Mac4Lin – Transformar Linux em MacOSx

Mac4Lin

Saiu recentemente o Mac4Lin versão 1.0 final, um conjunto de alterações que permitem transformar o seu sistema operativo Linux na interface do macOSx Leopard.

O Mac4Lin faz alterações no Gnome, Xfce, na janela de login GDM e algumas aplicações mais conhecidas, como o Firefox, Metacity, Songbird e Pidgin.

Para fazer estas alterações, só tem que fazer download do pacote pela página oficial no SourceForge, extrair e executar um ficheiro shell (.sh) de forma a que as alterações sejam aplicadas.

MicroSoft CodePlex

CodePlexA Microsoft está disposta a apostar em software OpenSource, apesar do seu sistema operativo e da maioria do seu software não o ser.

Em primeiro lugar existe a possibilidade do Internet Explorer vir a tornar-se OpenSource, o que talvez não seria totalmente uma má ideia.

Para reforçar o apoio à comunidade OpenSource de programadores que desenvolvem para a plataforma Windows, a Microsoft apresenta o CodePlex.

O CodePlex é um repositório de software opensource, tal como o SourceForge, mas que se limite a software desenvolvido para plataformas da Microsoft.

Drupal – Melhor CMS de 2008

Drupal LogoJá aqui tinha feito uma comparação entre as vantagens de utilizar o WordPress em vez de Joomla, no entanto nunca coloquei o Drupal ao barulho.

O facto é que nunca estudei ao pormenor o Drupal, portanto pouco posso falar acerca dele. Daquilo que vi no Drupal, este parece ser um pouco complexo a nível de gestão, mas isso não quer dizer que venha a tornar-se de fácil gestão com estudo e empenho.

O Drupal tem ganho vários prémios internacionais de melhor CMS (Content Management System). Recentemente foi premiado com o prémio de Melhor CMS Open Source Global e Melhor CMS baseado em PHP no evento CMS Awards 08.

Para além destes prémios, o seu criador, Earl Miles foi considerado uma das pessoas com mais valor no mundo dos CMS Open Source.

Existem bastantes sites, não só pessoais como também comerciais, que utilizam o Drupal como plataforma, entre eles podemos encontrar o site do jornal The Onion, o 24 Horas da Suiça, o site do cantor Bob Dylan, a ICANN, as Nações Unidas e até mesmo o SourceForge no seu site corporativo.

devunity – programação colaborativa online

devunity

devunity é o nome de uma aplicação web bastante interessante que permite a colaboração entre programadores no desenvolvimento de aplicações nas mais populares linguagens de programação.

Com o devunity os programadores podem colaborar na criação de novo código, gerir bugs encontrados, implementar APIs e até mesmo usar o version tracking server de uma conta do Google Code ou do SourceForge.

No mesmo site poderá colaborar, escrever código, gerir a sua lista “to do” e implementar as mais populares APIs.

Ainda em fase alpha, espero pelo convite para o devunity, pois certamente fará imenso jeito no que toca a tradução e colaboração online.

Microsoft Suportará ODF com o SP2 do Office 2007

Office 2007 Save Dialog Box

A Microsoft anunciou hoje que com o Service Pack 2 do Office 2007 a sua suite de Office suportará a leitura e escrita de ficheiros no formato ODF 1.1, formato que é usado pelo OpenOffice.org e é um standart ISO.

Além do ODF, este SP2 permitirá gravar, sem qualquer plugin, em XPS (XML Paper Specification) e PDF (Portable Document Format).

Além dos novos formatos, o Office 2007 permitirá definir como default o ODF para gravação de ficheiros, ao invés do OOXML.

Apesar do anúncio hoje efectuado, a Microsoft continuará a dar suporte ao projecto alojado no SourceForge.net que “traduz” de OOXML para ODF.

Com o crescimento do mercado chinês, a Microsoft também quer suportar o UOF (Uniform Office Format), formato utilizado pelo governo chinês.

No entanto, este SP2 apenas deverá surgir no início de 2009. Se não quer esperar, porque não usar o OpenOffice.org?

Microsoft Suportará ODF com o SP2 do Office 2007

Office 2007 Save Dialog Box

A Microsoft anunciou hoje que com o Service Pack 2 do Office 2007 a sua suite de Office suportará a leitura e escrita de ficheiros no formato ODF 1.1, formato que é usado pelo OpenOffice.org e é um standart ISO.

Além do ODF, este SP2 permitirá gravar, sem qualquer plugin, em XPS (XML Paper Specification) e PDF (Portable Document Format).

