Virtual.

Como não podia deixar de ser, também cultivei a minha religião. Ainda brincava com BASIC, sem fazer nada de importante, quando conheci o Pascal. Um amigo baixara algumas apostilas de um BBS – ainda não se acedia à Internet – e assim que li fiquei convertido.

Pela primeira vez na vida vi uma linguagem estruturada. Tudo muito lógico, restrito e, ao mesmo tempo, flexível. Talvez não tão eficiente quanto o todo poderoso C, que conhecia de fama, mas muito mais eficaz que o BASIC e perfeita para a correcta aprendizagem da programação.

Devorei os tutoriais todos e em questão de dias já fazia programas em Pascal que nunca conseguira fazer em BASIC.

Convertido, jurei nunca mais usar “goto” e sempre adorar a estrutura perfeita das constantes, variáveis e sub-rotinas, organizadas e declaradas previamente, Já havia versões estruturadas de BASIC por aí, mas sempre era possível numerar as linhas e desviar o programa usando “goto”, uma verdadeira blasfêmia a ser evitada.

Veio então a interface gráfica, e o computador ficava cada vez mais acessível aos impuros e infiéis humanos normais. Apanhei o comboio um pouco tarde, quando Windows 95 já se firmava como padrão de mercado e comecei a desenvolver em Delphi, que era baseado em Pascal. Percebi, porém, que apesar da minha firme convicção, as linguagens ditas inferiores não desapareciam. Pior.

Percebi que era possível sim, desenvolver programas bons até mesmo em Visual Basic. Minha fé perdera o sentido de ser.

Pode ser difícil de admitir, mas a sua linguagem de programação preferida, assim como a sua equipa de futebol, não ganha sempre. A evolução, já dizia Darwin, depende da selecção natural e da diversidade. Não importa o quanto se batalhe e dicuta, haverá sempre  alguém fazendo um programa melhor que o seu, na linguagem que você mais odeia. E não adianta nada deita-lo na fogueira.

Tentaram esse método há uns mil anos atrás e não deu certo.


resolvi partilhar com vocês esta cronica da revista PC Master (Ano 5, Edição 51, Por Leandro Calçada). O texto demonstra na perfeição a realidade… todos nós (programadores) por uma razão ou por outra gostamos mais de uma linguagem de programação e conscientes da nossa convicção defendemos-la até ao fim, quem diz linguagens de programação, diz sistemas operativos… somos todos seguidores de alguma coisa.

Eu digo, ainda bem que não concordamos em tudo e ainda bem que existe alternativas e concorrência.

Darwin tinha razão, a evolução depende da selecção natural e da diversidade… será sempre assim…

Bom fim de semana, Cumprimentos

360 Descktop

Download

360desktop traz uma experiência moderna para visualização da Área de Trabalho, permitindo realizar giros de 360 graus. O programa oferece opções para que você crie um plano de fundo personalizado, aplicando Papéis de Parede próprios do 360desktop, além de poder inserir vários widgets (pequenos aplicativos com uma interface gráfica disponíveis, geralmente, no desktop) na Área de Trabalho.

App Store: Potenciais Receitas e Preços

 

Uma pesquisa levada a cargo pela empresa Piper Jaffray concluiu que a maioria das aplicações disponibilizadas na App Store poderá ser gratuita.

Numa pesquisa levada a cargo junto de 20 programadores no final da keynote de Steve Jobs concluiu-se que 50% desses programadores iriam programar só para o OS X iPhone e os outros 50% para OS X iPhone e OS X Leopard.

Em relação aos preços, a pesquisa diz que a grande maioria das aplicações será disponibilizada a menos de 3$ e 70% das aplicações a custo zero.

15% das aplicações serão orientadas para empresas, 10% para entretenimento e outros 10% para jogos, sendo que 15% das aplicações deverão usar os serviços de localização do iPhone.

Este estudo indica ainda que 70% dos contactados programaram noutras plataformas e que 70% das suas aplicações apenas estarão disponíveis no iPhone.

