Porque é que os projectos web falham?

Projectos Web

O WebTuga existe à quase 4 anos e tem tido os seus altos e baixos, no entanto nunca pensei em desistir deste projecto pois mesmo que existam pessoas que não apreciem o projecto, sei que existem outras que o apreciam e ao mesmo tempo sei dar valor ao trabalho que tem sido desenvolvido por mim e por algumas pessoas da equipa WebTuga.

No entanto, não é acerca do WebTuga que eu quero falar, mas sim acerca dos projectos que nascem e morrem de um momento para o outro sem deixar rasto. Quando comecei a trabalhar no projecto WebTuga, lembro-me de existirem várias comunidades, vários sites e vários projectos e pessoas individuais e pequenos grupos. Alguns desses sites faziam parte das minhas visitas diárias, no entanto com o passar do tempo esses projectos morrem, alguns deles ainda existem, se bem que não têm manutenção à anos. Posso avançar que cerca de 90% dos sites que à dois anos tinham qualquer tipo de parceria ou amizade com o WebTuga, já não mais existem.

É uma triste realidade que infelizmente acontece ainda hoje. Vejo pequenos projectos, blogs, fóruns que passado um mês do seu lançamento, são deixados ao abandono ou simplesmente vendidos a outras pessoas que não sabem o que fazer com aquilo.

Na vossa opinião, qual é a principal razão que leva à “morte” destes projectos? Será que as pessoas se iludem por pensar que um projecto alcança o topo logo nos primeiros dias?

Deixo referência a alguns dos projectos aos quais me refiro: TucowsPT, FRevolution, Imagem do dia, Speedway Informática, entre outros…

32 thoughts on “Porque é que os projectos web falham?

  1. O tucows era muito bom naquela altura, mas a inovação acabou por matar esse projecto já que o tráfego nacional passou em muitos casos a ter um grande aumento, ou até mesmo ficar ilimitado, e então o website não reagiu a essa mudança e acabou por morrer, já o imagem do dia também era um óptimo site de humor, só que talvez a massiva criação de blogs de humor, deixaram as imagens para traz e os vídeos começaram a reinar nesse mercado.

  2. Acho que o problema está mesmo no trabalho que dá, nas expectativas criadas e nos rendimentos a curto prazo!!!

  3. Um projecto que não tenha uma forma de se financiar, morre. São muitos os custos com servidores, pessoal, etc. E sem financiamento não se pode crescer. É tão simples como isto.
    Quanto aos blogs e fóruns, muitos são criados por miúdos estudantes, quando chegam ao mercado de trabalho não têm tempo nem paciência e abandonam os projectos, pois têm um outro tipo de vida pela frente.

  4. @Jorge Lima

    Também acho que sim. Não falando nos projectos que referi no post, mas em alguns que nascem todos os dias, são criados por jovens que pensam que vão ficar milionários no primeiro mês do lançamento de um blog com 3 ou 4 artigos.

  5. O grande problema dos webmasters é a falta de tempo!! Já vi grandes blogues que grande percentagem de actividade e hoje em dia “morrerem” ou estão desactualizados…

  6. Eu acho que os projectos morrem porque as pessoas, hoje em dia querem tudo imediato, criar um site 1 mês depois já todos o conhecem e ao fim de um ano já são um “Twiter” ou um “Google”, pois é essa a história que lhes vendem, pois se até o Bil gates “começou numa garagem” e agora é o mais rico de mundo … porque não eu.
    Infelizmente como já muitos sabemos está longe de ser assim, manter um site dá algum trabalho se for sozinho pode até dar muito … “vender/publicitar” dá ainda mais trabalho e os €€ onde é que andam eles.

    O que digo é que por cada 100 ou 200 mil que desistem aparece um google e só por isso já vale a pena haver tantos a tentar.

  7. @eiqrop

    Isso é uma verdade, o próprio Twitter só começou a ter popularidade nos últimos meses apesar de ja existir há vários anos.

  8. As pessoas criam as cenas e dps esperam ter visitas assim do nada.

    Dá muito trabalho ter um site/projecto na net k seja “famoso”

    Ou a ideia é fantástica (google, MySpace, twitter…) ou então é uma ideia igualas outras, mas que se tem de destacar por outros motivos, seja por qualidade, seja pelo que for.

    É como um negocio “na vida fora da web”, tem que se investir para crescer, sem investimento mais vale nem tentar :)

  9. Para mim o grande problema, é o preço que se paga por um domínio, se custassem bastante dinheiro, as pessoas pensavam bem antês de realizar qualquer projectos, as coisas seriam mais bem pensadas, hojé em dia um blog não tem sucesso, no outro dia já tem outro blog, porque por 5 ou 6 dollars tens um novo dominio e por ai adiante, e graças aos pagotes de alojamento com dominios ilimitados, tb não ajudam nada.

