Gazelle by Microsoft

Depois do Kumo, trago-vos o Gazelle, outro projecto recente da Microsoft

Gazelle é o nome do novo browser da Microsoft (não é bem o nome de um novo browser, mais a frente explico), este projecto está entregue à Microsoft Research, não tem nada haver com a equipa do IE, o que ja por si é um bom sinal.

A guerra dos browses tem estado ao rubro, Apple apresentou um novo Safari, o Chrome da Google famoso pelas suas abas, o Firefox da Mozilla está cada vez melhor, e ainda ha o Opera, no meio disto tudo há o IE com resultados de render e performance vergonhosos. A Microsoft tem um problema grande nas mãos, precisa de um browser rápido e seguro para ser competitiva.

O este projecto é diferente dos actuais browsers, comporta-se como um sistema operativo, é aí que entra o nome GAZELLE que é o nome do kernel do browser

De acordo com um documento publicado recentemente pela empresa, a ideia por trás do Gazelle é criar um mecanismo que funcione como um sistema operativo, controlando todos os recursos do sistema  a princípios de websites. Com isso, a Microsoft espera obter muito mais segurança e robustez, ao mesmo tempo oferecer uma performance aceitável e retrocompatibilidade.

“Não obstante, nenhum browser existente, incluindo novas arquiteturas como IE 8, Google Chrome e OP, possui uma construção de SO multi-principal que dá ao sistema baseado no navegador, normalmente chamado Kernel do Browser, o controlo exclusivo para protecção e a partilha justa de todos os recursos do sistema entre os princípios do navegador”, explica a empresa.

Para já é apenas um projecto de pesquisa da Microsoft, já existe um protótipo funcional e em testes, com performace e resultados “aceitaveis” segundo a mesma, em 19 dos 20 sites mais famosos do Alexa.

Será este o trunfo da Microsoft para guerra dos Browsers?

Alojamento Web

Kumo by Microsoft

Kumo é o nome de código para um novo motor de busca da Microsoft, é a nova cartada de Redmond para combater o Google e a Yahoo.

Este novo motor de busca está apenas disponível para os funcionários da Microsoft, os testes são fechados. Algumas fugas de informação já anda pela Internet, uma delas é a nota do vice-presidente sénior de I&D da Microsoft, Satya Nadella, aos funcionários, onde diz que esta ferramenta tem como objectivo solucionar alguns dos problemas mais comuns dos motores de busca, organizando e simplificando os resultados.

já há imagens do kumo na net, aqui fica uma delas, onde existe uma sidebar onde o kumo nos dá rápido acesso a dados de uma cantora e onde sugere pesquisas relacionadas

kumo
kumo

fiquem bem

Alojamento Web

codename: Leonidas

Depois de Werewolf (Fedora 8), Sulphur (Fedora 9), Cambridge (Fedora 10) está a chegar o Leonidas (Fedora 11)

Fedora 11 já está disponível em versão alpha.

Esta versão ainda tem falhas, problemas e funcionalidades incompletas, quem o diz são os reponsaveis pelo projecto. Mas o que é que podemos esperar (da versão final) deste novo Fedora? tempos de arranque mais pequenos (20 segundos é o valor prometido pelo pessoal do Fedora Project) ambiente gráfico Gnome 2.24, KDE 4.2 RC2 e Xfce 4.6, sistema de ficheiros Btrfs e Ext4, Windows Cross Compiler, novo sistema de controlo de volume,  NetBeans 6.5, Python 2.6,  X Server, Git 1.6.1.1… entre outras novidades.

link: http://fedoraproject.org/en/get-prerelease

Leonidas foi o nome escolhido por votação pela comunidade Fedora, na votação estavam nomes como Zampone, Euryalus, Duchess, Blarney Claypool, Brasilla e Indomitable


será que iremos ver um grito “This is FEDORAAAAA” no combate dos novos sistema operativos?

Abraços, Bom fim de semana

Alojamento Web

Guerra Santa

Todos têm uma fé. Uns acreditam em Delphi, outros em Java. Há ainda os discípulos de C, de Visual Basic, HTML e outras tantas igrejas menores. São programadores, mas poderiam muito bem ser chamados de pastores.

Jamais duvide da linguagem preferida de um programador. Pode ser o caminho mais curto para a fogueira da Guerra Santa Virtual.

Como não podia deixar de ser, também cultivei a minha religião. Ainda brincava com BASIC, sem fazer nada de importante, quando conheci o Pascal. Um amigo baixara algumas apostilas de um BBS – ainda não se acedia à Internet – e assim que li fiquei convertido.

Pela primeira vez na vida vi uma linguagem estruturada. Tudo muito lógico, restrito e, ao mesmo tempo, flexível. Talvez não tão eficiente quanto o todo poderoso C, que conhecia de fama, mas muito mais eficaz que o BASIC e perfeita para a correcta aprendizagem da programação.

Devorei os tutoriais todos e em questão de dias já fazia programas em Pascal que nunca conseguira fazer em BASIC.

Convertido, jurei nunca mais usar “goto” e sempre adorar a estrutura perfeita das constantes, variáveis e sub-rotinas, organizadas e declaradas previamente, Já havia versões estruturadas de BASIC por aí, mas sempre era possível numerar as linhas e desviar o programa usando “goto”, uma verdadeira blasfêmia a ser evitada.

