Bem eu tenho vindo a ver cada vez mais artigos a dizer que a culpa da queda das vendas de jogos / música / filmes é da pirataria… mas será que isto é verdade?

A meu ver isto está completamente errado…

Vou dar um exemplo, se eu sacar um jogo X e o jogo for bom eu vou comprar, até porque na maioria das vezes o jogo “copiado” não dá para jogar on-line, ou não tem certos extras. Se não fosse por este jogo X estar disponível em sites de pirataria eu jamais o tinha experimentado muito menos pensava em comprar.

Se for mau não o vou comprar, mas neste caso ninguém fica a perder porque eu jamais o compraria sem o experimentar.

Para mim a pirataria é um bom meio de divulgação de novo material.

No caso da música, “ah e tal as vendas de CD’s têm decrescido e tal”… toda a gente tem leitores de MP3 já ninguém quer os CD’s, por isso é que as vendas de MP3 têm subido. Não é por causa da pirataria.

Qual é a vossa opinião sobre este caso? A pirataria é um bom meio de divulgação ou é simplesmente prejudicial para as vendas?

26 COMENTÁRIOS

  1. No caso da música estou 100% de acordo… por acaso por vezes chego a comprar CDs de bandas que gosto bastante e converto-os para MP3 ou FLAC. E quando ganhar a minha independência financeira sou capaz de o fazer com muito mais frequência.

    Nos jogos também concordo mas… não é para isso que os Demos servem? Ainda que vá… alguns Demos são tão “restritos” que nem dá para ficar com o gosto do jogo xD

    Ultimo post no blog do petersaints: Porto Covo

  2. Ya as demos servem para isso… mas como tu dizes algumas não da para fazer nada 🙁

    E dps sacando uma demo ou um jogo inteiro (pirataria) ambos servem para testar o jogo não? Dps se gostares compras.

    Pelo menos é assim k eu vejo as coisas 🙂

    Ultimo post no blog do PT: Rabbit vs Snake

  3. @PT isso que tu fazes já não se chama pirataria. Há muito que recebeu o nome Try Before Buy (TBB). Eu também faço isso com jogos do PC, só nas consolas é que não. Primeiro porque “hackear” a Xbox é complicado q. b. e inviabiliza a garantia, depois há informação suficiente na net, juntando ás demos, que permite decidir uma compra com relativa segurança. Dos jogos da Xbox que tenho, nenhum me fez arrepender. Na Wii podia instalar o WiiBrew, mas fiz a actualização para o System Menu 4 o que deixou de ser possível instalar o WiiBrew, passa-se o mesmo com os jogos como na Xbox. Quanto à música, outro grande responsável pela quebra nas vendas dos suportes físicos são as lojas online (iTunes Store, Amazon, etc). O CD passou a ser mais peça de coleccionador.

    Ultimo post no blog do João Oliveira: Nova aquisição

  4. Concordo como que dizes no artigo!
    Não sou muito de jogos mas é claro que os jogos pirateados nem semre têm todas as funções a funcionar a 100%.

    Quanto à musica não acho que seja como os jogos. Uma musica pirateada não tem as limitações que um jogo pirateado pode ter (a não ser um album autografado etc)

  5. @João Oliveira

    Quem disse ke eu fazia alguma coisa? tava a dar um exemplo 😛

    Sim tudo bem é um Try-Before-Buy mas é pirataria na msm… Sacar alguma coisa sem pagar é pirataria na msm.

    Ultimo post no blog do PT: Rabbit vs Snake

  6. Boas, tenho de concordar contigo, e em relação ás Demos, poupem-me, aquilo dá para alguma coisa? Tudo restrito, as vezes níveis que duram 5minutos, demos de jogos de futebol onde jogas apenas primeira parte e que duras 2min… Saco os meus jogos, gosto, vou comprar. Não gosto, desinstalo, não o jogo e também não o compro, ninguém fica a perder. Temos culta de lançarem jogos a 50€. 65€ que não valem nada. Querem um exemplo? A E.A. parece-me que de 6 em 6 meses mete um NFS no mercado, já perdi as contas ao numero de NFS que existem… Alguns são tão maus que nem chegam aos chamados “top de torrents” (mais sacados, semeados…etc).

