Trabalhadores processam empregadores por usarem Windows Vista

Nos Estados Unidos da América, vários trabalhadores que recebem à hora estão a processar os seus empregadores devido ao tempo que o Windows Millenium 2.0, vulgo Windows Vista, demora a fazer boot e a desligar.

De acordo com um dos representantes destes trabalhadores, o advogado Mark Thiernman, os trabalhadores perdem até duas horas de ordenado todas as semanas devido ao tempo que o Windows Vista demora até se fazer login. A entrada ao trabalho destes trabalhadores só é contabilizada quando fazem login, e como o ME 2.0 é, de acordo com estes trabalhadores, lento como o raio, eles tão no local de trabalho mas não estão oficialmente a trabalhar.

O mesmo se passa quando estão a desligar o computador. O tempo que têm que esperar até o computador estar desligado não é contabilizado, logo é dinheiro que não recebem.

Aposto que estes trabalhadores estão à espera que o 7 do Windows seja um número da sorte para eles e não para os seus empregadores. Mas se a tradição se mantiver, vai ser um número de azar para eles.

{via The Register}

AVG Anti-Virus Free Edition 8.0 Download

Como todos sabemos, a segurança em qualquer sistema operativo nunca é demais. Mesmo quando somos utilizadores com experiência, podemos ter software malicioso a correr na nossa máquina sem dar-mos conta disso.

Uma das formas de prevenção contra vírus informáticos é o uso de um Anti-Virus.

Existem várias soluções de Anti-Virus gratuitas e até open-source, no entanto a solução que nos interessa e na qual vamos falar é a nova versão do Anti-Virus da Grisoft, o AVG Anti-Virus Free Edition 8.0.

O AVG Anti-Virus Free Edition 8.0 tem como principal novidade, a implementação de um sistema de Anti-Spyware, que elimina todos os processos maliciosos que espiam informações no seu sistema.

A versão gratuita pode ser apenas usada em computadores para uso pessoal.

Página Oficial: Grisoft

Microsoft e Novell de mão dadas para a China

A cooperação entre a Novell e a Microsoft conheceu mais um novo marco, com a aliança formada entre as duas empresas para entrar no mercado Chinês.

Estas duas empresas vão, mais uma vez, colaborar, desta vez para oferecer soluções mistas – de sistemas livres e fechados – às empresas chinesas. Estas soluções estarão protegidas de potenciais processos por violação de patentes.

A China é um mercado onde o software livre tem muito sucesso. Um exemplo deste sucesso é o Red Flag Linux, uma distribuição de GNU/Linux usada no sector empresarial deste país asiático.

via news.yahoo.com

Nota: Obrigado ao Francisco Carinha pela dica

Microsoft consegue aprovação da ISO para o formato MSOOXML

A Microsoft, ao fim de vários meses, conseguiu a aprovação da ISO para o seu formato MSOOXML. Mas este processo fica marcado por várias alegadas irregularidades e já valeu a investigação da União Europeia a alguns dos comités.

Mas isto não fica por aqui. De acordo com algumas pessoas que fizeram parte de alguns dos comités, o formato tem demasiados erros, como o mau cálculo de datas e simples operações matemáticas. E o formato, de acordo com o Software Freedom Law Center, não é compatível com a GPL e nem dá garantias de protecção de processos judiciais a quem o implemente ou utilize.

Ainda assim, a Microsoft conseguiu aprovar o seu formato – algo que, na minha opinião, é estranho (no mínimo). Mas a aprovação ainda não tem efeitos imediatos, porque haverá um período de dois meses para serem apresentados recursos da decisão da ISO.

Se quiserem saber mais sobre o caricato processo de aprovação do MSOOXML como norma ISO, visitem os sites Software Livre no Sapo, Groklaw.net, o blog pessoal do delegado brasileiro Jomar Silva e ainda o NoOOXML.org.

ESET SysInspector mostra os ficheiros de risco

Uma das muitas fontes de problemas em Windows são as más configurações de aplicações e do registo, e a presença de ficheiros vulneráveis.

ESET SysInspector é uma aplicação gratuita, dos criadores do NOD32, que pesquisa estas configurações, ficheiros e processos de risco nos sistemas Windows. Depois de terminada a busca, a aplicação mostra os resultados ordenados pelo seu grau de risco.

Este programa oferece ao utilizador a possibilidade de abrir os ficheiros de risco detectados com uma aplicação à sua escolhe e permite a realização de uma pesquisa no Google sobre eles. Mas não efectua a remoção dos ficheiros potencialmente perigosos.

via cybernetnews.com

Como terminar processos pela linha de comandos em Windows

matar processosUma das poucas coisas que podem matar sem ir parar à prisão são os processos dos computadores. Isto dá jeito quando uma aplicação crasha e não a conseguimos encerrar pelas vias normais.

Em Windows, um processo pode ser terminado ("You are terminated") através do gestor de tarefas ou da linha de comandos – aquela coisa muito complicada em que se utiliza o teclado.

Antes de matar um processo, convém saber qual é o seu identificador (PID ou Process ID). Para saber isso, é preciso executar o comando tasklist.exe. Depois de corrido, o tasklist vai mostrar os processos em execução, o PID de cada um e mais alguma informação útil.

Depois de sabido o PID do processo em causa, é altura de lhe enfiar uma bala nos bits. Para isso, utiliza-se o taskkill. Esta aplicação pode ser usada com vários argumentos.

