SocialDNS – Domínios gratuitos usando o protocolo go://

SocialDNS

SocialDNS permite o registo gratuito de um domínio em qualquer língua utilizando o protocolo go:// e associar a este informação como tags ou geo-localização.

Para utilizar o protocolo go:// poderá instalar os plug-ins para o Firefox e para o Internet Explorer e desta forma aceder aos cerca de 2530 domínios já criados neste projecto.

Poderá por exemplo entrar no WebTuga através do go://webtuga ou no WebTuga Hosting pelo go://alojamento. Caso seja webmaster, poderá também criar os seus próprios domínios gratuitamente e inclusive sub-domínios como go://forum.webtuga que direcciona para o nosso fórum.

Poderá ler mais informações, criar os seus próprios domínios, utilizar as APIs e obter o software opensource para criar um servidor socialdns no site oficial do projecto (url).

Alojamento Web

Google Public DNS

Google LogoO Google anunciou no seu blog oficial a disponibilidade de um novo serviço chamado de Google Public DNS que irá permitir uma forma alternativa de aceder aos endereços, substituindo assim os DNS Servers do seu ISP ou os actuais configurados no seu router.

Desta forma poderá resolver qualquer endereço bastante mais rápido, tornando assim o seu acesso às páginas web mais acelerado.

Caso não deseje utilizar os servidores de DNS do Google, poderá utilizar os do projecto OpenDNS ou até mesmo ver a nossa lista de alternativas ao OpenDNS.

Para além de ser mais rápido, os IPs dos servidores são também bem mais fáceis de decorar.

DNS Primário – 8.8.8.8
DNS Secundário – 8.8.4.4

Poderá encontrar as instruções de configuração do Google Public DNS na página Using Google Public DNS.

Alojamento Web

Hotmail, Gmail, Yahoo e AOL vitimas de Phishing

Gmail e Hotmail

Nos últimos dias foi publicada uma lista de contas de e-mail e respectivas passwords de vários serviços gratuitos de e-mail incluindo Hotmail, Gmail, Yahoo, AOL e outros.

Esta lista foi publicada no site PasteBin, conhecido por ser uma excelente ferramenta para partilha de código entre programadores.

Infelizmente, muitos bloggers e sites noticiosos estão a afirmar algo que é a meu ver uma falha devido à falta de pesquisa por parte de certas pessoas.

Posso criticar a Microsoft quanto às falhas de segurança do seu software, no entanto também estou cá quando é para defender.

O Hotmail não foi “invadido por hackers” ou de qualquer forma atacado. A técnica Phishing consiste em induzir o utilizador em erro ao levar-lhe a efectuar a autenticação numa página espelho.

Para evitar este tipo de situações deverá ter o cuidado de verificar se o url na barra de endereço do seu browser é efectivamente o endereço do serviço em que deseja efectuar login, pois poderá estar a efectuar login numa dessas páginas.

É também possível que pessoas mal intencionadas manipulem os servidores de DNS de forma a levar a pessoa a aceder a um outro servidor, mesmo que o endereço seja o mesmo.

Alojamento Web

Alternativas ao OpenDNS

OpenDNS

Se há coisa que detesto quando utilizo o OpenDNS é ser levado ao “motor de busca” deles quando me engano a escrever um domínio, quando os domínios não existem ou até mesmo quando coloco uma tag na barra de endereço.

Compreendo que o serviço é garantido pela publicidade, mas uma das vantagens de usar o Firefox era usar a barra de endereço para fazer pesquisa por tags… mesmo tendo a caixa de pesquisa ao lado, é algo que me garante alguma acessibilidade no Firefox.

Como não é possível alterar, parti em busca de novos DNS resolvers para utilizar nos computadores e não podia deixar de partilhar com vocês.

DNS Resolver

Uma das alternativas é o serviço DNSResolvers.com fornecido pela easyDNS, que são públicos e qualquer pessoa pode utilizar com os seguintes endereços:

  • 205.210.42.205(cache1.dnsresolvers.com)
  • 64.68.200.200 (cache2.dnsresolvers.com)

DNS Resolver

Outro serviço é o DNS Advantage:

  • 156.154.70.1
  • 156.154.71.1

Espero que vos seja útil tanto como me são a mim.