    Música… Bem sim a venda de Cds está a cair… As discográficas choram pelos cantos que os Cds acumulam-se nos caixotes… mas esquecem-se que as vendas de mp3 sobem todos os dias? Se somarem a venda de mp3 com a de Cds penso que não se notará diferença. Ainda a falar de música, um CD em média tem 12,13 músicas, imaginemos que o novo CD dos Xutos só tem 2 musicas boas, acham que vale apena comprar o CD? Vou a um site de música como itunes entre outros, compro, pago 2€ pelas duas musica e tá, a banda ganha a sua percentagem e sobe a estatística de venda de mp3 online.

    Filmes, a talvez a maior choradeira de todas, vamos ali ao cinema, 5€ o filme (valor mediano, mas cada vez sobe mais), muitas vezes levamos com um trailer que de nada tem haver com o filme, chegamos lá, apanhamos a maior seca e deixamos lá 5€. Gosto de cinema, mas ultimamente arrisco pouco a ir para não ter desilusões com os filmes. Mas por vezes saco o filme, dou uma olhadela e sigo para o cinema para ver em condições depois de ter uma ideia se valerá apena.

    Enfim podia escrever muito mais mas fico por aqui.

    Ultimo post no blog do Tiago: Ok, SIC vê também este!

  7. Como alguém já disse, “para isso é que servem as demos” :o)

    Parece-me que é isso que pretendes: experimentar!

    Eu fiquei muito satisfeito pela facilidade que há em fazer o download de demos na PS3!

    Não concordo é muito com o que dizes sobre ires comprar um jogo depois de o jogares…

    Só me parece que alguém o faça SE tiver realmente gostado muito e não puder desbloquear algum extra ou jogar em rede por ser uma cópia…

    Caso contrário, qual é o point de o fazer? Só para ter o original? Ou melhor, outra cópia com capas bonitas? :oP

    Eu acho que a melhor forma é mesmo disponibilizarem as demos (com funcionalidades online também)!

    Hugz,
    Luís

    Ultimo post no blog do Luís Miguel Silva: Estou dois dentes mais leve…

  8. Desculpem mas eu discordo totalmente…

    As pessoas que compram depois de experimentar são uma minoria…

    E não me digam que sacam um álbum, não tem qualquer limitação e vocês vão compra-lo a seguir… ok, eu não vou discutir se vocês o fazem mas temos de ter a noção que quase ninguém o faz.

    Quanto à desculpa do experimentar antes de usar…existem imensas formas de experimentar sem recorrer à pirataria.

    Todas as lojas tem cd’s para as pessoas ouvir, entre outras coisas que podemos experimentar…

    E então antigamente nós não tínhamos como piratear e as editoras vendiam na mesma…

    E ainda faltam os filmes, porque neste caso a justificação do experimentar não cola…nós vimos o filme que mais gostamos tvz 4/5 vezes na vida. Não o vamos experimentar e depois compra-lo… Digo eu…

    É só a minha opinião…

  9. @DR

    LOL experimentar não era as musicas nem filmes… Era jogos!!

    Para filmes há os trailers! No caso dos filmes por exmplo 1 coisa é sacar e ver num ecran de 15/16/17 polegadas com um sistema 2.1 de som, ou ver num cinema!

    Eu sempre k gostei de um jogo comprei-o e toda a gente k conheço faz o msm…

    Alias como alguns ja sabem eu joguei mts anos UT2004 e nem seker havia outra opção para jogar Online senao comprar o jogo.

    E outra coisa, eu compro sempre as minhas musicas… Tenho mutias musicas compradas (todas as ke tenho na minha library), sim podia ter poupado um dinheirão sacando as mesmas musicas… Mas se toda a gente sacar, na há dinheiro para os artistas logo não há mais musica de jeito (musica/jogos/filmes etc) logo eu acho k só fica bem pagar pelas musicas…

    @Luís Miguel Silva

    Como ja disse o “point” de comprar jogos é suportar as game houses para que continuem a fazer bons jogos.