Imaginem que têm um processo com o PID 5412 e que crashou. Já tentaram encerrá-lo normalmente, mas ele teima em não terminar. Para isso, executa-se o comando taskkill /PID 5412 /F. O /PID é necessário para dizer que o programa está a ser terminado com base na sua identificação e o /F é para forçar o término do programa.

Para tomarem conhecimento dos vários parâmetro dos comandos tasklist e taskkill, executem cada um destes comandos, seguido de /?. Exemplo: tasklist /?

Boa caça aos processos.

Fonte: Technospot.net

Actualização
Também é possível terminar processos pelo nome. Basta passar o parâmetro /IM, seguido do nome do processo: taskkill /IM explorer.exe
Obrigado ao nosso leitor JGomes pela dica.

A imagem é da autoria de Theron Parlin e foi disponibilizada pelo autor sob a licença Creative Commons 2.0 by-nc-nd

End Software Patents: um esforço para acabar com as patentes de software nos EUA

Nos Estados Unidos, vários grupos e pessoas uniram-se para acabar com as patentes de software neste país. O esforço conjunto chama-se End Software Patents e dele fazem parte alguns membros como a Free Software Foundation, Software Freedom Law Center e Public Patent Foundation.

De acordo o End Software Patents, as patentes de software não promovem a inovação e tornam difícil a criação de software.

"Software innovation happens without government intervention. Virtually all of the technologies you use now, was developed before software was widely viewed as patentable. The Web, email, your word processor and spreadsheet program, instant messaging, or even more technical features like the psychoachoustic encoding and Huffman compression underlying the MP3 standard—all of it was originally developed by enthusiastic programmers, many of whom have formed successful business around such software, none of whom asked the government for a monopoly. So if software authors have a proven track-record of innovation without patents, why force them to use patents? What is the gain from billions of dollars in patent litigation?"

Este grupo estima que, anualmente, mais de 11.4 mil milhões de dólares são gastos em processos relacionados com alegadas violações de patentes e afirma que há uma tendência cada vez maior dos "patent trolls" em processar empresas que não estão directamente relacionadas com o desenvolvimento de software.

via Arstechnica.com

Privacidade online dos europeus mais salvaguardada

Os defensores da privacidade e os cidadãos europeus tiveram uma vitória com a recente decisão do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias no caso que opunha a Promusicae (Associação de Editores e Produtores de Música) contra a Telefónica de España (o maior ISP de Espanha).

A Promusicae, possivelmente como forma (ridícula) de combater os downloads ilegais de música, queria que a Telefónica de España divulga-se a identidade dos utilizadores que partilham músicas no KaZaA. O ISP não acedeu e a associação levantou um processo judicial em terras de Nuestros Hermanos.

A justiça espanhola requereu a arbitragem do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias, que decidiu que as identidades dos utilizadores só devem ser reveladas nos processos criminais e não em processos civis. Mas deixou em aberto a possibilidade de um governo europeu poder permitir a revelação dos dados em processos civis.

Em jeito de off-topic:
Enquanto escrevia este texto, recebi um alerta por email do site destakes.com que me remeteu para um artigo publicado no ciberia.aeiou.pt sobre este assunto, com o seguinte título: «Mais difícil identificar "piratas" da web». Eu pergunto: mas que raio de título é este? Porque não um título como "Privacidade online dos europeus está mais protegida"? Até porque é isso que está em causa, não é meus senhores?
Talvez seja altura dos media deixarem de ligar à contra-informação destes lobbies.

via ArsTechnica

The Pirate Bay na mira de Prince

O conhecido tracker sueco, The Pirate Bay, estará alegadamente na mira do artista pop Prince, que deverá apresentar um processo,a na Suécia, contra os administradores do tracker e contra o próprio tracker nos próximos meses.

Coincidência ou não, os administradores do The Pirate Bay andam a ser seguidos por detectives privados, que fotografam todos os seus passos.

Em entrevista ao site Ars Technica, os administradores do torrent afirmam não estar preocupados com eventuais processos judiciais, nem com o facto de serem seguidos.

Leia a entrevista completa no site Ars Technica

Backup Platinum – Cópias de segurança

Hoje em dia quase todas as pessoas que trabalham no mundo da informática são possuidores de artigos ou ficheiros importantes que querem manter seguros e nunca os perder, desde facturas, contractos, documentos, artigos, etc.

Para isso existem as cópias de segurança, mais conhecidas por Backups no mundo da informática.

O software que apresentamos neste artigo tem de seu nome Backup Platinum e pertence à Soft Logica.

O Backup Platinum é uma ferramenta bastante poderosa e de uso facilitado que lhe permitirá criar backups de qualquer tipo de ficheiro para discos rígidos, Pens USB, CDs ou CDs Regraváveis, DVDs ou DVDs Regraváveis, servidores de FTP ( File Transfer Protocol ) ou para outros computadores da rede local.

Todas as cópias de segurança são encriptadas com um tipo de encriptação de 128 bits e em vários formatos de compactação em ZIP facilmente personalizaveis, que possibilitaram manter as suas cópias em tamanhos reduzidos e com segurança maior.

O software é concebido especialmente para trabalhar nos sistemas operativos da Microsoft, desde o Windows 9x, o Windowsme, o Windows NT, Windows 2000, Windows XP, Windows Vista e ainda o Windows 2003 server.

Backup Platinum cria vários ficheiros de logs onde poderá ver todos os processos executados em cada cópia de segurança efectuada.

Para restaurar as suas cópias de segurança, existe um poderoso motor de restauração onde apenas necessitará de seleccionar a cópia de segurança e dar um clique no botão de restauração.

backup to DVD