Python 3.0

Python

A tecnologia evolui e tudo em redor dela necessita também de evoluir. Sem a evolução da tecnologia, não existem novos horizontes, o que limitam o progresso da mesma.

A linguagem de programação Python, uma das mais conhecidas linguagens de desenvolvimento, viu a sua sintaxe de certa forma renovada na ultima versão.

O Python é uma linguagem de programação dinâmica orientada por objectos, utilizada actualmente para desenvolvimento de bastante aplicações desktop e web.

A linguagem é multi-plataforma, sendo possível correr em Windows, Linux ou qualquer outro sistema Nix*, macOSx, OS/2, AmigaOS, Palm ou telemóveis Nokia. Para alem disso é possível corre-la em máquinas virtuais Java e .Net.

A nova versão Python 3.0 veio dar seguimento a esta excelente linguagem de programação e existem várias alterações a nível de sintaxe, como mudança de operadores, entre outros.

MicroSoft CodePlex

CodePlexA Microsoft está disposta a apostar em software OpenSource, apesar do seu sistema operativo e da maioria do seu software não o ser.

Em primeiro lugar existe a possibilidade do Internet Explorer vir a tornar-se OpenSource, o que talvez não seria totalmente uma má ideia.

Para reforçar o apoio à comunidade OpenSource de programadores que desenvolvem para a plataforma Windows, a Microsoft apresenta o CodePlex.

O CodePlex é um repositório de software opensource, tal como o SourceForge, mas que se limite a software desenvolvido para plataformas da Microsoft.

Ubuntu Free Culture Showcase: vencedores anunciados

Os vencedores do Ubuntu Free Culture Showcase, uma competição destinada a quem cria conteúdos artísticos com software livre, qe figurarão na próxima versão do Ubuntu já estão escolhidos. O anúncio foi feito por Jono Bacon, o responsável pela comunidade do Ubuntu.

Os vencedores são Adrés Vidau, um engenheiro electrónico mexicano que venceu a categoria Áudio, e Andrew Higginson, um jovem inglês de 14 anos que conseguiu o primeiro lugar na categoria Vídeo.

Estes dois trabalhos serão incluídos na próxima versão do Ubuntu. Para acederem a eles, irá bastar um simples sudo apt-get install example-content.

ThePlanet – Explosão na DataCenter H1

Como devem ter reparado, o WebTuga tem estado off desde há alguns dias. Tudo isto deve-se ao facto da DataCenter em que temos o nosso servidor dedicado alocado, ter tido um curto-circuito que fez com que não só o servidor do WebTuga ficasse sem energia, mas também 9000 outros servidores.

Felizmente ninguém ficou ferido e nenhum dos servidores ficou danificado, no entanto a equipa de incêndio aconselhou/não permitiu que o sistema de backup de energia fosse ligado de forma a não provocar outras pequenas réplicas deste problema.

A equipa ThePlanet tem estado a reunir esforços de forma a normalizar a situação. No meio de tanto azar, o Dragon ( nome que dá-mos ao nosso servidor/bicho de estimação ) estava localização no segundo piso da DataCenter, chamado de Phase 2, que já tem o problema resolvido, entre outros 6000 servidores. No entanto, os restantes 3000 servidores localizados na Phase1 estão ainda a ser alimentados por uma fonte de energia de backup, situação que deverá ser temporária e que irá provocar algum tempo de downtime nos próximos dias.

No meio disto resta-me pedir a compreensão de todos os clientes e utilizadores do WebTuga, pedimos desculpa se de alguma forma não fomos ao vosso encontro para vos esclarecer a situação, mesmo tendo sido tendo sido criado um blog temporário que substituiu a homepage do WebTuga Hosting.

Resta-me também dar o meu apoio a toda a equipa ThePlanet, que apesar de todo o azar, tem tentado resolver a situação de forma a diminuir os prejuízos a todos os seus clientes.

O mais difícil já está resolvido e pensemos pela positiva, em vez de serem 9000 servidores sem energia, poderiam ter sido 9000 servidores danificados.

E agora, vamos lá rapaziada que isto sem blogar durante 2 dias não dá com nada…

Sweetter 2.0 – Sistema de blogging gratuito

Com a chegada do Twitter à Internet, introduziu-se também um novo conceito de microblogging.

O Twitter, com milhares de utilizadores, tem tido um tremendo sucesso muito devido também ao número de aplicações que usam a sua API.

Para aqueles que andam atrás de um sistema de microblogging para instalar no seu site ou no servidor da empresa para partilhar as suas actividades, os seus sentimentos, etc, existe o Sweetter.

O Sweetter é um serviço de microblogging gratuito escrito em Python que lhe permite não só "microblogar" como também escrever as suas listas to-do, votar nos "microposts" dos outros utilizadores e ter um Karma conforme o seu número de votos, positivos ou negativos.

Para além disso o Sweetter tem também a possibilidade de escolher plug-ins que lhe permitirão enviar as suas mensagens para o seu Twitter ou Jaiku.

Visite já o site e verifique com os seus próprios olhos. E para aqueles que pensam que podem comprar o Sweetter, leiam esta página.