  10. Eu acho que os projectos web morrem porque primeiro, não tem financiamento.

    Depois os webmasters pensam que manter um website é fácil. Não o é, definitivamente! Dá trabalho: do nada, um problema pequenino(ino-ino-ino!) pode bloquear o site ou deitar abaixo o trabalho de meses.

    E há aqueles (como eu, reconheço!) que pensam que criar um website dá-lhes logo visibilidade na internet. E isso não é verdade!

    Hoje tenho um projecto, que não tem muito sucesso, reconheço, mas não penso desistir dele. Aliás vou melhorá-lo!

    Abraços!

  11. Mesmo antes desta nova geração web2.0, muitos projectos já tinham desaparecido completamente ou ficaram abandonados no respectivo domínio sem ser actualizados, exemplo disso A revista on-line BuBix e outros portais sobre segurança e linux que tiveram destaque entre 1997-2001.

    Claro que falo de projectos criados nos finais dos anos 90, desenvolvidos por jovens que hoje ultrapassam os 30 anos e que já não tem tempo nem paciência para este tipo de projectos.

    É a própria evolução da Internet. Hoje é 10 vezes mais simples lançar um projecto que à 10 anos atrás, o valor do hardware, dos serviços web está extremamente barato.

    Falta é criatividade e lançamento de projectos invulgares.

  12. Em excelente artigo e não há dúvidas que é uma questão muito pertinente nos dias que correm. Eu acredito que o insucesso de alguns projectos deve-se ao facto das pessoas responsáveis não terem as motivações certas. Alguns querem o dinheiro rápido, outros o reconhecimento imediato, algo que é quase sempre impossível. E depois existem jovens que criam projectos sendo que alguns não possuem qualquer capacidade para os gerir e mais cedo ou mais tarde isso vem ao de cima e outros, como já foi referido, estão demasiado ocupados pelos seus trabalhos que acabam por não ter tempo para continuar com esses mesmos projectos.

    Cumprimentos

  13. Lembro-me de um site que fazia as minhas delicias que era o digito.pt tenho pena do seu fim… eu proprio ja tive um site de uma comunidade, esse dedicado à música, e apesar do mto sucesso que teve pus-lhe um fim porque simplesmente cheguei a um ponto em que pouca ou nenhuma evolução poderia haver… ia ser a mesma coisa constantemente… tive-o durante 7 anos e acaba por cansar e tornar-se desgastante e desmotivante.

    Hoje, 10 anos passado da criação do meus estou mais motivado a torna-lo uma revista em formato digital (pdf) do que a torna-lo de novo um site… go figure… back to the roots :p

  14. Acho que também há exemplos em que os projectos se tornam o “trabalho oficial” dos indivíduos, de onde pretendem tirar toda a fonte de rendimentos. Depois o projecto corre mal, e faz-se peditório aos utilizadores… Mas neste caso o projecto não morreu, apenas foi morto. (que frase fantástica)

  15. Cenourinha excelente discussão que lançaste aqui no webtuga e é um tema sobre o qual tenho pensado ultimamente.

    Eu nunca deixei nenhum projecto meu morrer até hoje e apoio vários projectos apesar de normalmente me deixar abater e perder o interesse por eles e porque se dá isto?

    Isto dá-se não pela falta de dinheiro porque primeiro não sonho ganhar a vida com um projecto, não para já pois não invisto o suficiente, segundo porqeu eu ganho dinheiro no meu trabalho como freelancer por isso consigo manter os projectos à vontade.
    Mas a principal razão para ficar desmotivado é a falta de feedback por parte da comunidade portuguesa, o propósito do meu blog (http://joaopedropereira.com/blog/) é divulgar conhecimento de forma livre pois acho que este deve estar acessível a todos e em língua portuguesa porque em inglês existem muitos recursos. Ora eu escrevo em Português e apesar de ter um tráfego de cerca de 70 visitas unicas diárias, às vezes mais, sendo a maioria dos visitantes o público alvo do meu blog não há muitos comentários, discussão, etc. e isso desmotiva alguém que está a partilhar, que sabe que existem pessoas interessadas a ler mas que nada exprimem, não dizem que está bom, que estão mau, que está muito fraco, que devia melhorar isto ou aquilo, nada. E como o meu blog há outros projectos em que as pessoas apenas usufruem e nada partilham, complementam, contribuem. E isso faz com que quem esteja a trabalhar perca o interesse pelo trabalho pois este não é reconhecido.
    Mesmo o webtuga que é um grande portal/blog é um desses casos, se formos ver à quantidade de leitores que o webtuga tem é um número muito diminuto dos que comentam. (já comentei isto há uns tempos atrás aqui no webtuga)

    E isto está mal! Mas a maioria das pessoas não está minimamente interessada nisso… Estou aqui a gastar o meu teclado provavelmente para nada…

    Como corrigir isto?

