Oxite – plataforma de blogging OpenSource da Microsoft

Oxite

E quando hoje escrevi a falar do interesse da Microsoft em relação ao OpenSource, parece que não disse nada que não fosse verdade.

Ao que parece, a Microsoft lançou hoje uma plataforma de blogging opensource. Oxite é o nome do gestor de conteúdos lançado pela Microsoft sob a Microsoft Public License.

O software integra a API do Gravatars, tem pingbacks e tracksbacks, RSS feeds, comentários e a MetaWebLog API que permite a utilização de um cliente de blogging para escrever directamente para um blog desenvolvido na plataforma Oxite.

O único senão desta plataforma é o facto de ser desenvolvido em ASP.net como seria de esperar, o que impossibilita correr um blog com Oxite em servidores Linux (pelo menos sem recorrer a ferramentas de virtualização ou emulação da línguagem).

O Oxite está disponível no novo site CodePlex.

Alojamento Web

Revista PROGRAMAR – 15ª edição (ASP.net / Lucene / Python / IPv6)

Revista PROGRAMAR

A Revista PROGRAMAR já vai na 15ª edição e desta vez o tema de capa é o Estado da Virtualização em ASP.net.

Para além disso existem outros artigos bastante interessantes como é o caso do “Lucene – Programar um motor de busca” que ensina a como usar a biblioteca Lucene para desenvolver um motor de busca e também demonstra uma aplicação em Python que recorre ao uso da Lucene (Pylucene).

Depois podemos também ler um artigo sobre IPv6, bastante interessante escrito por Ciro Cardoso.

Download: Revista PROGRAMAR – 15ª edição

Alojamento Web

Então e o “developers! developers! developeres”?!

Caros leitores, vou contar-vos a história de um "developer" que, depois de ter sido reconhecido por uma certa empresa, é agora ameaçado pela mesma. A história começa assim:

Era uma vez um programador inglês, de nome Jamie Cansdale.

O Jamie, como tinha algum tempo livre, resolveu desenvolver um add-on para o Visual Studio da Microsoft e chamou-lhe TestDriven.Net. A Microsoft, de tão agradada que estava com este add-on, resolveu conceder-lhe o prémio "Most Valuable Professionals", fruto do seu óptimo trabalho.

Como consequência deste prémio, o Jamie teve acesso a uma versão mais completa do Visual Studio. O Jamie ficou muito contente. Mas, infelizmente, o contentamento do Jamie durou pouco tempo.

Por volta de Dezembro de 2005, o Jamie começou a receber emails de um executivo da Microsoft chamado Jason Weber. Parece que o add-on desenvolvido por Jamie suportava a versão Express do Visual Studio, que é a versão "menos completa" e gratuita do Visual Studio, e a Microsoft não queria isso. Mas o Jamie tinha desenvolvido o TestDriven.Net na versão Express.

O Jamie foi acusado de violar a licença do Visual Studio Express. Alegadamente, ele teria tido acesso a APIs não disponíveis na versão Express ou então teria feito "reverse engineering" das APIs.

O Jamie disse que tinha usado apenas as APIs publicadas no MSDN, mas o Jason Weber não desistiu e voltou a insistir. O Jamie, fruto da pressão de Jason Weber, consultou um advogado.

Uns tempos depois o Jamie voltou a receber outro prémio "Most Valuable Professionals", para lhe ser retirado uns dias depois.

Como o Jamie, depois deste tempo todo, não tinha retirado o suporte do seu add-on para a versão Express do Visual Studio, a Microsoft decidiu por os seus advogados a escrever ao Jamie.

Nestas cartas, a Microsoft deu ao Jamie até às 16 horas do dia 6 de Junho para remover o suporte para o Visual Studio Express. O prazo já expirou. Como acham que esta história vai acabar?

A Microsoft, depois de acusar o Linux de infringir patentes, agora ameaça os programadores da sua comunidade.

Que mais é que eles vão fazer? Só falta mesmo processarem os próprios trabalhadores por causa dos bugs encontrados nos seus produtos. E, já de agora, processarem os seus clientes por serem afectados por esses mesmos bugs.

É mesmo caso para dizer: Então e o "developers! developers! developeres"?! Se estiverem interessados, podem ler os emails e as cartas aqui, aqui, aqui e aqui.

Fonte: The Register

Alojamento Web

Microsoft desenvolve framework para AJAX

A Microsoft apresentou oficialmente uma plataforma para desenvolvimento de aplicações em AJAX, com o nome de código Atlas.

Esta plataforma (ASP.NET AJAX 1.0) é uma extensão do ASP.NET que vem permitir o desenvolvimento de aplicações mais interactivas para a web, na plataforma .NET.

Com esta ferramenta, a Microsoft tenta aumentar as potencialidades e funcionalidades da plataforma .NET e tenta entrar no mundo dos web standards.

Em Setembro de 2005, a Microsoft tinha lançado uma versão para testes, mas só esta semana é que esta ferramenta gratuita conheceu a sua versão final.

O software está disponível para download aqui, sob a licença Microsoft Reference License (Ms-RL).