Por outro lado, pessoas próximas dos gestores da App Store avançam com uma data para a abertura da mesma, e preços escalonados, ao invés de totalmente livres.

A App Store deverá abrir no dia 11 de Julho, data de lançamento do iPhone 3G, com o limite de tamanho de aplicação de 2GB. As aplicações deverão ser submetidas através de uma interface Web no site da Apple.

O preço deverá ser escalonado, podendo o programador escolher o preço entre os definidos pela Apple, até 999$.

Entretanto, a mesma empresa que fez o estudo com os programadores calculou que a App Store pode tornar-se num negócio de 1,2 mil milhões de dólares em 2009.

Estes cálculos são feitos com base nas estimativas de iPhones vendidos em todo o mundo até ao fim de 2009 e com estimativas de uso da App Store, calculados pelo uso de outros serviços oferecidos pelo iPhone.

 

Apple anunciou iPhone 3G na WWDC08

Ontem foi dia de evento Apple. Realizou-se em São Francisco nos Estados Unidos da América a World Wide Developer Conference 2008, um evento que tem como objectivo chegar mais perto dos programadores e saber o que estes necessitam e como de costume, foram anunciadas algumas novidades.

Como sempre, Steve Jobs começou por fazer um apanhado do sucesso dos produtos da Apple, informando-nos que o iPhone vendeu no seu primeiro ano, cerca de 6 milhões de iPhones.

AppStore

AppStore

Algumas empresas e alguns programadores demonstraram as suas aplicações desenvolvidas para o iPhone e expressaram a sua opinião acerca da sua experiência a programar na plataforma. Entre as demonstrações encontravam-se projectos da Sega, eBay, TypePad e da MLB.com.

As aplicações vão estar disponíveis na AppStore quando esta estiver disponível, sendo o próprio programador a definir o valor que deseja cobrar pela aplicação. Este ficará com 70% do preço final, enquanto que a Apple ficará com o restante para cobrir os custos de alojamento e divulgação. Caso o programador opte por disponibilizar a aplicação gratuitamente, não terá custos adicionais.

A AppStore vai estar disponível em 62 países e será possível fazer o download das aplicações por Wifi, pelo iTunes ou pela rede da sua operadora móvel, no entanto esta ultima opção não estará disponível para ficheiros com tamanho superior a 10MB.

Mobileme

Mobileme Box

Foi apresentado um novo serviço chamado Mobileme que permite ter acesso aos seus dados, como por exemplo calendários, e-mails, documentos ou ficheiros e sincronizar com o seu computador ( PC ou Mac ) e com o seu iPhone.

Este serviço está presente no domínio me.com, tem o valor de $99 dólares no pacote individual ou $149 no pacote familiar e vem substituir o anterior serviço .Mac.

Apresenta um interface web dinâmico nunca antes visto com novidades como drag and drop de múltiplos ficheiros, e-mails ou contactos e ainda pesquisa com resultados em tempo real, tal como se fosse no seu computador.

iPhone 2.0 Software Update

iPhone 2.0 Software Update


Foram dados a conhecer novidades que podemos esperar na iPhone 2.0 Software Update e uma delas bem resolver um problemas com que os desenvolvedores de aplicações 3rd party se depararam, que é o facto de ser impossível correr aplicações em background. Como opção e para reduzir o consumo de energia no gadget, a Apple criou uma solução que permite receber alertas de eventos server-side.

Para além disso, o novo iPhone 2.0 Software permite a pesquisa de contactos, suporte a documentos do iWork e do Microsoft Office, salvar imagens que receba por e-mail no seu iPhone, controlos parentais, máquina de calcular cientifica no modo landscape e ainda suporte a mais linguagens das quais 4 tipos de japonês e chinês tradicional e simplificado com a possibilidade de escrever com o dedo.

