Web 3.0

Enquanto muitos ainda estão a tentar perceber o que é a Web 2.0 já se fala no que poderá vir a ser a próxima geração da web, a Web 3.0. Estes termos são mais do que modas e marketing.

A Web 3.0 é conhecida também como Web Semântica, será capaz de analisar toda a informação e liga-la entre si, as páginas vão ser feitas para ser lidas por pessoas mas também por máquinas, vamos afastar-nos das pesquisas por palavras-chave, a Internet aos poucos e poucos deixará de ser um mundo de documentos e passará a ser um mundo de dados (dados que descrevem dados). Para que isto aconteça será a importante a combinação de linguagens e tecnologias como o RDF (Resource Description Framework) com OWL (Ontology Web Language) e o XML (eXtensible Markup Language) que farão com que a informação possa ser analisada, percebida e usada por maquinas.

A Web Semântica… perdão, a Web 3.0, poderá demorar ainda uns anos a ser conseguida, os browsers terão de evoluir, serão precisas estruturas de dados mais complexas quase como um segundo nível de informação por baixo da web, vai ser quebrada a barreira entre o desktop e a web, a Web 3.0 terá mais matemática e mais engenharia, grande parte dos web sites serão web services.

Há empresas apostar em standards de web semântica como a Yahoo, empresas como a Polar Rose estão a melhorar a pesquisa através de imagens, a Microsoft e a Google estão a avançar para tecnologias 3D…  ninguém sabe ao certo como será o aspecto da terceira geração da Web mas uma coisa é certa… vai acontecer.

Está em curso uma mudança radical na forma como criamos e usamos a Internet, a Web 2.0 elevou a Internet a um nível diferente, é hoje uma plataforma de inteligência colectiva. A Web 3.0 será a materialização da web como agente inteligente.

Alojamento Web

Google está a desenvolver um rival da Wikipédia

O Google anunciou publicamente que está a desenvolver uma "enciclopédia" online chamada Knol, com uma vertente social e onde será possível aos autores inserirem anúncios.

knol

Knol, de acordo com o Google, significa "unit of knowledge" (união de conhecimento).

Ao contrário da Wikipédia, o Knol terá um sistema de classificação das entradas e dos autores. Cada página (artigo) será avaliada pelos restantes utilizadores através de comentários e análises e essa avaliação afectará a reputação do autor da página no Knol. Mas o Knol vai para além da classificação: se um utilizador considerar determinada página incorrecta ou incompleta, ele poderá criar uma sobre esse assunto. Ambas ficarão disponíveis para pesquisa.

A vertente mais social não é a única diferença da Wikipédia. O Knol também irá permitir a inserção de anúncios nos artigos. Isto será um forte atractivo para a utilização do serviço, principalmente para o enorme grupo de utilizadores que está sempre à procura da nova forma de ganhar dinheiro da internet (e que até criam blogs sobre isso e tudo :P).

O Google, ao criar este sistema, está a desenvolver um serviço de informação mais social que a Wikipédia, onde os utilizadores terão sempre a última palavra e a responsabilidade pelos conteúdos inseridos no serviço. Mas será isso bom? E até que ponto irá afectar a Wikipédia?

Alojamento Web

Pacote Natalício para o WLM

A MSN Holanda tem um Pacote Natalício para oferta para os seus visitantes, mas é claro que pode ser feito o Dowload por qualquer pessoa no mundo

O Pacote contém:

– 1 Dynamic Pisplay Picture
– 1 Conversation Background
– 2 Winks (Christmas Tree, Happy 2008 Fireworks)
– and 13 animated emoticons.

O instalador vai tentar mudar as configurações padrão do IE para a pagina MSN.NL

Para não ficarem com a paginal inicial em Holandês sigam estes passos:

1) Clicam no botão “Volgende”.
2) Tiram o V de (”Stel mijn…“) se não quiserem que a pagina principal seja mudada.
3) Clicam no botão “Accepteren”.
4) E o vosso Messenger recebe uma injecção de Natal.

Link para Download Aqui

Alojamento Web

Pepsi e Amazon oferecem mil milhões de MP3

A Pepsi disse adeus ao iTunes e fez uma parceria com a Amazon para, imaginem, oferecer mil milhões de músicas à borla e sem DRM (restrições parvas), em formato MP3.

