AMD e Red Hat apresentam migração de servidores virtuais em tempo

A AMD e a Red Hat conseguiram o que para a Intel e VMware diziam ser impossível.

Numa pequena demonstração, a Red Hat demonstrou que é possível migrar um servidor virtual de uma máquina para outra sem ter de a desligar, fazendo assim com que o utilizador final nem sequer note a diferença.

Para já só foi possível ver uma demonstração da Red Hat deste novo sistema, mas quem sabe este método não chegue aos servidores comerciais.

Para além da vantagem de evitar um corte no serviço do servidor virtual, este método iria ser bastante útil para efectuar actualizações no sistema principal, em que se migrariam todas as VPS para um servidor secundário e se faria a manutenção no servidor principal sem afectar o bom funcionamento do serviço.

Multimédia Livre

O Ubuntu Studio é, talvez, a distribuição multimédia mais popular da actualidade. Muito do seu sucesso deve-se ao seu "irmão grande", o Ubuntu. Mas multimédia em GNU/Linux não é apenas sinónimo de Ubuntu Studio. Existem mais distribuições orientadas para este campo, como o StartCom Linux e a Dyne:Bolic, duas distribuições que tiveram, recentemente, novas versões.

A Dyne:Bolic é uma distribuição orientada para todos os campos da multimédia (vídeo, audio, imagem, texto, 3D), com um vasto leque de ferramentas disponíveis, para além de ser executada a partir de um CD, sem que o desempenho seja afectado por isso. Ferramentas como o editor de vídeo Cinelerra, o Audacity ou o servidor de stream de audio IceCast fazem parte das aplicações incluídas. Os seus criadores dizem que é uma distribuição 100% livre.

O StartCom ML Edition é uma distribuição que usa o StartCom Enterprise Edition como base, sendo este baseado no RedHat Enterprise Linux e no Fedora. Esta distribuição é mais orientada para áudio e vídeo, também ela com muitas ferramentas incluídas. Pelo que consegui apurar, não existe uma versão Live, mas isso não impede a sua utilização.

Ambas as distribuições são excelentes escolhas para trabalhar com multimédia e uma excelente prova de que GNU/Linux também é muito bom para esta área, e não apenas Windows e Mac OS X.

Fedora 8 Test 2

Já saiu a segunda beta do Fedora 8, disponível em 4 versões: Fedora Live, Fedora KDE Live, Fedora Developer Live e Fedora Electronic Lab.

O Fedora Live é a versão standard – usa o GNOME como gestor de desktop e está disponível para processadores 32bit e 64bit compatíveis com Intel e PowerPC; o Fedora KDE Live utiliza, como o nome diz, o KDE para gerir o desktop e está disponível em processadores 32bit e 64bit compatíveis com Intel; o Fedora Developer Live é uma versão direccionada para programadores e está apenas disponível para processadores 32bit compatíveis com Intel; o Fedora Electronic Lab é uma versão direccionada para engenharia electrónica e, assim como o Fedora Developer, apenas disponível para processadores 32bit compatíveis com Intel.

O Fedora 8 Test 2 vem com o Kernel 2.6.23 do Linux, com o servidor de som PulseAudio, incluí o Compiz Fusion – desactivado por pré-definição -, a última release candidate disponível do GNOME à data do lançamento da distribuição, o KDE 3.5.7 e um novo tema chamado Nodoka.

Antes do lançamento da versão final do Fedora 8, marcada para 8 de Novembro, ainda vai sair, a 4 de Outubro, a terceira e última beta desta distribuição apoiada pela RedHat. O download do Fedora 8 Test 2 pode ser feito aqui.

Anúncio oficial

Lenovo segue exemplo da DELL

À semelhança da Dell, o fabricante de computadores pessoais Lenovo está a realizar um inquérito, num blog da empresa, que visa apurar que sistema operativo livre os utilizadores gostariam de ver num modelo Thinkpad.

Na votação, a empresa decidiu, para além de apresentar algumas escolhas, permitir a inserção de opções de voto por parte dos utilizadores. As opções de voto disponibilizadas pela Lenovo são o OpenSUSE, SUSE Linux Enterprise Desktop, Debian GNU/Linux, RedHat, Ubuntu e FreeBSD, mas os utilizadores já adicionaram Fedora, Slackware, Gentoo, Arch Linux, PCLinuxOS, Mandriva e “Anyone that refuses to carry binary-only drivers, so that all others will also benefit, as it will require documented hardware” – que deverá ser, talvez, o gnewsense.