    AS ke fizerem maus jogos paciencia…

    E 1 maneira de ver ke ainda muita gente compra jogos… vejam o World Of Warcraft por exemplo… milhões de pessoas jogam, e é OBRIGATORIO comprar (para fazer parte destas estatisticas).

    Mas pronto isso sou eu que sou a favor se pagar a quem merece. Sempre paguei por jogos, filmes, musica, software etc… e todos eles podia ter arranjado ha borla, mas knd é bom, acho k merece ser pago!

    Ultimo post no blog do PT: Rabbit vs Snake

  10. Acho que a pirataria ajuda mais é os jogos que têm online. Dou como exemplo o World of Warcraft, há milhares de jogadores em servidores privados, contudo há mais de 9 milhões a jogar nos oficiais (a pagar), e continuam a crescer todos os meses. Isto porque grande parte do pessoal que jogava nos privados, farta-se das ligações a ir abaixo ou dos bugs, e vai pagar para os oficiais. Isto é benéfico, já que eles ao jogar nos privados ficam com uma boa ideia de como é o jogo, assim já não andam “perdidos” quando forem pagar para jogar a sério. Até eu admito que jogo nos privados, mas já estou a fazer planos para comprar o jogo no verão e pagar três meses nos oficiais.
    Isto é só um exemplo, isto acontece com muitos jogos que têm online bloqueado só a quem tem serial original, as produtoras saem a ganhar, apesar do jogo ser pirateado.
    Por isso sim, acho que a pirataria é boa, pelo menos no que toca a certos jogos. Para jogos sem online ou para músicas, apesar de haver quem saque primeiro e depois compre original, é mau para as produtoras/artistas.

  11. Concordo com tudo que o editor escreveu e sempre pensei da mesma forma. A culpa da queda das vendas não é, não foi e nunca será da pirataria e sim, unicamente, da ganância dos produtores, que praticam preços estratosféricos e acham que o povo é burro.
    Com relação as músicas, para que que eu vou encher minha estante de cds se posso selecionar apenas o que gosto e gravar tudo em memory card ou colocar tudo em um dvd, que permite ouvir no carro ou em casa?
    Sobre jogos eu não curto e não perco tempo com isso, mas para quem curte, mais do que justo conhecer primeiro, antes da compra. Ao que pesquisei, os demos não mostram muito o que seja o game e portanto, a compra é sempre arriscada.
    Sou contra o cara copiar, vender e ganhar dinheiro com isso, mas copiar músicas, filmes e seja lá o que for, para uso próprio, é perfeitamente válido e as pessoas deveriam deixar de pagar elevados preços, portanto, o povo também é culpado.
    Os produtores ganham rios de dinheiro e isso poderia ser diferente.
    Ah, como gosto deste tipo do polêmica, copiei a idéia deste post e republiquei em meu espaço, citando a fonte, obviamente.
    Abraços e parabéns pelo post.

    Ultimo post no blog do Gato Guga: Os perigos das redes sociais

  12. A pirataria só existe por causa das empresas. Já viram o que é, por exemplo, dar 300 euros por um sistema operativo quando existem coisas opensource e gratuitas?

    Se as empresas colocassem as coisas mais baratas, vendiam mais e tinham o mesmo lucro, pois por ser barato as pessoas iam as lojas em vez de irem a sites de downloads ilegais.