    Passar a dar mais feedback, é tão simples… 1 ou 2 min podem fazer a diferença.

    Nenhum projecto pode ser bem sucedido sem algum investimento ou dedicação.

  16. As principais causas são que pensarem que em curto espaço (1 a 2 meses), facturam logo 500€ p/mês, e assim não fazerem mais nada na vida. Infelizmente só um grande projecto é que pode facturar valores a esse nível, mas para lá chegar é necessário muito trabalho, ao que nem sempre estão dispostos ou não é possível devido ao horário pessoal.

    Por esse motivo se vê toneladas de pequenos projectos, visto que estes já não são precisos actualizações… e lá vão ganhando uns trocos para pagar a gasosa do carro ou algumas despesas extras.

  17. Estive a ler as várias respostas a este artigo e penso que a que melhor ilustra o problema que existe com projectos médios e pequenos é exactamente a falta de feedback.
    Um jovem não cria um blog para ganhar dinheiro… pelo menos não directamente… Talvez coloque uns adds ou sponsors ou algo desse género, mas tem noção de que não vai ganhar milhares assim.
    O que se procura com a criação de um blog, de um twitter, e desse género de projectos é RECONHECIMENTO e não fortuna!
    Queremos partilhar informações, conhecimento! E para fazer esta partilha é necessária vontade e motivação. Ao princípio todos a temos. Mas com o passar dos meses (ou em alguns casos semanas) esta motivação vai-se perdendo. E não é por falta de dinheiro a entrar nos bolsos. Nunca foi. É por falta de comentários. De participação por parte dos leitores. Um comentário do género “Um artigo deveras interessante. Parabéns! Continua” parecendo que não, motiva.

    Se formos ver blogs espanhóis ou ingleses vemos lá comentários. É a verdade. A mentalidade portuguesa é esta: “Se está bom não é preciso dizer… Se está mau vamos cair-lhe em cima”. Deviamos pensar “Ah e tal, um artigo porreiro, vou dar-lhe um incentivo a continuar a postar” em vez de pensarmos “oh… isto também eu fazia…”.

    Estou a centrar-me no caso dos blogs porque foi um projecto que tive e que, infelizmente, não consegui levar adiante… 18 artigos que criei, durante 2 anos apenas recebi 5 comentários… Muito mas mesmo muito pouco feedback…
    Desmotivação é gerada por falta de feedback 😉

    E o feedback não começa sozinho… um artigo que já tem cinco ou seis comentários dá-nos vontade de também expressar a nossa opinião, enquanto que um artigo onde lemos: “Comentários (0) »” não nos dá vontade absolutamente nenhuma. Mas temos de ser nós a dar o primeiro passo em vez de deixarmos tudo para os outros…

    Não me alongo mais.
    Luís Pereira

  18. Eu também tinha um pequenito projecto e estava bem colocado na Pesquisa do Google.pt por “travian tools” andava por 4º ou 5º e se bem me lembro ainda anda por lá.

    Eu não esperava qualquer remuneração, porque também nem coloquei nada a pensar nisso.

    O que levou o projecto a ficar parado foi mesmo a falta de tempo, e nenhum conhecimento de Programação Web na altura, mas agora como já adquiri bons conhecimentos de PHP Mysql e webdesign (CSS) e estou a aprender Javascript e Ruby on Rails.
    Estou sériamente a pensar renovar o projecto e até lhe dar hospedagem própria.

  19. Expectativas… creio que é mesmo as expectativas… quando começamos um projecto temos a expectativa de, ao fazermos algo à imagem do que gostamos, toda a gente vai gostar.
    Após o primeiro mês, ou mesmo ano, a falta de remuneração, seja ela de feedback seja monetária, acaba por deitar abaixo as expectativas…
    Outra coisa é a falta de tempo… falando por mim que trabalho a tempo inteiro, e tenho uma filha a tempo inteiro em casa, é raro o dia em que consigo chegar e investir um pouco no meu site.
    A coisa que me mantém no activo, é mesmo o e-mail ocasional que recebo a pedir informações sobre isto ou aquilo, muitas vezes que nem está presente no site…
    Outro problema é o peso do legacy… No meu caso, um portal iniciado quando o TIger ainda era o MacOSX do momento, grande parte dos posts que pus na altura com a pujança do lançamento, acabam por requerer agora actualização, para a qual não há tempo, e a remuneração não existe. Por isso… acaba por ficar um pouco ao abandono em termos de qualidade.