O novo software estará disponível gratuitamente para qualquer detentor de um iPhone em Julho e terá um custo de apenas $9.95 para aqueles que tenham um iPod Touch.

iPhone 3G

iPhone 3G

O novo iPhone foi apresentado, chama-se iPhone 3G e tal como o nome indica, integra a tecnologia de transferência de dados 3G, revelando uma velocidade 2,8 vezes mais rápida que a tecnologia EDGE, um novo conector para headphones como os do iPod e ainda inclui o GPS. Para além disso o novo iPhone faz uma melhor gestão da bateria.

A Apple pretende colocar o iPhone disponível em 70 países até ao fim do ano, sendo que no dia 11 de Julho, 22 desses 70 países, incluindo Portugal, vão ter o iPhone disponível pelo preço fantástico preço de 199$ na versão 8GB e 299$ na versão de 16GB. O iPhone 3G 16GB estará disponível em preto e branco.

Falta-nos saber o que Bertrand Serlet falou, horas depois, acerca do novo Mac OS X Snow Leopard.

Entretanto já é possível reservar o seu iPhone na Optimus.

Equipa xTok apresenta amanhã nova versão do Blogtok

Blogtok

Actualmente existem centenas de Content Management Systems, no entanto o Blogtok destaca-se devido a ser um sistema de blogging criado exclusivamente em Portugal e um dos pioneiros na tecnologia RSS.

O Blogtok permite-lhe criar o seu blog, a sua galeria de fotos, inserir fontes de RSS na sua página e pesquisar numa base de dados de mais de 500 fontes de informação e integrar uma grande comunidade, onde poderá encontrar pessoas com todos os gostos.

A equipa xTok, estará amanhã, dia 8 de Julho de 2008, a lançar a nova versão do Portal Blogtok do qual se poderão esperar grandes novidades como um novo design, uma nova interface para a administração da sua conta, um novo gestor para a sua música ou para os seus podcasts, uma bolsa de valores que será uma espécie de karma que lhe permitirá evoluir na comunidade consoante o seu número de posts, comentários, visitas únicas entre outros.

Para além disso, o novo sistema permite a que um utilizador possa ter vários blogs, com uma única conta e ainda vários nicks.

Amanhã poderemos analisar melhor o sistema e dar-lhe melhor a conhecer as potencialidades da nova versão deste projecto que muito tem para ensinar aos restantes sistemas do género.

Rapidshare – Novo design, aumento dos limites e o novo TrafficShare

Rapidshare site

Muito se tem falado acerca do sistema de protecção CAPTCHA ridículo usado pelo Rapidshare, no entanto o Rapidshare parece não estar para ai virado e empenhou-se a melhorar o seu site a outros níveis.

O RapidShare apresentou hoje a sua nova interface, com um novo logótipo e grandes novidades para os utilizadores premium.

Agora os utilizadores Premium, em vez de terem um limite de 25GBs de downloads por cada 5 dias, têm o dobro desse tamanho, ou seja, viram o seu limite de download dobrado para os 50GBs.

Para além disso, uma grande novidade é o TrafficShare que permite fazer com que os seus ficheiros estejam disponíveis para download directo sem que os free users tenham que esperar pelo tempo imposto pelo RapidShare ou necessitem de preencher o CAPTCHA. Este serviço terá um preço adicional.

A página está bastante mais limpa, sem excessos de publicidade, adoptando por uma filosofia minimalista.

PlayOnLinux 3.0 / Arietis


PlayOnLinux
é um front-end para o Wine que facilita a instalação de aplicações e jogos do Windows na sua distribuição Linux.

A nova versão, apesar de suportar os mesmos scripts da versão 2, tem agora um novo aspecto para a interface de instalação de aplicações.

O PlayOnLinux v3 foi testado com a plataforma de jogos Steam, o Internet Explorer 6, Safari, Notepad++, Office 2003 e muitos mais.

Para além destas novidades, existe agora uma nova categoria para "Educação", o chamado EduOnLinux.

Site: PlayOnLinux v3

O que é o wget?

