Guerra Santa

Todos têm uma fé. Uns acreditam em Delphi, outros em Java. Há ainda os discípulos de C, de Visual Basic, HTML e outras tantas igrejas menores. São programadores, mas poderiam muito bem ser chamados de pastores.

Jamais duvide da linguagem preferida de um programador. Pode ser o caminho mais curto para a fogueira da Guerra Santa Virtual.

Como não podia deixar de ser, também cultivei a minha religião. Ainda brincava com BASIC, sem fazer nada de importante, quando conheci o Pascal. Um amigo baixara algumas apostilas de um BBS – ainda não se acedia à Internet – e assim que li fiquei convertido.

Pela primeira vez na vida vi uma linguagem estruturada. Tudo muito lógico, restrito e, ao mesmo tempo, flexível. Talvez não tão eficiente quanto o todo poderoso C, que conhecia de fama, mas muito mais eficaz que o BASIC e perfeita para a correcta aprendizagem da programação.

Devorei os tutoriais todos e em questão de dias já fazia programas em Pascal que nunca conseguira fazer em BASIC.

Convertido, jurei nunca mais usar “goto” e sempre adorar a estrutura perfeita das constantes, variáveis e sub-rotinas, organizadas e declaradas previamente, Já havia versões estruturadas de BASIC por aí, mas sempre era possível numerar as linhas e desviar o programa usando “goto”, uma verdadeira blasfêmia a ser evitada.

Veio então a interface gráfica, e o computador ficava cada vez mais acessível aos impuros e infiéis humanos normais. Apanhei o comboio um pouco tarde, quando Windows 95 já se firmava como padrão de mercado e comecei a desenvolver em Delphi, que era baseado em Pascal. Percebi, porém, que apesar da minha firme convicção, as linguagens ditas inferiores não desapareciam. Pior.

Percebi que era possível sim, desenvolver programas bons até mesmo em Visual Basic. Minha fé perdera o sentido de ser.

Pode ser difícil de admitir, mas a sua linguagem de programação preferida, assim como a sua equipa de futebol, não ganha sempre. A evolução, já dizia Darwin, depende da selecção natural e da diversidade. Não importa o quanto se batalhe e dicuta, haverá sempre  alguém fazendo um programa melhor que o seu, na linguagem que você mais odeia. E não adianta nada deita-lo na fogueira.

Tentaram esse método há uns mil anos atrás e não deu certo.


resolvi partilhar com vocês esta cronica da revista PC Master (Ano 5, Edição 51, Por Leandro Calçada). O texto demonstra na perfeição a realidade… todos nós (programadores) por uma razão ou por outra gostamos mais de uma linguagem de programação e conscientes da nossa convicção defendemos-la até ao fim, quem diz linguagens de programação, diz sistemas operativos… somos todos seguidores de alguma coisa.

Eu digo, ainda bem que não concordamos em tudo e ainda bem que existe alternativas e concorrência.

Darwin tinha razão, a evolução depende da selecção natural e da diversidade… será sempre assim…

Bom fim de semana, Cumprimentos

Vote no John McCain

As campanhas politicas para as eleições dos Estados Unidos são provavelmente as mais polémicas de sempre.

Estamos na Era da Informação e os americanos (e não só) têm utilizado a Internet para discutir e mostrar a sua opinião acerca de cada um dos concorrentes à presidência.

Entre piadas de John McCain e Barack Obama e as restantes polémicas, o seguinte vídeo foi de todo aquele que mais me fez rir durante este tempo todo.

Vejamos:

Dr. Horrible – primeiro vídeo do Hulu sem restrições

Hulu logoJá aqui tínhamos falado do Hulu, um serviço de streaming de vídeos de alta-qualidade pela Internet, que resulta de uma parceria entre a News Corp e a NBC Universal.

Infelizmente, até agora, o serviço estava apenas disponível nos Estados Unidos da América, sendo impossível ver os vídeos nos outros países.

Mas isso acaba de mudar, pois hoje foi disponibilizado o primeiro vídeo sem restrições internacionais.

Trata-se de um musical de 42 minutos, “Dr. Horrible’s Sing Along Blog”.

Agora resta-nos esperar por mais vídeos sem restrições, vindos do Hulu. Até lá, deliciem-se com o Dr. Horrible.

Como instalar o KDE 4.1 beta 1 no Ubuntu 8.04

kde desktop kde 4.1 ubuntu

Ainda não chegou à versão final, mas já está disponível para o Ubuntu e respectivas variantes um repositório com a primeira beta do KDE 4.1. Como esta não é ainda a versão estável deste gestor de desktop e eu não tenho paciência para estar a usar um desktop potencialmente não tão estável como eu gostaria, prefiro não adicionar este repositório por enquanto. Mas quando a versão final sair, é a primeira coisa que faço.

Entre as muitas novidades desta primeira beta do KDE 4.1 estão o maior número de aplicações já a utilizar o QT4 – como o Kontact, a PIM do KDE -, mais opções de configuração do desktop e a maior maturidade do Plasma, um componente essencial do KDE4.

As instruções para adição do repositório e instalação do KDE 4.1 beta 1, assim como a link do repositório, estão no site Ubuntugeek.com. Usem, mas não abusem. 😛

Rapidshare – Novo design, aumento dos limites e o novo TrafficShare

Rapidshare site

Muito se tem falado acerca do sistema de protecção CAPTCHA ridículo usado pelo Rapidshare, no entanto o Rapidshare parece não estar para ai virado e empenhou-se a melhorar o seu site a outros níveis.