Além dos novos formatos, o Office 2007 permitirá definir como default o ODF para gravação de ficheiros, ao invés do OOXML.

Apesar do anúncio hoje efectuado, a Microsoft continuará a dar suporte ao projecto alojado no SourceForge.net que “traduz” de OOXML para ODF.

Com o crescimento do mercado chinês, a Microsoft também quer suportar o UOF (Uniform Office Format), formato utilizado pelo governo chinês.

No entanto, este SP2 apenas deverá surgir no início de 2009. Se não quer esperar, porque não usar o OpenOffice.org?

Como descobrir passwords de arquivos em GNU/Linux

Alguma vez vos aconteceu alguém vos enviar um arquivo com protegido, mas esquecer-se de dizer qual é a password e depois não se conseguir lembrar dela? Ou então compactarem alguns ficheiros e nunca mais se recordam da palavra-passe?
Quando alguma destas situações se passar convosco e se estiverem a utilizar GNU/Linux, podem descarregar uma aplicação chamada RarCrack. Este programa utiliza o método de bruteforce para tentar encontrar a password de arquivos rar, zip e 7zip.
As instruções de instalação são simples: primeiro, têm que descarregar e descompactar a aplicação; depois, abrem um terminal e navegam até à pasta da aplicação; e, de seguida, executam o comando make, seguido de sudo make install.
Agora que o programa está instalado, basta executar o comando rarcrack (rarcrack arquivo.zip), seguido do arquivo com password – se quiserem, podem utilizar alguns parâmetros. Para verem quais os parâmetros disponíveis, digitem o comando rarcrack –help ou man rarcrack.

Este processo de bruteforce pode ser bastante lento, principalmente num computador mais antigo. Mas é preferível esperar umas horas, que causar danos irreversíveis no teclado, não é?

via Ubuntu Unleashed

Tablaunch – as tuas aplicações preferidas à distância de um clique

tablauncherTablaunch é um pequeno utilitário para GNU/Linux que permite executar, de forma rápida, as aplicações preferidas do utilizador. Pensem neste programa como um local onde adicionam os atalhos para as aplicações que mais usam, num interface com separadores – do género do Firefox.

Esta aplicação pode ser utilizada no Gnome, KDE ou qualquer outro ambiente gráfico, como o meu preferido: OpenBox.

Os utilizadores que desejem instalar esta aplicação terão que descarregar o código-fonte e compilá-la. Se utilizam o Ubuntu, podem descarregar este pacote e instalá-la sem grande trabalho ou então seguir estas instruções e adicionar o repositório do CrunchBang – uma versão personalizada do Ubuntu.

A configuração do Tablaunch é simples: basta editar o ficheiro de configuração, localizado na home do utilizador e escrever o nome que querem dar ao atalho, o comando para executar a aplicação e o ícone para o atalho, caso queiram utilizar um ícone. Para instruções de configuração mais detalhadas, vejam este simples tutorial do Crunchbang.com.

GmailAssistant: um notificador multi-plataforma para o gmail

GmailAssistant é uma aplicação em java que notifica os utilizadores da chegada de novos emails na sua conta ou contas do Gmail. Como é escrita em Java, esta aplicação é multi-plataforma: pode ser executada em qualquer sistema que suporte a versão 6 do Java Runtime Environment (JRE).

Para saber da chegada de novos emails, esta aplicação utiliza o protocolo IMAP para aceder ao servidor do Gmail e faz uma ligação segura através de SSL.

Este utilitário é personalizável quanto baste. Os utilizadores podem, por exemplo, escolher o tipo de notificação que desejam para a chegada de novos emails, que labels manter debaixo de olho ou utilizar uma cor diferente para cada conta do Gmail.

GmailAssistant, via Downloadsquad.com

Leva o poder das ferramentas GNU ao Windows com o UnixUtils

Wget, ls, grep, man, mkdir, ps. Quem utiliza alguns sistemas livres conhece estes pequenos programas: são utilitários presentes em distribuições de GNU/Linux como o Ubuntu, Fedora ou Caixa Mágica, que dão bastante jeito.

Em Windows era possível utilizar as versões para GNU/Linux através do Cygwin. Mas as aplicações do UnixUtils, que são mais de 100, são binários nativos de Windows – executáveis normais de Windows.

Se, quando utilizam Windows, sentem falta das ferramentas GNU, o UnixUtils é uma lufada de ar fresco.

UnixUtils, via Lifehacker.com