    Ultimo post no blog do Celso Azevedo: ‘BlogTheme’ Theme

  13. A questão aqui é muito mais simples que tudo isto. Chama-se Internet. E toda a industria de media tem medo da Internet. Agora pergunto uma coisa muito simples, o cinema acabou quando apareceu a TV ? O cinema acabou quando apareceu o VHS ? A música acabou quando apareceram as K7’s ? Simplesmente a industria adaptou-se ás novas tecnologias e todos ficaram a ganhar. Não percebo a casmorrice de agora. Sempre ouvi dizer, se não os podes vencer junta-te a eles. E a pirataria não vai acabar nunca. Simplesmente é mais fácil combate-la pela amizade do que pela “força bruta”. Baixem os preços, criem novos meios de distribuição, adaptem-se aos tempos. Não podemos estagnar um mercado só porque nos lembramos que estamos a perder lucros da maneira tradicional. Há provas dadas que a evolução e os lucros podem andar de mãos dadas.

    Já agora só mais uma coisa. Há muito boa gente que ainda hoje em dia fala de galo contra a pirataria mas que nunca se pode esquecer de uma coisa. Em 1992 quem tinha um pc que software tinha ? Microsoft. Possivelmente de umas disquetes copiadas por um amigo. Mais tarde com o Windows 3.11 a mesma coisa. Um amigo que tinha e emprestava, instalava-se, etc. Passados 10 anos a microsoft tinha o maior monopólio que existe á face da terra. Tudo à custa da pirataria.

    E mais não digo que já me alonguei.

    Cya

  14. Li os comentários anteriores um pouco na diagonal e vou dar a minha opinião focando alguns pontos já focados também.
    Na minha opinião a “pirataria” <joke Somália ftw</joke tem aspectos bons e aspectos maus, mas todos eles dependem da pessoa em questão e do uso que dá à “pirataria”.

    Aspecto nº 1: Jogos
    Como já foi falado, descarregar um jogo “pirata” faz com que não tenhamos acesso a alguns extra como por exemplo jogar online e sinceramente a minha opinião é que jogar online é bem melhor do que jogar offline, existem também jogos que dão para jogar online em servidores “pirata” no entanto, lembrem-se que há sempre os cheaters que estragam a pica toda de um jogo. Então se descarregarmos um jogo e ele for bom vai existir aquela vontade de continuar a jogar e de jogar legalmente por todas as vantagens que ele trás. Existem também as pessoas que permitem continuar a jogá-lo ilegalmente, aqui a “pirataria” já está a ser má porque enquanto que na situação anterior servia para divulgar os jogos aqui já não, serve para usar o trabalho dos outros de borla.

    Aspecto nº2: Músicas
    Este é um aspecto muito “perigoso” no que trata a “pirataria” isto porque nos nossos dias arranja-se facilmente qualquer musica com boa qualidade, quer em mp3 de elevada qualidade quer em formatos lossless quality como o flac, o que faz com que não dê muita vontade de comprar os albums originais, ainda por cima quando só se gosta de uma ou duas músicas de um album que custa normalmente entre 10€-20€… Surge então outra opção que é de a comprar por 1$ ou um preço semelhante online, mas isto sabe a pouco. Por isso a “pirataria” aqui tanto pode servir para promover a banda bem como para não vender tanto.

    Aspecto nº3: Filmes
    Eu não sou grande apreciador de filmes, séries, etc. por isso não tenho opinião formada acerca deste ponto pois não sou um “pirata activo”.

    Aspecto nº4: Livros
    Eu pessoalmente devoro livros, não apenas livros de histórias mas livros técnicos, livros mais cientificos e normalmente o que faço é sacar um ebook de um sitio qualquer dar uma vista de olhos e se gostar compro, porque se há coisa que não gosto é ler livros no computador, dá-me gosto folhear um livro. Por isso acho que neste aspecto os autores e editores saem a ganhar pois caso contrário pessoas como eu não iam comprar certos livros (os livros cientificos são geralmente caros).

    O que posso ver da minha breve reflexão sobre o tema é que a “pirataria” é uma faca de dois gumes tanto pode servir para o bem de todos como para o mal dos autores / produtores.

    Atenção: Este comentário expressa apenas uma opinião e não uma verdade universal ou wtv.

