OpenSuse adopta estratégia da Canonical para promover o projecto

logo opensuseA estratégia da Canonical em enviar gratuitamente CDs do Ubuntu permitiu-lhe conseguir a popularidade de que hoje disfruta. Este não é o único motivo, mas provavelmente é dos mais fortes.

Depois da Canonical, outros projecto e empresas adoptaram a oferta de CDs ou DVDs. Um grupo português de utilizadores do PCLinuxOS e a SUN com o Solaris 10 e OpenSolaris são dois exemplos que me vêm logo à memória.

Agora, é o OpenSuse que adopta uma estratégia semelhante. O projecto está a oferecer DVDs da distribuição, mas apenas para distribuição em eventos, conferências, escolas. Se estiverem a pensar organizar um evento deste tipo ou a ir a uma escola promover a distribuição, encomendem os vossos DVDs.

Alojamento Web

SmashBuys – Top produtos mais vendidos na Web

SmashBuysO SmashBuys é uma página que reúne os melhores produtos distribuídos pela Internet fora, desde as músicas mais vendidas no iTunes, aos DVDs e livros na Amazon, até ao software mais descarregado no Download.com.

É um excelente site a visitar se tem algum dinheiro para gastar e não sabe em que o gastar e para além disso é bastante útil para comparar preços de outros produtos idênticos.

Alojamento Web

Big Buck Bunny – Um filme Open-Source

Big Buck Bunny

Big Buck Bunny é uma curta metragem animada criada pelo estúdio Orange Open Movie Project da Holanda, que faz parte da Blender Foundation, uma organização responsável pela criação e desenvolvimento de um programa open source para modelos em 3 dimensões chamado Blender.

O primeiro filme criado por esta organização foi lançado em Março de 2006, com o nome de Elephants Dream.
 
A criação desta curta metragem apenas foi possível devido às pré-vendas dos DVDs, que custavam 34 euros cada um.

Vão ser lançadas duas versões: uma com melhor qualidade em formato widescreen e outra de alta definição compatível com qualquer leitor de DVDs.
 
Este è um projecto bastante original, iremos ver os resultados quando a curta metragem estiver disponível.

Alojamento Web

O que esperar do Ubuntu 8.04

ubuntuA próxima versão do Ubuntu, que é também a próxima Long Term Support (versão com suporte de três anos para o desktop e cinco para o servidor), está apenas a seis dias de ser lançada. Por isso, está na altura de fazer um pequeno resumo do que se pode esperar da nova versão desta distribuição de GNU/Linux.

Uma das novidades é a inclusão do Wubi, algo que interessa bastante a quem utiliza Windows e quer experimentar o Ubuntu. Esta aplicação permite instalar o Ubuntu a partir do Windows, sem necessidade de criar partições.
A versão 7.3 do Xorg será incluída. Isto permitirá uma melhor configuração automática do hardware gráfico e será usado em conjunto com um utilitário que permite alterar de forma dinâmica a resolução, taxa de refrescamento e rotação de um segundo monitor.
A versão do Linux incluída será, à partida, a 2.6.24. Ela inclui um novo scheduler, melhor gestão de energia e melhor suporte de dispositivos wireless.
O Gnome continuará a ser o gestor de desktop por omissão. A versão que figurará no Ubuntu 8.04 será o Gnome 2.22; no Kubuntu, será utilizado o KDE 3.5.9; o Xubuntu terá a versão 4.4.2 do XFCE
Para uma gestão mais simples e usável das permissões, será usado o PolicyKit. Esta framework de segurança estará integrada nas ferramentas administrativas, na forma de um botão.
A gestão do som ficará a cargo do PulseAudio, uma framework que permite controlar o som de cada aplicação individualmente na ferramenta de volume do desktop.
Outras novidades são um novo cliente de bittorrent, uma nova aplicação para gravar CDs e DVDs, um novo cliente VNC, adição do Inkscape, suporte para o sistema de virtualização do Linux, integração com ActiveDirectory, uso de um interface gráfico para a firewall e melhor protecção da memória.

Isto acabou por não ficar pequeno, mas continua a ser um pequeno resumo. A próxima versão do Ubuntu parece ser interessante. Talvez seja esta que vos fará largar os sistemas proprietários. Se não, podem sempre ver a Caixa Mágica, Fedora, Mandriva, gNewSense, Mandriva, etc.

Alojamento Web

Comissário quer saber o que pensam os europeus das taxas pela cópia privada

O Comissário Europeu do Mercado Interno, Charlie McCreevy, decidiu saber qual a opinião dos europeus em relação às "levy systems".

As "levy system" são uma taxa aplicada aos sistemas de armazenamento e reprodução de conteúdos, como CDs, DVDs, leitores de MP3, fotocopiadoras, etc). O valor recolhido por essa taxa é, na teoria, distribuido pelos criadores dos conteúdos.

Como parte do processo de consulta, Charlie McCreevy está a recolher respostas e comentários acerca deste tema junto de todos os interessados. Em Portugal, a ANSOL (Associação Nacional pelo Software Livre) e o DRM-PT.info (projecto nacional que alerta as pessoas para os problemas do DRM) estão a preparar as respostas a enviar.

