SQLFury – SQL Injection Scanner

SQL Fury

O SQLFury é uma ferramenta que corre em Adobe Air que permite testar o seu site ou aplicação web contra técnicas de SQL Injection para extrair informação de uma base de dados.

Este software suporta base de dados em MySQL, PostgreSQL, Oracle e Microsoft SQL Server e possibilita extrair os utilizadores das base de dados, informações das tabelas e colunas completas.

Poderá ser uma aplicação bastante útil caso deseje testar a segurança do seu site, clique aqui para ver mais informações sobre o programa.

chive – Ferramenta de Gestão de Base de Dados MySql

ChiveO Chive é uma ferramenta para fazer a gestão de base de dados MySql, tal como o phpMyAdmin.

Actualmente o phpmyadmin é a ferramenta online para gestão de base de dados mysql mais utilizada em todo o mundo, no entanto existem várias alternativas.

Chive suporta todas as funcionalidades que um programador ou administrador de base de dados necessita como consultas de base de dados, gestão de tabelas e índices, chaves, riggers, visualizações, rotinas e até mesmo a administração de privilégios.

Para além disso o Chive permite criar e executar queries SQL e importar/exportar bases de dados MySql de/para o seu servidor. O Chive funciona com PHP, MySQL 5 e Apache, sendo também necessário ter mod_rewrite activo no servidor.

O Chive é apenas uma das muitas alternativas ao phpmyadmin existentes, no entanto parece bastante prometedor e tem uma interface bastante fácil de utilizar.

Storytlr – Plataforma Opensource de LifeStreaming

Storytrl

Storytlr é uma plataforma opensource de lifestreaming e microblogging que pode ser utilizada para uso pessoal ou também como plataforma multi-utilizador.

O que o Storytlr permite é juntar todas as informações das suas redes sociais e agregar num único local.

Storytlr

Poderá utilizar as suas contas de vários serviços, incluindo Delicious, Digg, Disqus, Flickr, Google Reader, Identi.ca / Laconi.ca, favoritos do Last.fm, Picasa, Qik, RSS Feeds, Seesmic, StumbleUpon, Tumblr, Imagens do Twitpic no Twitter, Twitter, Vimeo e Favoritos do Youtube.

O Storytlr é programado em PHP e utiliza base de dados MySql, poderá encontrar as instruções de instalação no repositório do Google Code.

Oracle compra Sun Microsystems

Sun e Oracle

Lembra-se dos rumores acerca da IBM estar interessada em comprar a Sun Microsystems? Então esqueça… não vai acontecer.

A Oracle anunciou a compra da Sun pela fantástica quantia de cerca de 7 biliões de dólares.

Ao adquirir a Sun, o destino de ferramentas como MySql, Java, Netbeans, OpenSolaris/Solaris e VirtualBox fica assim nas mãos da Oracle.

O impacto desta aquisição já se fez sentir na bolsa, resta-nos esperar por futuros desenvolvimentos nas alterações que irão decorrer.

Poderá ver o press-release e mais informações no site da Sun.

SuseStudio – Criar uma distribuição Linux nunca foi tão fácil

WebTux

O SuseStudio é um projecto que permite através de um gerador web based criar uma distribuição Linux com apenas aquilo que necessita, bastante semelhante ao já existente Nimblex, referido anteriormente aqui no WebTuga.

O projecto ainda está em fase Alpha e poderá candidatar-se submetendo o seu endereço de e-mail no formulário presente na página principal do projecto.

Já tinha conhecimento deste projecto à algum tempo e estava ansioso para que me enviassem o convite.

Criar distribuição através de template

SuseStudio
O primeiro passo para criar a sua distribuição através do SuseStudio é escolher o tipo de template que deseja. Todos os templates são baseados em openSuse 11.1 e poderá escolher desde openSuse 11.1 em modo texto, sem ambiente gráfico, optimizado para servidores, openSuse 11.1 Minimal X, onde apenas tem um ambiente gráfico minimalista com o servidor X, openSuse 11.1 KDE 3 com o ambiente KDE3 e OpenSuse 11.1 KDE 4 com o KDE4, o OpenSuse 11.1 com o ambiente gráfico Gnome e ainda o OpenSuse 11.1 JeOS com um ambiente pequeno que apenas ocupa 84MB em ficheiro compactado em zip.