    Ultimo post no blog do João Pedro Pereira: Diminuir Load Times no Carregamento de Páginas Web

  15. Ora ser pirata já todos fomos… desde que se inventaram fotocopiadoras, fotocopiámos livros ou excertos por exemplo.

    O modelo é o mesmo de sempre, desde que foi instituído… e quando entramos no mercado como clientes, estamos a aceitar as regras do mercado…ou a cometer ilegalidades: Quem produz uma coisa tem o direito de se ver ressarcido por ela… quer seja o autor da coisa, quer seja quem ajuda o autor a fazê-la chegar aos clientes finais…
    Mesmo os Radiohead “partilharam” a sua música online com base no modelo donationware para passar por cima das editoras, e viram-se obrigados a contratar uma editora para tornar o seu disco “real” para gerarem $$$ a séria, publicidade, distribuição e massa crítica para terem visibilidade em todo o mundo, para conseguirem espaço de prateleira nas fnacs deste mundo, que continuam a existir… e no entanto podem estar certos que os primeiros a “comprar” as músicas online foram os fãs mais fortes, aqueles que estão dispostos a dar tudo pela banda!!! ora aparentemente assim sendo, o nosso modelo não funciona!!

    O facto de ser fácil de fazer download e uma cópia é que está a desviar o processo do normal já que neste momento temos fotocopiadoras em casa e o custo de se obter uma “coisa” está infinitamente mais reduzido do que antes… para o mesmo benefício… e isso é tentador.

    E não se esqueçam… não é contra vocês (que aparentemente como eu, são todos santos) que compram os originais que as editoras “se revoltam”… porque ao comprarem os originais deixam de ser piratas.
    Agora aqueles que sacam um jogo, chegam ao fim e vão à net dizer mal do mesmo…esses sim… são os verdadeiros piratas.

    E já agora, sem querer levantar falsos moralismos a que esta questão (tão velha quanto PC VS MAC) levanta, quando criarem uma obra digital na qual apostam o vosso futuro e dos vossos dependentes e a virem copiada e distribuída ilegalmente por todos, aí sim venham aqui falar de pirataria… ou de TBB 😉

    Até lá, nem eu nem vocês temos motivos para achar que “temos desculpa” porque quem ganha não é o criador da obra :).

    Não é TBB, é pirataria.(ponto final)

  16. Ora bem…

    Filmes.
    Há filmes que nem merecem ser pagos, mas até mesmo alguns desses conseguem ter grandes vendas. Muitos destes filmes, ditos comerciais, acabam mais tarde ou mais cedo por passar na televisão, o que me leva a outro ponto. Por vezes dá um determinado filme na televisão que gostávamos de ter visto, mas aquela hora não podíamos, então a solução da pirataria torna-se a mais viável e neste caso não me parece que prejudique ninguém.
    Quanto aos bons filmes, na minha opinão, não são muito frequentes por isso dá pa ir ao cinema. Se bem que o preço de €5 pelo cinema (e também o preço das pipocas, apesar de serem supérfluas) é um pouco caro.

    Música.
    Comprar cds? O quê, encher os bolsos às editoras enquanto que estas roubam os verdadeiros artistas?
    Pois é isto que acontece, os artistas nem recebem 20% do lucro pelas vendas dos cds. Mas agora com a expansão da internet e a partilha de ficheiros, as editoras começam a perder o seu poder sobre o consumidor e sobre os artistas e depois são as acusações que se vêem.
    Além de que ao comprarmos cds virgens estamos a pagar um X de direitos de autor, não sei pra quem, mas estamos.

    Quanto aos “mp3” parece-me ser o caminho a seguir, pois também poupamos o ambiente. Mas este mercado que há agora não é grande coisa. Porque vender músicas com DRM é estúpido, não ético e quem se lixa é quem compra (e o mesmo passa-se com alguns jogos). Portanto deviam haver lojas online, que pra já deviam excluir tecnologias como DRM e também deviam dar a escolher entre os vários formatos existentes (mp3,ogg,wav,etc).
    Fiquei com a ideia que o mesmo problema de roubarem (à grande) os artistas também se passa nos mp3, lembro-me de ver uma reportagem na sic na qual o vocalista dos Xutos e Pontapés disse que por cada música comprada no iTunes só recebia 1 cêntimo e as músicas eram vendidas a €1…enfim.
    Portanto, se querem realmente apoiar um artista, vão aos concertos do mesmo.

