Ataque “hacker” rouba dados de 1,29 milhões de clientes da Sega

O grupo japonês de jogos Sega anunciou hoje que os dados pessoais de 1,29 milhões de clientes foram roubados na sequência de um ataque “hacker” através de um site da sua filial europeia.

O site Sega Passe, operado pela Sega Europe, com sede em Londres, não continha informações sobre cartões de crédito, assegurou a empresa. Mas os piratas informáticos roubaram, na sexta-feira, os nomes, as datas de nascimento e as senhas criptografadas dos clientes, acrescentou a Sega. Também a empresa japonesa Sony foi recentemente vítima de ataques praticados por piratas informáticos.

O último ataque foi reivindicado em 6 de junho por um grupo de “hackers” norte-americano, conhecido como o LulzSec, que disse já ter tido acesso a mais de um milhão de senhas, endereços de e-mail e outras informações da SonyPictures.com.

Um porta-voz da Sony confirmou à agência EFE que foi aberto um processo de investigação sobre este caso que acontece depois de piratas informáticos terem roubado desde meados de abril dados de mais de 100 milhões de utilizadores dos vários serviços da empresa na Internet.

Alojamento Web

Autoridades admitem usar ficheiros de música para caçar piratas na Net

A Inspeção-Geral de Atividades Culturais (IGAC) e a Associação Fonográfica Portuguesa (AFP) assinaram um protocolo que permite a disseminação de ficheiros de música com o objetivo de facilitar a deteção de pirataria na Net.

No final de 2010, a IGAC e a AFP anunciaram um acordo que visava a aumentar a eficácia do combate à pirataria nos Sites de Partilha de Ficheiros (P2P) em Portugal. Um comunicado do Ministério da Cultura revelou , na altura, que o protocolo previa o recurso a software para a deteção de pirataria, mas não referia o uso de ficheiros de música pelos investigadores da IGAC quando se registam nos P2P com o objetivo de detetar casos de partilha de música pirata.

André Rosa, fundador do Partido Pirata Português (PPP), insurge-se contra a distribuição de músicas nos sites P2P pelas autoridades: “A partir do momento em que a IGAC coloca ficheiros de música nesses sites, como é que pode dizer que outros internautas fizeram ou não o download ilegal dessas músicas?”.

Na origem da polémica está a alínea b da cláusula quarta do protocolo assinado pela AFP e a IGAC .

Alojamento Web

Eu sou contra a pirataria mas…

…é tudo tããããããããããããããããããããããããããããããão caaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaro!

Este é um dilema que as pessoas que procuram comprar originais têm… e com razão, senão vejamos:

Worten Play.com FNAC Gameplay.co.uk
Jogo – FEAR2 (XBOX360) €69.89 €22.49 €69.99 €30.20
Música – Duffy – Rockferry €14.89 €5.49 €9.95 Não tem
FilmeDVD – Underworld – A Revolta €19.90 €9.49 €19.99 Não tem

Eu coloquei estes produtos apenas como referência e com se pode ver, só ao comprar um jogo na loja2 em relação à loja1 e loja3 conseguimos poupar +-66% do dinheiro, ou seja, pelo preço de um compramos 3!
As diferenças dos restantes produtos também são algo notórias se analisarmos cuidadosamente…

Então passo agora a contar o “segredo”: comprar no estrangeiro!
Muitos leitores provavelmente dizem “pfff.. já sei disso” mas no entanto há quem não saiba, daí a razão para escrever este post.

Começo então a explicar onde comprar o quê e descrever as lojas:

  • Amazon.co.uk ->grande variedade de produtos, enviam mais de 1kg ; Aos preços expostos acresce o IVA;
  • Gameplay.co.uk -> Promoções 24/7, bons preços ; Não enviam mais de 1kg, não aceitam MBNet (pelo menos eu não consegui), apenas vende jogos;
  • Play.com -> Portes gratuitos, muita variedade, bons preços ; e maus preços, não enviam mais de 1kg
  • DVD.co.uk -> Bons preços, muita variedade numas coisas
  • ebay.co.uk -> Neste site não há prós nem contras, é preciso é ter olho para o negócio e saber quem nos pode ou não enganar. Se o leitor não se preocupa em comprar jogos em segunda mão, então é um bom local para fazer umas boas compras!

Dos sites acima listados, já fiz encomendas e nunca tive qualquer tipo de problemas. O tempo de expedição é de 2 / 3 dias e tem-me chegado tudo impecável. Muita gente é “desconfiada” quando se dá o número de cartão de crédito para uma compra, mas para ser sincero, já perdi esse medo com as lojas que aqui deixei, tudo impecável!

Recomendo experimentarem porque uma vez que virem as coisas a chegarem a casa com menos custo, vão ficar agarrados 😛

Espero ter ajudado em alguma coisa 🙂 caros leitores, tenham um bom dia 😉

Alojamento Web

Pirataria… Bom, mau ou indiferente?