O RapidShare apresentou hoje a sua nova interface, com um novo logótipo e grandes novidades para os utilizadores premium.

Agora os utilizadores Premium, em vez de terem um limite de 25GBs de downloads por cada 5 dias, têm o dobro desse tamanho, ou seja, viram o seu limite de download dobrado para os 50GBs.

Para além disso, uma grande novidade é o TrafficShare que permite fazer com que os seus ficheiros estejam disponíveis para download directo sem que os free users tenham que esperar pelo tempo imposto pelo RapidShare ou necessitem de preencher o CAPTCHA. Este serviço terá um preço adicional.

A página está bastante mais limpa, sem excessos de publicidade, adoptando por uma filosofia minimalista.

Android será 100% Open Source

Logo do android

Segundo diz o Google, ao contrário do que se tem dito, a plataforma Android, bem como todos os seus componentes e bibliotecas necessárias para fazer o port da plataforma para novos dispositivos, serão totalmente opensource para uso comum.

A licença usada será a ASL v2, ou seja, Apache Software License v2, usada também em projectos como o servidor HTTP Apache, o Tomcat e muitos outros grandes projectos opensource, existindo apenas duas excepções como é o exemplo do software que já está actualmente coberto por licenças, como é o caso do kernel Linux que usa a GPL ( Gnu Public License ) e ainda no que toca ao software Eclipe, que será licenciado pela licença Eclipse Public License (EPL).

O que poderá não ser open-source, serão as aplicações 3rd party criadas por desenvolvedores, que poderão ao abrigo da licença ASL v2, escolher qual será o licenciamento a proteger o seu software. Ou seja, o desenvolvedor poderá escolher se deseja ou não partilhar o código.

CDs gratuitos de Sistemas Operativos OpenSource

CDs Gratuitos

Apesar de muitas pessoas ainda não terem conhecimento, existem vários sistemas operativos gratuitos e open-source que poderão usar sem ter que gastar dinheiro para usufruir dos serviços do mesmo.

No entanto, hoje em dia não é apenas o código destes sistemas operativos que é gratuito, mas inclusive são distribuídos CDs gratuitos com o sistema operativo.

As empresas responsáveis pelos sistemas operativos, vêem assim uma maneira de promover o software livre e de convencer as pessoas a testarem uma alternativa.

Para aqueles que estejam interessados a testar uma alternativa ao sistema operativo que usam, o WebTuga deixa aqui alguns sistemas operativos que pode receber gratuitamente em casa, preenchendo apenas um simples formulário.

Ubuntu ( Canonical )
edubuntu ( Canonical )
kubuntu ( Canonical )
OpenSolaris ( Sun )
Unbreakable Linux ( Oracle )

Preencha os formulários, espere umas semanas e terá em sua casa os CDs com os respectivos Sistemas Operativos.

Elisa – Media Center Open-Source

Elisa - Media Center OpenSource

Chegou o novo Media Center Open Source que funciona com a maior parte dos sistemas operativos.

Chama-se Elisa, e è uma espécie de Front Row mas em open source, e está disponível para OSX, Windows e Linux.

Deixo aqui algumas das características deste programa:

  • Suporta: H.264, MPEG 2, MPEG4, Quicktime, Windows Media, Ogg Vorbis, Ogg Theora, Matroska, etc…
  • Detecta automaticamente toda a media na vossa rede ( network )
  • Suporta Touchscreen e controle remoto
  • Pode-se visualizar imagens e fotografias usando Cover Flow, Grid View e List View
  • Contem um Internet radio browser

Vão ser adicionadas mais funções na próxima versão, entre elas a possibilidade de aceder ao Youtube, Flickr e Pikeo.

Mascotes Euro 2008 - Flix e Trix

Portugal @ Programar festeja 3º aniversário

Portugal @ Programar

Apesar de não ser uma comunidade onde tenha participação activa, o projecto Portugal @ Programar tem sido um ponto de referência para todos os programadores portugueses.

Um dos projectos levado a cabo pelo P@P que mais admiro é a revista online PROGRAMAR, com artigos sobre os mais diversos tipos de linguagens de programação e técnicas que podem ser usadas no dia a dia do uso das mesmas.

Para além da revista PROGRAMAR, a equipa LinTeam também é um ponto alto desta comunidade. Equipa esta que fora anteriormente de outra comunidade e da qual fazia parte com alguns membros que ainda hoje a constituem.

O fórum conta com uma participação positiva entre os membros que se dedicam à entreajuda, à critica e à partilha de informação.

O Portugal @ Programar realiza hoje o seu 3º Aniversário, resta-me a mim desejar-lhes a todos os parabéns e que continuem com o excelente projecto que têm realizado até ao dia de hoje.

Parabéns Portugal-a-Programar

WordPress – 5 anos de …

Wordpress 5 anos

O WordPress é sem dúvida o CMS do momento. A cada dia são mais os blogs criados na plataforma WordPress e até mesmo sites empresariais a usarem esta solução.

Tivemos o lançamento do WordPress 2.5 que foi bastante bem recebido pela comunidade mundial de bloggers e os rumores das novidades do WordPress 2.6 já colocaram a maioria dos bloggers eu euforia.

Mas hoje em especial, é um dia bastante importante para o WordPress, pois este completa o seu quinto aniversário desde que foi lançada a sua primeira versão.

5 anos de WordPress e de muita evolução, parabéns ao Matt e à restante comunidade de designers, desenvolvedores e tradutores que têm cada dia ajudado a melhorar o funcionamento e desempenho deste script.