O que é o Wget

Para quem nunca ouviu falar e não sabe para que serve, o wget é uma ferramenta para a linha de comandos que permite efectuar o download de ficheiros ou páginas web através dos protocolos FTP, HTTP e HTTPS, recorrendo a várias opções.

Para além disso, o wget não tem um interface interactivo, correndo totalmente na consola, o que permite a possibilidade de o executar em background, sem a necessidade de existir um utilizador logado para que o programa efectue as suas operações.

O wget permite fazer o download total de páginas web em HTML e XHTML, reconstruindo a estrutura base das mesmas e respeitando a informação que lhe é fornecida pelo robots.txt.

Neste artigo vou exemplificar algumas das opções de transferência que o wget permite e que são, a meu ver, bastante úteis.

Continuar um download

Se necessitar de parar uma transferência e pretender continuar novamente mais tarde, deverá usar a opção -c:

wget http://www.webtuga.com/download -c

Traffic shaping / Limitar a velocidade de transferência

Para aquelas pessoas que têm uma ligação à Internet lenta ou de pouca capacidade, esta é a melhor opção para usar o wget sem perturbar as restantes ligações à Internet. Tudo o que necessita é de usar a opção –limit-rate para limitar a velocidade a que a transferência vai ser realizada.

wget http://www.webtuga.com/download –limit-rate=20k

Deixar o wget a continuar a trabalhar depois de sair da conexão SSH

Muitas das vezes necessitamos de efectuar transferências de ficheiros de um servidor para o outro, usando para tal o wget. No entanto, para não haver a necessidade de estarmos conectados ao servidor enquanto o download continua, podemos usar a opção -b ( background ):

wget -b http://www.webtuga.com/download

Guardar os registos ( logs ) num ficheiro

Esta opção é bastante útil, pois permite-nos depurar problemas ocorridos durante a transferência, verificando os registos criados num ficheiro externo.

wget http://www.webtuga.com/download -o $HOME/logstransferencia.txt

Para além destas opções existem muitas mais, que poderão ser encontradas mais detalhadamente no man wget.

Olá MySQL Workbench! Adeus DBDesigner4!

Foi lançado hoje o MySQL Workbench, uma ferramenta visual de modelação de dados com suporte alargado das funcionalidades do MySQL.

A principal característica que todos nós procuramos numa ferramenta destas para MySQL é a “unificação” das tarefas mais importantes (analisar, conceber e implementar) necessárias para uma base de dados, no contexto de um processo de desenvolvimento integrado e interactivo.

Até há pouco tempo, a principal ferramenta de modelação de dados no MySQL era o DB Designer 4, um projecto open source sem suporte oficial por parte da MySQL.

Muitos achavam que apesar de implementar as características necessárias para a modelação, o DB Designer4 deixava um pouco a desejar, mostrando-se pouco eficiente. Apresentava alguns “bugs irritantes”, uma utilização desleixada e uma configuração muito abstracta.

É aqui que entra o Workbench, o sucessor de DB Designer 4 mas construído de raiz a pensar no suporte alargado a todas as funcionalidades do MySQL. Apresenta uma interface melhorada, mais fácil de usar e é mais estável que o seu antecessor. Para além disto, tem a promessa de evoluir rapidamente com base no feedback que a comunidade devolve: bugs, pedido de novas funcionalidades e até de plugins!

O Workbench será distribuído de duas formas, grátis e paga. A versão grátis (Workbench OSS) terá certas “funcionalidades trancadas” para o uso do utilizador. Isto não significa que não o poderemos utilizar na sua totalidade, não sejam induzidos ao erro, até porque a própria MySQL admitiu que não. A principal diferença entre as duas versões é que na versão paga (Standard Edition) poderás adicionar módulos e plugins para o utilizar de forma optimizada.

Os Plugins disponíveis (brevemente) para o Workbench são desenvolvidos sob a linguagem Lua (originalmente do Brasil) e, apesar de ainda não estar “aberto ao público”, o repositório de plugins tem um lugar reservado no site oficial do produto.

Fonte: André Torgal