Alojamento Web

Sapo Puny URL

PunyUrl

O Sapo desenvolveu um novo webservice que permite criar URLs curtos. Até aqui nada de novo, já existem centenas ou até milhares de serviços do género, muitos deles apontados aqui no WebTuga, no entanto o PunyURL, o nome do serviço, tem muito mais para oferecer do que um simples serviço de criação de endereços curtos.

O Sapo Puny URL cria-lhe não um, mas dois endereços curtos para cada link que enviar, sendo que um deles é em Unicode, o que aumenta em muito o número de combinações possíveis.

A equipa do Sapo deixou no Blog Developers um conjunto de respostas a questões que o poderão esclarecer melhor em que consiste o serviço e quais as principais novidades implementadas.

Blog Developers

Quantos URLs conseguem ter na plataforma?

Os que quiseres 🙂 As PunyURLs em Unicode permitem ter aproximadamente 41,000 URLs únicas comprimidas num único caracter; com dois caracteres existem 1,7 mil milhões de combinações possíveis.

Este serviço fornece alguma API para developers que queiram integrar este serviço nas suas aplicações?

Sim! Fornecemos uma API nos Web Services do SAPO em http://services.sapo.pt/Metadata/Service/PunyURL e fornecemos uma “Bookmarklet” que os utilizadores podem acrescentar à sua barra de favoritos para criar automaticamente uma PunyURL para a página que estejam a ver.

Que casos práticos de utilização prevêem?

O Twitter, o envio de URLs por SMS, dizer um endereço na internet que é complicado pelo telefone… as URLs no formato http://br3.sl.pt são bastante práticas para soletrar – não há maiúsculas nem minúsculas. Essencialmente situações em que a brevidade seja importante. No caso da PunyURL em Unicode poupamos *imenso* espaço, e pode ser útil em serviços como o Twitter, em que se clica na URL.

Como é que isto funciona por baixo e que tecnologia está envolvida?

Os serviços de compressão existentes de URLs têm uma base de dados por detrás que mapeia a URL enviada para um número. A URL comprimida é o número convertido de base 10 – o nosso sistema de algarismos – para base 62 – 26 letras maíusculas + 26 letras minúsculas mais os dez algarismos.

O número 500,000 é assim convertido para ‘264w’ em base 62.

No PunyURL funcionamos de forma ligeiramente diferente em *ambas* as URLs comprimidas que fornecemos.

Os browsers modernos permitem caracteres acentuados, como é o caso do domínio da Força Aérea Portuguesa, http://www.forçaaérea.pt/.

Na realidade, o domínio ‘forçaaérea.pt’ é convertido em ‘xn--foraarea-u0aw.pt’, através dum sistema de codificação chamado “Punycode“, definido no RFC 3492.

Estas regras de conversão permitem que caracteres Unicode europeus, russos e asiáticos possam ser utilizados em domínios.

No PunyURL utilizamos os caracteres dos diversos planos asiáticos, o que nos permite definir o número 500,000 em apenas dois caracteres: 㐋촔.

Assim o serviço pode armazenar milhões de endereços dos nossos utilizadores e continuar a fornecer domínios curtos sem termos de reciclar endereços, o que significa que ficam sempre permanentes.

No caso dos endereços em ASCII, http://b.oi.sl.pt/, utilizamos um truque de DNS chamado “Wildcarding” que permite que endereços não criados vão parar a determinado site. É o que acontece há já alguns anos com o SAPO: http://perl.sapo.pt/ resulta numa pesquisa pela palavra ‘perl’, porque o domínio .sapo.pt aponta para a Pesquisa do SAPO quando não existe um hostname definido.

No caso do www.sapo.pt, este está definido e não vai à pesquisa do SAPO.

Que protecções contra spam foram implementadas?

Verificamos quais os hosts de destino, não permitimos referências circulares e monitorizamos a sua utilização. No entanto, disponibilizamos o serviço de “preview”; se se acrescentar um ‘-‘ ao final de uma PunyURL consegue-se ver qual o destino da mesma sem ter de visitar o destino.

Por exemplo: http://b.kp.sl.pt/-.

Vejam como fica tão giro um link para o WebTuga, http://濄.sl.pt. Parabéns à equipa do SAPO pelo excelente projecto.

