Na guerra contra os downloads ilegais, a privacidade não interessa para nada

O combate aos downloads ilegais não para e as medidas para os travar são quase sempre tão estúpidas que nem dão vontade de rir. Um exemplo destas medidas vem de França.

No próximo verão, o governo francês, encabeçado pelo actual namorado de Carla Bruni, planeia aprovar um diploma que irá permitir aos ISPs cortar o acesso à Internet aos utilizadores que descarregarem ficheiros de redes P2P.

Em declarações ao Financial Times, o secretário geral do Autorité de Régulation des Mesures Techniques (Autoridade de Regulamentação de Medidas Técnicas) diz que esta é apenas uma medida transaccional para que a industria musical tenha tempo de se adaptar aos novos tempos.

Não é por nada, mas a indústria musical já teve, pelo menos, 5 anos para se adaptar. Se ainda não o fizeram, foi porque não quiseram. Tudo bem que os governos queiram impulsionar essa mudança, mas permitir que os ISPs espiem os seus cidadãos? Voltámos ao tempo do Hitler? Não tarda nada cada um de nós tem um dossier nos serviços secretos. Mais valia porem um polícia em cada um dos lares de França a monitorizar os cidadãos. E também instalarem vários keyloggers e outros spywares para poderem saber o que os franceses visitam.

Quando a privacidade dos cidadãos não interessa a um governo, algo de muito preocupante se passa.

via Ars Technica

Author: Bruno Miguel

Blogger, apreciador de cerveja e defensor do software livre, corre um sistema GNU/Linux de acordo com Stallman e sem quaisquer bugs - apenas com funcionalidades não desejadas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.