Se têm algo a dizer sobre este assunto ou querem ajudar a ANSOL e o DRM-PT.info a redigir as respostas, visitem a página do DRM-PT.info dedicada ao tema. Podem, também, responder a um questionário feito no blog da ANSOL.

via mail enviado pelo Marcos Marado e Remixtures.com

Alojamento Web

Microsoft condenada a pagar 367,4 milhões de dólares à Alcatel-Lucent

Um tribunal do distrito judicial americano de San Diego condenou a Microsoft ao pagamento de uma indemnização à Alcatel-Lucent no valor de 367,4 milhões de dólares (aproximadamente 234 milhões de euros), por violação de patentes.

O tribunal deu como provada a violação de duas patentes da Alcatel-Lucent relacionadas com interfaces. No entanto, uma outra queixa, relacionada com o sistema de reprodução de DVDs utilizado pela Microsoft, não teve seguimento.

A Microsoft, pela pessoa de Tom Burton, vice-presidente da empresa, pronunciou-se sobre esta decisão e garantiu que irá recorrer da sentença.

via heise-online.co.uk e itworld.com

Alojamento Web

SubDownloader – pesquise legendas a partir do desktop

Se são como eu, são extremamente sexy, inteligentes, possuem um humor acutilante e são dotados de um incrível bom gosto. Mas também gostam de ver os filmes em português. Normalmente, a maioria dos DVDs vêm com legendas na nossa língua; mas há sempre uma ovelha negra.
Nestes casos, o mais certo é evitarem a compra destes DVDs, acabando por não verem alguns filmes que vos interessavam.

Felizmente, há um pequeno programa multi-plataforma chamado SubDownloader. Inserem o nome do filme na caixa de pesquisa e o programa apresenta os resultados que encontrou.
O comportamento por defeito do SubDownloader é mostrar as legendas em todos os idiomas, mas isso muda-se facilmente nas opções.

SubDownloader, via Genbeta.com

Alojamento Web

Versão completa do FairUse Wizard oferecida gratuitamente

Os criadores do FairUse Wizard, uma aplicação que permite criar backups de DVDs em Windows, estão a oferecer esta aplicação gratuitamente.

Com o FairUse Wizard, o utilizador pode criar um backup de um DVD em Xvid, DivX, H.264 ou em qualquer outro formato. Também é possível escolher o tamanho do backup e utilizar perfis de backup pré-definidos.

Esta oferta é limitada. Por isso, se quiserem este programa, apressem-se a descarregá-lo. Vá, corram!

Descarregar o FairUse Wizard, via Downloadsquad.com

Alojamento Web

Cubanos já podem comprar gadgets

Com o cada vez maior distanciamento de Fidel do actual governo cubano, algumas coisas começam lentamente a mudar. Uma delas é o levantamento da proibição da venda de jogos de computador, leitores de DVDs e outros gadgets.

Os cubanos já podem adquirir televisões de 19 polegadas, computadores, consolas, micro-ondas e todo um vasto leque de coisas que nós já nos habituámos a ter.

via ciberia.aeiou.pt

Alojamento Web

Shuttle lança computador amigo do ambiente com GNU/Linux

kpc shuttle foresight linux gnu/linux computador ecológico

A Shuttle lançou um computador de 199 dólares (€131, mais euro menos euro) com o Foresight Linux pré-instalado. O KPC é direccionado para os utilizadores que não querem gastar muito dinheiro na aquisição de um computador.

Por 199 dólares, não estejam à espera de uma grande máquina, tanto em tamanho como em especificações. O KPC vem com um processador Intel Celerom 400 que pode ser actualizado para um Intel Core2 Duo E4500, 512MB de Ram, uma gráfica onboard Intel Media Acceletaror 950, placa de som 5.1, ethernet, disco de 80GB, 4 portas USB 2.0 e slot PCI.

Assim como o Macbook Air, também o KPC peca pela ausência de uma drive de DVD – ou, pelo menos, de CD. Para mim, isto é uma grande falha, porque parecendo que não, os CDs e DVDs ainda são bastante usados.

A nível de software, o KPC vem com o OpenOffice, F-Spot, Compiz, Banshee, Pidgin, Firefox, etc. Basicamente, esperem encontrar a maioria do software incluído nas distribuições de GNU/Linux mainstream.

Uma dos pontos mais interessantes do KPC, ainda que a sua utilidade seja discutível – se é que é útil -, é a possibilidade do utilizador adicionar uma qualquer imagem ao painel frontal do computador. Outra característica, esta com grande importância, é o baixo consumo de energia: aproximadamente menos 1/3 do consumo dos computadores normais.

O KPC não é nada de extraordinário; mas eu não me importava nada de ter um, tanto por ter um sistema aberto, como pelo preço e pelo facto de gastar menos energia que os computadores convencionais. Parece-me bem desenhado para o segmento de mercado a que se destina, mas isso não quer dizer que eu tenha razão ou que ele vá ter boa aceitação. O seu sucesso depende apenas da sua sua aceitação por parte dos utilizadores.

Shuttle KPC, via Arstechnica.com