Alojamento Web

DNS comemora 25 anos de existência

Hoje comemorasse o vigésimo quinto aniversário do Domain Name System (DSN), criado originalmente por Paul Mockapetris. É graças a esta ferramenta que é possível, por exemplo, atribuir ao endereço webtuga.com um IP.

Para ficarem a conhecer melhor o DNS, leiam estas explicações das versões portuguesa e inglesa da Wikipédia.

Alojamento Web

DNS O Matic (IP dinâmico) – Um serviço do projecto OpenDNS

A maior parte das ligações à Internet disponibilizadas pelos ISP’s têm um IP dinámico que muda de x em x tempo impedindo a qualquer utilizador de usar a sua ligação e o seu computador para alojar um site fixo.

Felizmente, o OpenDNS tem uma novidade que lhe permite facilmente gerir a sua conta num dos vários serviços de DNS dinámicos ( como são o exemplo o No-IP e o DynDNS ).

Trata-se do DNS-O-Matic, que se encarregará de automaticamente actualizar o seu IP nos serviços seleccionados, assim que haja alguma mudança no seu endereço de IP, tal como está retratado no desenho abaixo:

Está ainda disponível uma API no site para que qualquer pessoa possa desenvolver aplicações que integrem o serviço.

Alojamento Web

FCCN – Mas que vem a ser isto?

Neste artigo venho demonstrar o meu desagrado com a FCCN, identidade responsável pela gestão do ccTLD (country code Top Level Domain) Portuguesas, ou seja, é a entidade competente pelo registo de dominios *.pt em Portugal.

Fiquei surpreendido ao ler no blog afterdark, que já existem dominios *.pt com domain parking, ou seja, utilizados apenas com fins monetários.

Mas mais grave ainda é o domínio ter o nome de uma organização open-source, o Moodle, que tem como fim, a criação de um gestor de conteúdos optimizado para sistemas e-learning que já usado pela maior parte das instituições de ensino em Portugal.

Portanto o domínio Moodle.pt foi comprado por um cidadão, que está a facturar através do serviço Parked.com, mas se esta comunidade quisesse avançar com o registo de um domínio para sua identificação como projecto nacional, não o poderia fazer!

Para a próxima é melhor saber implementar regras!

Existe um regulamento para o registo de domínios/subdomínios .pt, façam-no cumprir!

Alojamento Web

Rape.osx – Worm para macOSx

Um programador desenvolveu uma worm que explora um bug de uma falha anteriormente corrigida do Mac OS X 10.4 e superior, e afecta apenas, para já, apenas as versões processadores Intel.

A worm, chamada Rape.osx, é apenas um proof-of-concept e afecta uma falha anteriormente corrigida do mDNSResponder.

O criador deste malware diz que conseguiu acesso root nas mil e quinhentas máquinas em que testou o Rape.osx.

Para provar o sucesso da worm, deixou um ficheiro de texto em cada máquina, mas avisa que ela pode ser usada para fazer muitos estragos.

Para já a worm apenas pesquisa computadores com a vulnerabilidade numa rede, mas o criador avisa que não vai ser preciso muito trabalho para a fazer propagar na Internet. Vocês devem estar a interrogar-se sobre o meu motivo para escrever um post só por causa de uma vulnerabilidade.

O motivo é simples, porque gosto de lembrar às pessoas que não há software perfeito, no entanto, uns são melhore que outros.

{Fonte: Beskerming}

Alojamento Web

[how-to] Ultrapassar protecção do RapidShare

Ultrapassar protecção RapidShare Quem de nós nunca fez um downloadzito do RapidShare? Sempre que o ficheiro é grande demais, somos obrigados a descarrega-lo em partes, no entanto, com este tutorial os seus problemas vão acabar. Após fazer o download da primeira parte do ficheiro, jogo ou filme, faça os seguintes passos: 1º – Vá a "Iniciar > Executar" e escreva "cmd": Linha de Comandos pelo Executar 2 – Em seguida irá aparecer-lhe a Linha de comandos, onde irá escrever: ipconfig /flushdns ipconfig /release ipconfig /renew Flushdns Release Renew IP E pronto, pode descarregar da segunda parte do ficheiro e no fim desse download execute os mesmos passos. Espero que vos seja útil.