Bem eu tenho vindo a ver cada vez mais artigos a dizer que a culpa da queda das vendas de jogos / música / filmes é da pirataria… mas será que isto é verdade?

A meu ver isto está completamente errado…

Vou dar um exemplo, se eu sacar um jogo X e o jogo for bom eu vou comprar, até porque na maioria das vezes o jogo “copiado” não dá para jogar on-line, ou não tem certos extras. Se não fosse por este jogo X estar disponível em sites de pirataria eu jamais o tinha experimentado muito menos pensava em comprar.

Se for mau não o vou comprar, mas neste caso ninguém fica a perder porque eu jamais o compraria sem o experimentar.

Para mim a pirataria é um bom meio de divulgação de novo material.

No caso da música, “ah e tal as vendas de CD’s têm decrescido e tal”… toda a gente tem leitores de MP3 já ninguém quer os CD’s, por isso é que as vendas de MP3 têm subido. Não é por causa da pirataria.

Qual é a vossa opinião sobre este caso? A pirataria é um bom meio de divulgação ou é simplesmente prejudicial para as vendas?

Alojamento Web

À MAPiNET – porque não gostamos de meias verdades

Este artigo é da autoria de Marcos Marado, e representa a sua opinião sobre os assuntos aqui tratados. O artigo está aqui publicado segundo uma licença CC-BY PT.

Em resposta ao artigo sobre o movimento MAPiNET, publicado hoje no Público, tenho a dizer:

A pirataria na Internet, sobretudo de filmes e música, tem causado o encerramento de pequenas empresas e a perda “acentuada” de ganhos

Imensos estudos se têm debruçado sobre este tema, e nunca se conseguiu chegar a uma conclusão. Pelos vistos há um novo estudo que já consegue concluir que existem pequenas empresas que encerraram ou tiveram “perdas acentuadas” devido à pirataria na Internet. Dêm-me os dados. Apresentem provas.

Segundo Alexandre Bravo, os cinemas perderam um milhão de espectadores em 2008, ano em que também fecharam 300 clubes de vídeo. Já a venda de música passou a gerar menos 60 por cento de receitas e terão sido perdidos cerca de metade dos postos de trabalho no sector nos últimos anos. E até a indústria livreira “começa a sentir um bocadinho na pele” os efeitos dos downloads ilegais.

Demagogia. Até hoje, e mais uma vez, ainda nunca se conseguiu arranjar um estudo de aprovação consensual que conseguisse relacionar “downloads ilegais” com “diminuição de vendas e receitas”. Caso, mais uma vez, a MAPiNET tenha acesso a um novo estudo apresentando tal relação, que mo mostrem. Dêm-me os dados. Apresentem provas.

Paulo Santos, um dos porta-vozes do movimento antipirataria, criticou ainda o facto de a legislação portuguesa (desta feita através de um diploma que tem apenas quatro anos) classificar os dados de tráfego (informação que ajuda à identificação de um utilizador da Internet) como dados pessoais: “Confunde-se o conceito de meio com o conteúdo das comunicações.” Com esta legislação, argumenta, é “praticamente impossível” combater o download de ficheiros ilegais.

Caríssimo, os “dados de tráfego” são dados pessoais, visto serem relativos a comunicações privadas, tal como são os registos das chamadas telefónicas. Não queremos nem devemos ceder os nossos direitos, as nossas liberdades e a nossa privacidade.

Esta solução implica a colaboração dos fornecedores de acesso, que são normalmente acusados pelos defensores dos direitos de autor de não quererem restringir ou vigiar a utilização das ligações que vendem para não afastar clientes.

E porque afasta isso os clientes? Será porque as pessoas não querem ser vigiadas, não querem perder a sua privacidade?

Paulo Santos admitiu ainda que o sector vai ter de se adaptar aos tempos digitais, mas que essa mudança deve ser feita “naturalmente” e não por força da pirataria.

Não terá, por acaso, a pirataria aparecido “naturalmente”?


Em suma, acredito que:

  • A MAPiNET baseia-se em dados meramente especulativos, nunca os justificando com dados
  • A MAPiNET tenta passar a ideia de representar a “indústria da cultura”
  • A MAPiNET tenta ocultar o seu verdadeiro objectivo, , exposto anteriormente, de tentar com que a aprovação do Pacote Telecoms seja feito sem a emenda 138
  • A emenda 138 do Pacote Telecoms é fundamental para que os direitos consagrados pela Carta de Direitos Fundamentais da EU não sejam ignorados, como explicado neste apelo

Para que não fique nada por esclarecer, cito-vos a emenda 138 do Pacote Telecoms:

aplicando o princípio de que nenhuma restrição pode ser imposta nos direitos e nas liberdades dos utilizadores finais, notavelmente de acordo com o artigo 11 da Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia sobre a liberdade de expressão e informação, sem decisão anterior por autoridades judiciais, excepto quando ditado por força maior ou pelos requisitos para a preervação da integridade e segurança da rede, e sujeito a provisões nacionais da lei criminal impostas por razões de política pública, segurança pública ou moral pública.