    Séries.
    Basta darem as séries ao mesmo tempo em todo lado e não com meses de diferença.
    Outro aspecto importante é não darem as mesmas à 1h ou 2h da manhã em dias da semana e até mesmo em fim-de-semanas. Tirem-me a porcaria das novelas, nem digo todas, mas pelo menos de forma a que ponham uma série a um horário decente.

    Jogos.
    Como já tinha falado na parte da música, alguns jogos também sofrem do DRM, o que é extremamente desagradável e só complica a vida de quem compra o jogo e depois claro, torna-se mais fácil recorrer à pirataria.
    Outra coisa… é o facto de, no caso dos jogos de PC, só fazerem jogos para Windows.
    Como já disseram, basta fazer um jogo com um bom modo multiplayer para que tenha boas vendas.

    Software.
    Não concordo que haja pirataria, tirando algumas possíveis excepções. Pois para (quase) tudo há uma alternativa grátis tão boa ou melhor.

    Livros.
    Não acho que haja grande pirataria neste mercado, porque normalmente as pessoas preferem ler mesmo o livro do que ler um pdf.

    A pirataria, ou seja, a cópia de algo sempre existiu. Agora simplesmente passou a grande escala, digamos assim.

  17. “Software.
    Não concordo que haja pirataria, tirando algumas possíveis excepções. Pois para (quase) tudo há uma alternativa grátis tão boa ou melhor.”

    LOL: windows, Office e Autocad… I dare you!

    Não te esqueças que para quem pirateia, este software também é gratuito quando comparado com os que mencionas (pois peso na consciência não tem uma etiqueta com €€€) e com a benesse de ser “the real sht” sem precisar de modos de compatibilidade…

    Ultimo post no blog do Joao Carvalhinho: Sneak peak ao iphone OSX 3.0 no dia 17

  18. @ Celso Azevedo, concordo plenamente contigo e acrescento ainda que o período de lançamento de novas versões entre 6 meses e um ano de certos projectos open source como desktops, distribuições e alguns jogos ( nexuiz, alienarena ) na minha opinião faz mais sentido uma vez que os updates incrementais tornam a experiência de utilização mais positiva.

    No que diz respeito a jogos acho que a pirataria faz sentido no aspecto de experimentar antes de comprar devido à quantidade de lançamentos anuais e ao preço elevado destes, uma vez que os demos são, como já foi referido aqui, muito restritos e não oferecem a experiência total do jogo completo. Existem várias vantagens em adquirir um jogo se este nos interessar tais como acesso á componente online que são impossíveis de obter na maioria dos jogos pirateados tais como unreal 2004 (como também já foi referido por aqui) para o qual existe uma vasta quantidade de mods gratuitas.

    Quanto à música existe mais uma vez o elevado preço dos CDs e o número de músicas por cd que realmente valem o valor do cd em que estão gravadas. A compra de música online deixa também a desejar porque perde-se ainda mais o valor visto que a vasta maioria desta está disponível apenas em formato comprimido (mp3 e aac(iTunes)) ou pior ainda feita refem(cheia de drm) perdendo-se assim liberdade que se tem com o cd(converter para o formato que se apetecer para se usar onde se queira) deixando o consumidor com duas alternativas: comprar musica que não quer juntamente com a que quer e a elevados preços ou musica que quer mas sem liberdade de fazer com ela o quer. Talvez comprar online e depois sacar versões piratas em formato flac seja uma opção não sei.

    Em relação aos filmes acho aceitável no contexto em que se veja versões screencam(filmadas no cinema) para ver se vale a pena ir ver ao cinema ou comprar o dvd quando este saír.
    As séries desde que tenham passado por cá não vejo qual é o problema uma vez que a maioria delas passa num horário inconveniente.