Nome da distribuição Linux

Depois de feita a escolha do tipo de template que deseja, será redireccionado para um novo wizard que lhe irá pedir o nome a dar à sua distribuição.

Nesta nova janela terá acesso a vários menus de configuração onde poderá optar por seguir todos os passos ou saltar os passos que desejar, voltar atrás para alterar, etc…

Adicionar repositórios à distribuição

SuseStudio

Continuando a seguir as indicações do wizard, irá agora chegar à aba “Software”. Nesta nova aba, a primeira opção permite-lhe adicionar repositórios adicionais à sua distribuição baseado em software ou através do url.

Poderá ainda procurar repositórios pesquisando por software, pacotes e pelo nome dos repositórios.

Adicionar software à distribuição

O passo principal para tornar uma distribuição personalizada é permitir instalar software e pacotes que desejamos.

Para tal o SuseStudio tem um conjunto de aplicações separadas por categorias que poderá instalar ou desinstalar a qualquer altura na sua distribuição.

Poderá escolher desde software de desenvolvimento, aplicações servidor, jogos, ferramentas multimédia, etc…

Continue reading “SuseStudio – Criar uma distribuição Linux nunca foi tão fácil”

Habari – plataforma opensource de blogging

Habari Project

Habari é uma plataforma de blogging modular com suporte para vários tipos de base de dados, incluindo MySql, SQLite e PostgreSQL.

Permite utilizar vários serviços de armazenamento de ficheiros multimédia como o Flickr e o Viddler, tem suporte para o Atom Publishing Protocol, permite criar vários utilizadores e vários sites com uma única instalação, suporte para páginas e tem scripts para importar o conteúdo de outras plataformas de blogging como por exemplo o WordPress ou o Serendipity.

Existem ainda vários plugins e themes para a plataforma, que lhe permitiram assim expandir as funcionalidades da plataforma, integrando o blog com o twitter, flickr, feedburner, sistema anti-spam Defensio e muito mais.

Esta plataforma é opensource e está disponível em HabariProject.org, licenciada sob a licença Apache.

Revista Programar – 17ª edição

Revista Programar

A equipa de pessoas que editam a Revista Programar decidiu lançar a 17ª edição como presente de Natal.

Entre os temas discutidos, podemos encontrar um artigo que explica o que é e como funciona o Subversion, um artigo sobre Performance e Optimização MySql, uma introdução ao Desenvolvimento de Jogos com a plataforma XNA, a continuação do artigo de Fundamentos de Segurança em Redes e ainda uma introdução ao Arduino.

Uma edição com artigos de qualidade e de interesse para qualquer pessoa que se interesse acerca de desenvolvimento de software e não só.

Clique aqui para fazer download da revista ou então aqui para obter mais informações acerca desta edição.

Alternativas ao phpmyadmin

Quem lida diariamente com alojamentos Web sabe perfeitamente que o phpmyadmin é uma das ferramentas web de gestão de bases de dados mysql mais utilizadas.

No entanto existem várias opções com aspectos provavelmente mais soft do que o phpmyadmin.

CIMyAdmin

CIMyAdmin

O CIMyAdmin foi desenvolvido a pensar na comunidade de programadores que tem visto o phpmyadmin a morrer. Construido na framework Code Igniter, o CIMyAdmin é bastante mais elegante, rápido e limpo que o phpmyadmin.

Para além disso o CIMyAdmin é fácil de instalar, permite a criação de skins em xhtml e é bastante seguro.

SQL Buddy

Sql Buddy

O SQL Buddy, já referido anteriormente no WebTuga, é uma aplicação web para gestão de bases de dados que recorrendo ao Ajax, torna a gestão muito mais rápida.

Apesar de ser bastante recente, o SQL Buddy tem sido a primeira opção para alguns webmasters.

O seu aspecto limpo e o efeito de rapidez criado pelo Ajax torna-o ainda uma melhor opção.

MySQL Quick Admin

MySql Quick Admin

Quando se fala em gestão de múltiplos servidores de MySql, o MySql Quick Admin chega-se à frente.

Possibilita a escolha de um entre vários Themes e a configuração de várias Línguas.

Com o MySql Quick Admin é ainda possível verificar o estado de várias tabelas em simultâneo.

SQL Buddy – Administração de base de dados MySql Web Based

SQL Buddy

Para quem trabalha com MySQL no dia a dia certamente que conhece e usa ou já usou o phpmyadmin, no entanto a sua interface pode-se tornar um pouco lenta com base de dados com grande quantidade de dados.