É isto que a MAPiNET quer retirar da Lei? O requisito de ser uma Autoridade Judicial a decidir em que casos os direitos e as liberdades dos cidadãos podem ser restritos? Eu digo NÃO.

Alojamento Web

Microsoft terá, alegadamente, deixado uma falha intencional no SP1 do Windows Vista

Será que eu estava a exagerar ou a mentir quando disse que as vendas do Windows Vista estavam aquém das espectativas? De acordo com a newsletter do Windowssecrets.com, eu não estava errado (como nunca estou; posso é estar, por vezes, menos correcto, mas nunca errado).

O editor do Windowssecrets.com, Brian Livingston, revela no site que a Microsoft terá deixado intencionalmente uma "falha" que permite a actualização de sistemas Windows XP e anteriores para o Windows Vista SP1.

Brian Livingston acredita que isto é intencional, pois permite à Microsoft explorar a chamada pirataria informática para proveito próprio, já que alguns utilizadores de cópias ilegais do Windows acabarão por comprar uma licença, e porque isso mantém a ideia de que o Windows é o sistema padrão e que todos devem ter.

Para mim, esta teoria faz bastante sentido. As pessoas tendem a crer que as coisas pagas são as melhores e gostam de conseguir à borla algo que normalmente é pago. Eu já perguntei isto a muitas pessoas e a resposta da grande maioria é que as coisas pagas lhes dão mais segurança e que gostam de conseguir à borla as coisas que normalmente pagariam, mesmo que para isso tenham que cometer alguma ilegalidade.

Ainda acreditam que as vendas do Windows Vista estão assim tão boas? E não vos preocupa o facto de (alegadas) falhas serem deliberadamente deixadas no software?

via windowssecrets.com

Alojamento Web

Southpark disponibilizado gratuitamente

Dos criadores de South Park, chega-nos Southparkstudio.com: o local onde as mentes malévolas que criaram esta série animada disponibilizaram todos os episódios gratuitamente.

Os vídeos, infelizmente, estão disponíveis apenas em flash. E, de momento, ainda não há uma forma de os descarregar. Mas não se preocupem, porque não deverá faltar muito até estes episódios aparecerem em trackers bittorrent.

Mas enquanto não os podem descarregar, podem ver todos os episódios de todas as temporadas sem correrem o risco de acabarem no tribunal, a responder por pirataria. Argh

Alojamento Web

Universidade holandesa utiliza o bittorrent para manter 6500 computadores actualizados

pirataA universidade holandesa INHOLLAND mostrou que o bittorrent é apenas um protocolo de partilha de ficheiros como qualquer outro e não uma rede de pirataria – onde tipos com barbas pintadas e pernas de pau partilham ilegalmente conteúdos entre si -, ao utilizá-lo com sucesso para transferir actualizações de software entre 6500 computadores, situados em 16 locais diferentes deste país.

A utilização do bittorrent sucede ao anterior método de disponibilização de actualizações, que envolva mais de 20 servidores a enviar 25.6 terabytes de dados para os 6500 computadores. Este método, para além de acarretar grandes custos, podia demorar mais de quatro dias.

Agora, apenas dois servidores enviam as actualizações através de bittorrent. Quando um dos 6500 computadores recebe os ficheiros, também os fica a partilhar com os restantes, ajudando a distribuir com maior eficácia e rapidez os dados.

via Torrentfreak.com

Off-topic:
Estou para ver se os media de tecnologia portugueses, que adoram atirar chavões como «combater a pirataria», vão fazer destaque a esta notícia. É que estou para ver, mesmo!

imagem da autoria de Mat Honan

Alojamento Web

Vista tem menos de metade das cópias piratas do XP

 

Vista

 

Os dados foram apresentados pela Microsoft: a taxa de pirataria do sistema operativo Windows Vista é inferior a metade da registada no Windows XP.

«As taxas de pirataria são difíceis de medir com precisão, mas temos indicações fornecidas por métricas internas, como a das validações fracassadas no programa WGA, que revelam que a taxa de pirataria do Windows Vista é inferior a metade da registada no Windows XP actualmente», informou o vice-presidente da área do Marketing do Windows, Michael Sievert, citado pelo DailyTech.

Alojamento Web

Microsoft explica algumas mudanças no Windows Vista SP1

Vista

 

A pedido de vários utilizadores, a Microsoft citou algumas novidades que farão parte do Windows Vista SP1. Num comunicado oficial, a empresa disse que as mudanças no combate à pirataria se focarão nos meios usados para driblar as proteções do Windows Vista. O executivo Michael Sievert citou o "OEM BIOS" e o "Grace Timer" como principais cracks que serão desativados. Sievert também lembrou que os dois cracks mudam aspectos muitos profundos do sistema, alterando seu desempenho.