Microsoft Suportará ODF com o SP2 do Office 2007

Office 2007 Save Dialog Box

A Microsoft anunciou hoje que com o Service Pack 2 do Office 2007 a sua suite de Office suportará a leitura e escrita de ficheiros no formato ODF 1.1, formato que é usado pelo OpenOffice.org e é um standart ISO.

Além do ODF, este SP2 permitirá gravar, sem qualquer plugin, em XPS (XML Paper Specification) e PDF (Portable Document Format).

Além dos novos formatos, o Office 2007 permitirá definir como default o ODF para gravação de ficheiros, ao invés do OOXML.

Apesar do anúncio hoje efectuado, a Microsoft continuará a dar suporte ao projecto alojado no SourceForge.net que “traduz” de OOXML para ODF.

Com o crescimento do mercado chinês, a Microsoft também quer suportar o UOF (Uniform Office Format), formato utilizado pelo governo chinês.

No entanto, este SP2 apenas deverá surgir no início de 2009. Se não quer esperar, porque não usar o OpenOffice.org?

Microsoft Suportará ODF com o SP2 do Office 2007

Office 2007 Save Dialog Box

A Microsoft anunciou hoje que com o Service Pack 2 do Office 2007 a sua suite de Office suportará a leitura e escrita de ficheiros no formato ODF 1.1, formato que é usado pelo OpenOffice.org e é um standart ISO.

Além do ODF, este SP2 permitirá gravar, sem qualquer plugin, em XPS (XML Paper Specification) e PDF (Portable Document Format).

Além dos novos formatos, o Office 2007 permitirá definir como default o ODF para gravação de ficheiros, ao invés do OOXML.

Apesar do anúncio hoje efectuado, a Microsoft continuará a dar suporte ao projecto alojado no SourceForge.net que “traduz” de OOXML para ODF.

Com o crescimento do mercado chinês, a Microsoft também quer suportar o UOF (Uniform Office Format), formato utilizado pelo governo chinês.

No entanto, este SP2 apenas deverá surgir no início de 2009. Se não quer esperar, porque não usar o OpenOffice.org?

CMS sem base de dados

CMS Sem base de dados

Hoje em dia, qualquer plano de alojamento de qualquer empresa de hosting tem suporte a pelo menos uma base de dados.

No entanto, para aqueles servidores que não têm suporte ou aqueles que atingiram o limite máximo da base de dados no seu plano de alojamento, existe uma solução para esse problema: usar um CMS que não use uma base de dados, mas sim um ficheiro de texto para guardar a informação.

Desta forma, os ficheiros de texto vão realizar a mesma tarefa que uma base de dados, não havendo a necessidade de haver outro módulo a correr no servidor para a base de dados, tal como no caso do MySql.

Em baixo, deixo algumas soluções de sistemas de gestão de conteúdo que não necessitam de base de dados para correrem.

Flatpress

Já aqui tínhamos falado acerca do Flatpress. Um cms opensource para a plataforma de blogging, bastante semelhante ao WordPress, mas que não necessita de base de dados MySql.

Usa o sistema de templates Smarty e tem o suporte para Widgets e Plugins, tal como no WordPress.

Caso queira e após a instalação e o uso intensivo do FlatPress, deseje instalar o WordPress, poderá importar a base de dados usando este script.

Pivot

O Pivot é uma ferramenta gratuita, distribuída sob a GNU Public General License, que lhe permite criar páginas dinâmicas, como pequenos blogs ou jornais online em PHP, sem a necessidade de funções ou base de dados adicionais.

A razão pela qual o Pivot usa ficheiros de texto e não uma base de dados para guardar a informação, é fazer com que o sistema possa correr numa quantidade maior de servidores possível.

Cute News

Cute News é um poderoso sistema de gestão de notícias que permite facilmente adicionar notícias, comentários, efectuar pesquisas e envio de ficheiros, tudo sem a necessidade de usar MySql.

Para além de um excelente editor WYSIWYG, apresenta ainda um sistema de templates bastante fácil de usar.

simplePHPblog

simplePHPblog é a mais simples ferramenta de criação de blogs que pode existir.

Com este cms poderá em poucos segundos ter o seu blog com as funções básicas e sem a necessidade de uma base de dados.

CMSimple

Um cms dividido em duas versões, uma comercial e outra sob as licenças GPL e AGPL 3. Visite o site do CMSimple OpenSource.

E pronto, penso que podemos ficar por aqui. Caso seja programador e tenha criado algum CMS, leia acerca do txtsql e faça uma versão do seu gestor que não necessite de base de dados.

Lista de alternativas ao Paypal

Hoje enquanto falava com um colega meu, ele falou-me acerca de ter ganho uns trocos no Bux.to.

Sinceramente este tipo de sites como o Bux.to, os chamados PTC ( Paid To Click ), nunca foram por mim apreciados, no entanto enquanto falava com o meu colega, lembrei-me que em tempos tinha criado uma conta lá.