Hoje apresento-vos o SQL Buddy, outro sistema de administração de base de dados MySql Web Based, gratuito e opensource que recorrendo ao uso de Ajax, torna o trabalho dos programadores muito mais fácil e rápido.

O SQL Buddy não necessita de instalação, bastando para tal descompactar os ficheiros no servidor e efectuar login com os dados do utilizador do MySql.

Ligando-se como root, poderá criar novos utilizadores na base de dados e assim tudo e todos.

Apesar do sistema recorrer ao Ajax para carregar o conteúdo parcialmente, é possível adicionar as páginas com os resultados aos favoritos.

É ainda uma boa aplicação para importar e exportar conteúdo parcial ou total da ou para a base de dados.

Como ainda não existia plano para tradução em Português de Portugal, apenas estava presente o Português do Brasil, decidi começar a traduzir, caso queiram contribuir cliquem aqui.

Why does Joomla really sucks – Porque é que o Joomla não presta

Joomla Logo

Como é do vosso conhecimento, o WebTuga usou a plataforma Joomla durante cerca de 1 ano, portanto serve este post para vos contar a nossa experiência neste CMS.

O Joomla é um CMS ( Content Management System ), licenciado sob a GNU General Public License, que permite criar desde pequenas páginas, a grandes portais.

Neste caso, o Joomla seria adaptado a plataforma de blogging.

Antes de tudo, a maioria dos themes disponíveis e com alguma qualidade são pagos ou é necessário entrar num clube com subscrições premium anuais ou algo do género, e a criação de themes para Joomla torna-se bastante complicada para o utilizador comum, portanto ou compra um theme, ou então fica com um site visualmente fraco.

A instalação do Joomla é bastante simples, como qualquer outro CMS que usei até hoje, no entanto quando chega à hora de fazer actualizações para novas versões, ai temos graves problemas, pois a maioria dos módulos, dos componentes e dos mambots deixam de trabalhar.

Com uma instalação do Joomla e com um theme já escolhido, chegou a hora de importar os artigos do WordPress. E aí é que temos mesmo um grave problema.

No WordPress os artigos estão separados por categorias e por sua vez, o Joomla separa os artigos por Secções e Categorias, tornando assim a importação muito mais complicada.

Para fazer a importação, foi necessário exportar a base de dados do WordPress em excell, dividindo os campos dos artigos por colunas e criar uma nova folha de Excell com os comandos MySql e com a estrutura da tabela dos artigos do Joomla. Tudo isto foi um processo feito manualmente e que após da importação, deu ainda mais trabalho, pois tivemos que definir as secções e categorias dos artigos, um a um.

Apesar de ambos terem o código aberto, ainda ninguém foi capaz de desenvolver uma aplicação que importa-se tudo automaticamente de um WordPress para o Joomla, mas nós, com uns testes e umas brincadeiras, lá conseguimos em menos de um dia, converter todos os artigos para Joomla.

Feita a conversão, foi necessário adaptar o Joomla a plataforma de blogging. Tivemos portanto que pagar uma licença de um componente para comentários, pois o Joomla não traz por defeito nenhuma.

Além disso, foi necessário um novo componente para criação de RSS feeds, pois as rss feeds que o Joomla criava eram simplesmente pobres, pois apenas mostrava parte do conteúdo.

Colocamos os artigos ordenados por data na FrontPage e assim ficou a nossa plataforma de blogging em Joomla, no entanto sem algumas necessidades como uma ferramenta para pingar os serviços web, quando criados novas entradas.

O Blogging é um hobbie e portanto deve ser fácil criar posts e comentários, no entanto não era isso que o Joomla fazia. O editor do Joomla, não era compatível com o Firefox 3 por exemplo, o que fazia com que aqueles que não estivessem tão habituados a mexer em HTML, tivessem algumas dificuldades a escrever.

Para além disso, quando necessitávamos de alterar algo no template, tornava-se uma tarefa um pouco complicada.

Finalmente, um ano após trabalhar em Joomla, consegui converter os posts do Joomla para WordPress e os comentários do Jomcomment para a tabela dos comentários do WP e aqui estamos nós, felizes da vida, com a melhor plataforma de Blogging.

Por isso, se estão a pensar em criar um blog, ou um site, ponham o Joomla de parte, pois não é uma opção muito agradável.