  20. É pelas expectativas a falta de apoio recebido, em maior parte das vezes. Outras é falta de motivação e imaginação. Há diversos motivos. Não é um assunto de grande discussão, porque não há muitos limites, mas maior parte das vezes é por falta de paciência para escrever, imaginação ou falta de acompanhamento e apoio. Digo isto por experiência própria, porque quando recebemos comentários, só queremos é fazer mais, mais e mais!

  21. Penso que no geral já foi tudo dito aqui. Mas reitero que para mim a falta de feedback é o maior desmotivador dos criadores de conteúdos. Eu pessoalmente, quando o blog/site está no meu idioma, é muito raro não comentar. Não me custa mesmo nada!…

  22. Mas, Pedro Magalhães, maior parte dos comentários que recebemos são com o propósito de publicitar o seu blogue/website/fórum e acaba-se por, muitas vezes, destruír o conteúdo do blogue.
    Gosto, pessoalmente, que me comentem o blogue construtivamente, nem que seja uma piada perante o post, mas convém ser construtiva!

  23. creio que o maior problema desses projectos “falhados” é a falta de persistência. vencer com um projecto web é uma tarefa árdua e que leva os eu tempo. raramente um projecto para vencer o consegue em poucos meses. é necessário inovação, qualidade de conteúdo e de visual e sobretudo persistência.

    não concordo muito quando dizem que o problema é dinheiro. criar um site e mantê-lo hoje em dia é barato.

    falta de persistência é o maior entrave ao sucesso!

  24. Alojamento web embora seja necessária persistência e inovação, se tivermos um blog, por exemplo, em que andemos a “pregar para as moscas” não continuamos muito tempo…

    O Feedback também é importante para além da insistência… Continuo a afirmar que seja esse o principal problema… E verifica-se muito em Portugal a falta de feedback…

    Se reparares, este blog continua e tem feedback. E não necessitou de muita inovação. É um blog normal. Só que houve quem começasse a comentar e as outras pessoas vêm em atrás! Nem que seja para contra argumentar algum comentário…

  25. Concordo Luis, a motivação é também muito importante para ajudar na “persistência” que falei principalmente o incentivo dado por todos os leitores do nosso projecto web.

    É para eles que trabalhamos e é deles que vem o maior incentivo para continuarmos com os nossos projectos.

  26. Sim, Luís, concordo plenamente, aliás, como já tinha referido: são necessários comentários para dar continuação a um blogue. A não ser que o blogue pouco nos interesse e estejamos a escrever porque não temos mais nada para fazer.
    Eu, pessoalmente, aprecio e muito que me comentem com qualidade, tal como gosto de fazer aos outros.

  27. O xoose faz parte dos 10% que ainda sobrevivem desde a altura que o webtuga foi criado 😛

  28. Eu posso dizer que o mesmo me aconteceu e concordo muito com o Jorge.
    Tinha muitas expectativas! Pensava “O que tem para correr mal? Tem tudo para correr bem!” mas enganei-me redondamente. Com o mesmo dominio fui até tentando novos projectos se bem que o último não correu mal mas deixei-o. Foi a falta de tempo. Decidi que só quando crescer e tiver ideias mais bem definidas é que entro em projectos. Entretanto misturo-me e ajudo alguns projectos e observo-os. :)

  29. Hoje em dia são criados milhares de sites por dia e sem qualquer tipo de fundamento, é msm assim não deixem é o site no ar e sem actualizações.

    Depois existe e muito bem dito a motivação, os elogios e não aquele que é so mais 1, comentar é muito importante e claro bom conteudo.

  30. Acho que normalmente os sites (e não projectos) acabam devido à falta de tempo, a problemas financeiros (falta de retorno), ou mesmo por questões legais.. já houveram alguns exemplos de bons projectos a fechar por questões legais.

    No meu caso foi a falta de tempo, desde que trabalho deixei completamente de ter tempo para o site, e claro, embora o site ainda aguenta-se muito tempo sem ser “apanhado”, aproveitei um bocado a onda de “fechar portas” antes de ser abordado pela justiça..

    Ficou para trás um projecto de aproximadamente 7 anos, que não me arrependo de ter mantido e fechado na altura certa.

    Cumprimentos a todos,

  31. Isso e’ verdade as coisas teem de ser muito bem pensadas! tenho um projecto em maos a quase 2 anos e ainda nao o lancei porque sinto que ainda lhe falta algo! Os internautas de hoje em dia querem coisas que sejam inovantes, interessantes e que os faça sentir bem quando entram na comunidade!
    Tem de haver um grande espirito de equipa para alcançar bons resultados!

    Se alguem tiver interessado a arriscar comigo apite :p

    hallaa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>