Aquando a minha visita ao blog onde está a decorrer a votação, o Ubuntu ia claramente à frente, com 65% dos votos, seguido do Debian e da opção que deverá ser o gnewsense, com 9% e 7%, respectivamente. Até agora votaram 5431 utilizadores.

Visitar a votação.

Lenovo segue exemplo da DELL

À semelhança da Dell, o fabricante de computadores pessoais Lenovo está a realizar um inquérito, num blog da empresa, que visa apurar que sistema operativo livre os utilizadores gostariam de ver num modelo Thinkpad.

Na votação, a empresa decidiu, para além de apresentar algumas escolhas, permitir a inserção de opções de voto por parte dos utilizadores. As opções de voto disponibilizadas pela Lenovo são o OpenSUSE, SUSE Linux Enterprise Desktop, Debian GNU/Linux, RedHat, Ubuntu e FreeBSD, mas os utilizadores já adicionaram Fedora, Slackware, Gentoo, Arch Linux, PCLinuxOS, Mandriva e “Anyone that refuses to carry binary-only drivers, so that all others will also benefit, as it will require documented hardware” – que deverá ser, talvez, o gnewsense.

Aquando a minha visita ao blog onde está a decorrer a votação, o Ubuntu ia claramente à frente, com 65% dos votos, seguido do Debian e da opção que deverá ser o gnewsense, com 9% e 7%, respectivamente. Até agora votaram 5431 utilizadores.

Visitar a votação.

HP com GNU/Linux na Austrália

A HP vai iniciar a comercialização de computadores com o RedHat 5 pré-instalado na Austrália. O modelo escolhido é o HP dx2250, que tem boas especificações (se alguém me quiser oferecer um – que combina bem com a minha nova cadeira -, está à vontade).

Por cá, apenas tenho conhecimento de uma empresa que comercializa computadores com GNU/Linux pré-instalado: a Chip7, que tem um modelo com Debian GNU/Linux 4.0 pré-instalado.

{Fonte: Download Squad}

Sistemas operativos mainstream preparados para o novo AMD Barcelona

Os novos processadores quad-core Opteron da AMD, com lançamento previsto para Setembro deste ano, vão ser suportados pelos sistemas operativos mainstream que usam a arquitectura x86 (Windows Server 2003 e 2008, Suse Linux Enterprise Server, RedHat Enterprise Linux e Solaris 10) e pelo software de virtualização VMWare EXS.
Algumas das novidades destes novos processadores são uma melhor gestão de energia, performance superior e suporte para virtualização optimizado.

{Fonte: Internet News}

Yoper 3.0 Titanium

Parece um iogurte, mas é uma distribuição de GNU/Linux feita de raíz (embora um iogurte cai-se bem agora). O Yoper chegou à versão 3.0, com o nome de código Titanium (tipo combate de Wrestling). O Yoper 3.0 debita o Kernel 2.6.21.1 com o ck-patchset, Xorg 7.2, KDE 3.5.7, Koffice 1.6.3, Firefox 2.0.0.4, o detector de hardware Kudzu (usado pelo RedHat) e está optimizada para i686. Para gerir os pacotes, é usado o smart. Esta distro, à primeira vista, parece ser bastante boa; só é pena ter o KDE em vez do Gnome ou do Xfce, mas isso já são gostos. Para verem o hardware suportado, buscar ajuda ou ver a lista de software, dêem um salto à wiki oficial. Fonte: Yoper [via Linux Today]

Wine 0.9.39

Já foi lançada a nova versão do Wine, o emulador de Windows para *nix. A nova versão, 0.9.39, para além das habituais correcções de erros, teve melhoramentos no MSHTML e no suporte para áudio, várias correcções no Direct3D e vários melhoramentos e correcções para Winsocks. Estão disponíveis binários para RedHat, Fedora, Suse, Mandriva, Slackware, Ubuntu, Debian, FreeBSD, PC-BSD, Solaris e Windows. O código fonte está disponível aqui e aqui. Podem ver o anúncio completo aqui.