Esta promoção será iniciada a 3 de Fevereiro, no mesmo dia em que começa a competição profissional americana de rugby, SuperBowl, através da distribuição de códigos de acesso nas garrafas de Pepsi. Para descarregar uma música, serão necessários cinco códigos de acesso.

{Fonte: Gadgetell}

Alojamento Web

RSSOwl – um leitor de feeds muito interessante para o desktop

Hoje decidi deixar um pouco o Google Reader de lado e experimentar um leitor de feeds multi-plataforma muito interessante chamado RSSOwl.



Para quem não conhece, o RSSOwl é um leitor de feeds escrito em Java, o que significa que pode ser utilizado em qualquer sistema operativo moderno – desde GNU/Linux a Mac OS X, passando pelo Windows Vista – e com suporte para os sistemas de subscrição RSS, RDF e Atom.



Esta aplicação tem imensas funcionalidades. A mais sonante – e, para mim, mais irritante – é o suporte de tabs: cada feed que abrimos tem direito a um separador individual. Isto até pode ser engraçado, mas quando se tem muitas feeds subscritas, pode ser bastante complicado. Felizmente dá para desactivar. Outras funcionalidades incluem a definição do intervalo de tempo para a actualização das subscrições, teclas de atalho configuráveis, mudança da língua do programa, pesquisa de novas feeds e visualização destas em texto simples ou como se estivéssemos no site, graças ao browser interno do programa.



Se gostam de um leitor de feeds prático, simples, livre e que pode ser configurado ao vosso gosto, o RSSOwl é a escolha indicada. E se tiverem muitas subscrições, melhor ainda, porque ele consegue lidar com elas sem qualquer problema.

Download do RSSOwl

Alojamento Web

Open Text Book – conhecimento livre

O conhecimento deve estar disponível a todos. Isso é um dado adquirido, ou devia ser. Assim como o conhecimento, também o software deveria estar disponível a todos, para poderem modificar, recompilar, redistribuir, etc. Mas não é de software livre que vos vou falar. Vou falar-vos de um projecto igualmente interessante, cujo objectivo é disponibilizar livros gratuitamente e em formato electrónico.

O projecto chama-se Open Text Book e foi criado pela Open Knowledge Foundation, fundada em 2004 com o objectivo de promover e proteger o conhecimento livre. O Open Text Book assenta na filosofia da Open Knowledge Foundation e tem o objectivo de promover livros livres, disponíveis para download sem qualquer custo.

O Open Text Book conta com várias categorias e publicações. Os utilizadores podem encontrar livros sobre arte, computação, geologia, linguística, música e até física. Algumas das publicações incluem "A Text-Book of the History of Painting", da autoria de John Charles Van Dyke e "Calculus" de Benjamin Crowell.

Para além de fazer o download dos livros, podem contribuir com obras literárias. Para isso, basta serem autores de alguma obra e disponibilizá-la numa licença livre ou então contactar um autor, para este disponibilizar uma obra, também sob uma licença livre.

Visitar o Open Text Book

Alojamento Web

TugaSport – Um blog desportivo

Olá caros amigos e amigas do Webtuga. É com imenso prazer que estou aqui para vos anunciar um novo membro para a rede de blogs WebTuga.

Desta vez, e para agrado dos desportistas, criámos um blog de desporto, o TugaSport!

Trata-se de um blog onde pode obter as mais recentes novidades no mundo desportivo.

Desde o desporto-rei até às modalidades menos atraentes. Desde o basquetebol até ao bowling, tudo o que queira saber como estatísticas, resultados, dicas e até curiosidades pode obter aqui.

Não hesitem em visitar, que o Webtuga já começou a correr…

Blog: TugaSport

Alojamento Web

iPod quase perfeito

Num artigo do Wall Street Journal, Steve Dowling, porta-voz da Apple, disse que a percentagem de falha do iPod é inferior a 5%, alegando que é extremamente baixa quando comparada com outros aparelhos electrónicos. Steve Dowling afirma também que a maioria dos consumidores está muito satisfeita com o iPod. Nick Wingfield, jornalista do The Journal, afirma que apesar de a percentagem de falhas ser inferior a 5%, o número de utilizadores afectados é bastante significativo, já que a Apple vendeu 70 milhões de iPods em cinco anos.