Veio então a interface gráfica, e o computador ficava cada vez mais acessível aos impuros e infiéis humanos normais. Apanhei o comboio um pouco tarde, quando Windows 95 já se firmava como padrão de mercado e comecei a desenvolver em Delphi, que era baseado em Pascal. Percebi, porém, que apesar da minha firme convicção, as linguagens ditas inferiores não desapareciam. Pior.

Percebi que era possível sim, desenvolver programas bons até mesmo em Visual Basic. Minha fé perdera o sentido de ser.

Pode ser difícil de admitir, mas a sua linguagem de programação preferida, assim como a sua equipa de futebol, não ganha sempre. A evolução, já dizia Darwin, depende da selecção natural e da diversidade. Não importa o quanto se batalhe e dicuta, haverá sempre  alguém fazendo um programa melhor que o seu, na linguagem que você mais odeia. E não adianta nada deita-lo na fogueira.

Tentaram esse método há uns mil anos atrás e não deu certo.


resolvi partilhar com vocês esta cronica da revista PC Master (Ano 5, Edição 51, Por Leandro Calçada). O texto demonstra na perfeição a realidade… todos nós (programadores) por uma razão ou por outra gostamos mais de uma linguagem de programação e conscientes da nossa convicção defendemos-la até ao fim, quem diz linguagens de programação, diz sistemas operativos… somos todos seguidores de alguma coisa.

Eu digo, ainda bem que não concordamos em tudo e ainda bem que existe alternativas e concorrência.

Darwin tinha razão, a evolução depende da selecção natural e da diversidade… será sempre assim…

Bom fim de semana, Cumprimentos

Alojamento Web

E ao sétimo dia descansou…

O novo sistema operativo da Microsoft tem me despertado o interesse, tenho seguido o seu desenvolvimento, depois do Vista era certo que a Microsoft não teria margem para falhar, era preciso algo rápido leve e estável… e parece que conseguiu.

Está disponível para download a versão beta 1 do Windows 7 ( build 7000.0.081212-1400) até dia 12 de Fevereiro no site da Microsoft

A instalação ficou mais rápida, a Microsoft cortou nas aplicações e emagreceu o sistema, programas como o PhotoGallery ou o Movie Maker são agora oferecidos como download opcional dentro do pacote Windows Live Essentials, a instalação fica completa em menos de 20 minutos.

A barra de tarefas foi remodelada, está diferente, é uma das peças fundamentais do novo sistema e trás uma melhoria considerável ao fluxo de trabalho, esta nova barra a nível visual está brilhante e transparente, em termos de funcionalidades as principais alterações registam-se nos atalhos para as aplicações, são apresentados atalhos para as aplicações mais usadas e para os programas que estão abertos, podemos alterar a ordem dos atalhos, pré-visualização em conjunto…

A Sidebar desaparece e as gadgets podem ser aplicadas em qualquer parte do ambiente de trabalho, Windows Media Player 12 foi renovado, trás mais suporte para formatos de vídeo e áudio, este novo Windows reconhece mais e melhor todo o hardware, mais opções de personalização, janelas com capacidade de auto-ajuste… e muitas mais novidades.

Este novo Windows corre bem num netbook, com transparências e  os gráficos Aero3D ligados.

Em conclusão, é notório o esforço por parte da Microsoft em facilitar o uso do novo sistema operativo e em torna-lo leve, se gostou do Vista vai adorar o 7, se ainda usa o XP está a chegar a altura certa para dar o salto. A Microsoft deu ouvidos aos utilizadores e criou o seu melhor sistema operativo… no entanto é importante que se lembre que ainda estamos perante uma versão beta


Bons testes, Cumprimentos

Alojamento Web

Web 3.0

Enquanto muitos ainda estão a tentar perceber o que é a Web 2.0 já se fala no que poderá vir a ser a próxima geração da web, a Web 3.0. Estes termos são mais do que modas e marketing.

A Web 3.0 é conhecida também como Web Semântica, será capaz de analisar toda a informação e liga-la entre si, as páginas vão ser feitas para ser lidas por pessoas mas também por máquinas, vamos afastar-nos das pesquisas por palavras-chave, a Internet aos poucos e poucos deixará de ser um mundo de documentos e passará a ser um mundo de dados (dados que descrevem dados). Para que isto aconteça será a importante a combinação de linguagens e tecnologias como o RDF (Resource Description Framework) com OWL (Ontology Web Language) e o XML (eXtensible Markup Language) que farão com que a informação possa ser analisada, percebida e usada por maquinas.

A Web Semântica… perdão, a Web 3.0, poderá demorar ainda uns anos a ser conseguida, os browsers terão de evoluir, serão precisas estruturas de dados mais complexas quase como um segundo nível de informação por baixo da web, vai ser quebrada a barreira entre o desktop e a web, a Web 3.0 terá mais matemática e mais engenharia, grande parte dos web sites serão web services.

Há empresas apostar em standards de web semântica como a Yahoo, empresas como a Polar Rose estão a melhorar a pesquisa através de imagens, a Microsoft e a Google estão a avançar para tecnologias 3D…  ninguém sabe ao certo como será o aspecto da terceira geração da Web mas uma coisa é certa… vai acontecer.

Está em curso uma mudança radical na forma como criamos e usamos a Internet, a Web 2.0 elevou a Internet a um nível diferente, é hoje uma plataforma de inteligência colectiva. A Web 3.0 será a materialização da web como agente inteligente.