O que é verdade é que quando entrei no site, reparei que tinha um balanço de 36$ na conta. Fiquei parvo, pois nunca tinha levado aquilo a sério, mas o que é verdade é que os 36$ estavam lá. Só depois é que reparei que tinha 4 referals, o que justificou esse dinheiro.

O meu próximo passo foi descarregar o dinheiro dali, antes que aquilo me tire o dinheiro ou algo do género.

Foi então que reparei que só pagavam via AlertPay ( pelos vistos o Paypal não é muito amigo deste tipo de sites ) ou então tinha a possibilidade de trocar por publicidade.

Como eu acho que a publicidade neste tipo de sites não traz nenhuma vantagem ao site, pelo contrário, dá-lhe um ar de "Spam thing", decidi criar uma conta no AlertPay e fazer payout.

Neste artigo vou deixar o Bux.to por aqui e vou continuar a falar acerca dos métodos de pagamento on-line como o Paypal, o AlertPay e o Moneybookers.

Paypal

Talvez de todos eles, o mais conhecido e mais usado. A rápida propagação do Paypal como meio de pagamento online foi de tal modo crescente que o eBay decidiu comprou o serviço de forma a integrar no seu sistema que já era utilizado por milhões de pessoas.

O Paypal funciona igualmente como as transferências tradicionais, no entanto em vez de um NIB, é usado o seu e-mail como id de conta.

Existem dois tipo de contas no Paypal, a Personal e a Business. Ambas são gratuitas, no entanto a Business não tem tantos limites como a Pessoal e são cobradas taxas maiores.

Poderá usar a sua conta para fazer pagamentos, receber dinheiro, fazer pedido de dinheiro a outros utilizadores do serviço e ainda pedir a transferência do dinheiro para a sua conta bancária.

O Paypal é usado em grandes sites como o eBay, CompUSA e muitas outras lojas de venda on-line.

MooneyBookers

Moneybookers

Trata-se de mais uma plataforma de pagamentos on-line que permite receber dinheiro sem pagar taxas e fazer pagamentos com taxas de 1% até 0.50 cêntimos.

Poderá associar o seu cartão visa para fazer os seus pagamentos e ainda poderá pedir que o seu dinheiro seja transferido para a sua conta bancária ou enviado por cheque com taxas bastante baixas.

Para quem tem lojas online, o MoneyBookers permite a integração da sua API sem ter que pagar mais por isso.

Para além disso, o Moneybookers permite ganhar até 100$ por cada referência sua.

O uBid e o Auctions Cnet são dois exemplos de sites que usam o MoneyBookers.

AlertPay



Como já foi dito acima, o Bux.to usa este serviço para efectuar os seus pagamentos online, isto até porque o AlertPay informa estar aberto para todos os negócios, logo os PTC não são excepção à regra como acontece no Paypal.

Existem três tipos de contas no AlertPay, a Personal Starter, a Personal Pro e a Business.

A Personal Starter, é ideal para quem pretende receber uns trocos dos colegas ou da família, permitindo receber até 400$ por mês e um total de 2000$ anuais. Todas as transacções são gratuitas, existe a possibilidade de ter até 2 e-mails associados à conta e pode usar o cartão de crédito para efectuar pagamentos.

Por sua vez a Personal Pro é a melhor opção para quem tem pequenos negócios na Internet como lojas online. Com taxas de recebimento de 0.25% + 0.25$ por transacção, este tipo de conta permite o uso de ferramentas de venda como subscrições e pagamentos recorrentes e ainda o envio de pagamentos em massa.

A Business permite o mesmo que a Personal Pro e ainda ter várias sub-contas para os seus vários negócios, a implementação da API com a sua aplicação, alertas instantâneos e ainda ter um número ilimitado de e-mails associado à sua conta.

Google Checkout

Esta é a actual proposta do Google como alternativa ao Paypal, no entanto ainda só está disponível nos Estados Unidos da América e no Reino Unido e exige ter um cartão de crédito associado.

Algumas lojas que têm feito sucesso com este método de pagamento são a eBuyer, a Arial e a Vodafone.

2Checkout



O 2Checkout tem um taxa única de registo de 49$ e fica com 5.5% de cada comissão mais 0.45$. Penso que não seria a melhor opção das listadas acima.

Tem a vantagem de poder ser integrado numa loja online e de possibilitar usar uma plataforma de vendas online da 2Checkout.

Para além destas plataformas de pagamento presentes no artigo, existe ainda a TrialPay, a Netteler, o e-Junkie e ainda o iKobo.

Triplo Expresso – Novo podcast em Português

Triplo Expresso

É com imenso prazer que vejo um novo projecto de podcasting nacional a nascer.

Trata-se do Triplo Expresso, que pela voz de 3 bloggers portugueses, David Rodrigues, Phil e a Maria João Valente, nos vai trazer várias discussões acerca de computadores, internet e cybercultura.

O primeiro episódio do podcast já está disponível e tem o nome de "episódio 0 – blogues!", onde os três colegas falam desde os bloggers mais polémicos, à nova moda do microblogging ( != blogging num teclado pequeno ).

Acedam ao blog do projecto e subscrevam o podcast, podem ter a certeza que valerá a pena.