    Não esquecer que a pirataria é um bom meio para estabelecer bases de futuros consumidores actualmente financeiramente dependentes.

  19. Na minha opiniao, ate estou de acordo contigo. Ou seja, deveria ser na mesma como esta, mas limitado a alguns recursos, no exemplo ONLINE. Agora apenas os novos jogos estao a fazer isso. Nao chamos DEMOS, aos “DEMOS” convencionais, porque eles sao bastantes limitados, e nao deixa ver o fim do jogo. Faz-me lembrar o M0H á uns anos atraz, que ate estava a espera do fim para o comprar, mas fiquei bastante desiludido quando as missoes (full), eram pouquissimas. Enfim. Ainda bem que nem o comprei.

    Os proprios criadores dos jogos, parecem querer e dar continuaçao á pirataria. Nao é uma coisa que se compre quando se queira, ainda por cima com esta crise toda.

    Um jogo minimamente actual, dá-se pelo menos de 30€ para cima. Um absurdo. Quando era mais “jogatinas”, so tinha um jogo quando fazia anos, e/ou natal, ou as vez no final do mes, e mesmo assim, tinha que ver se me sobrava o suficiente para me governar todo o mes.

    Penso que se vendessem, um jogo a ate 20€, lucravam mais com isso, a pirataria, rendia-se, e hoje, o meu filho estava com a prateleira toda cheia de jogos… lol

    Assim, penso que a pirataria vai governar, ate que eles deixem de desenvolver, sei la…

  20. @Joao Carvalhinho

    hãã??

    LOL: GNU/Linux,OpenOffice,Freecad ?

    Ok, eu admito que não sirvam para todas as pessoas, mas para muitas servia e bem. Apenas desconhecem as alternativas ou então estão demasiado agarradas a um determinado software.

    “Não te esqueças que para quem pirateia, este software também é gratuito quando comparado com os que mencionas (pois peso na consciência não tem uma etiqueta com €€€) e com a benesse de ser “the real sht” sem precisar de modos de compatibilidade…”

    E depois? não é por isso que vou começar a concordar que haja pirataria. lol

  21. Então, há pouco tempo, mas sinceramente já não me recordo onde, pode ter até sido aqui no web tuga mas provavelmente foi no programa do canal AXN “insert coin”, era a lista dos jogos mais pirateados em 2008, e o jogo Spore liderava a contagem e apenas havia sido lançado a 3 meses do final de 2008, foram contabilizadas 1.7 milhões de downloads ilegais, agora digam-me, se tivessem sido comprados na loja a cerca de 49 euros (não digo que seja este o preço, mas deve andar lá perto) seria um lucro desgraçado, visto que que 49 vezes 1.7milhoes é igual a 83.300.000euros. Respondendo dentro do tópico, de maneira alguma a pirataria para mim seria um bom meio de divulgação.

  22. Concordei com muitos dos comentários aqui referidos e menos com outros…
    Mas, em relação à questão do tópico em si, penso, sinceramente, que não é a pirataria que está a provocar as quebras nestas áreas!
    Duvido muito que todos aqueles que não a praticavam antes destas quedas, o tenham feito em escala massiva.
    A questão que se coloca aqui, a meu ver, não é propriamente “Pirataria: certo ou errado?”.
    Aquilo que estas indústrias deviam fazer, em vez de estarem a lançar as culpas para algo que sempre existiu, era baixar os preços dos seus produtos, tal como estão a fazer noutras áreas, porque como todos sabem a queda é global devido à tal “grande crise que todos falam” (e que começa a ser exagerada na medida em que serve de desculpa para tudo)

  23. Simplesmente inutil essa discussão e ridicula ….
    O negocio e o seguinte
    Quem tem grana paga por um original
    Quem nao tem se vira com um pirata com menas função , sem capa bonita ou uma qualidade inferior a um cinema
    Interessante seria voces comessarem a discutir pra onde esta indu a grana que voces pagaram de impostos pro governo pois ele sim e o pior pirata que existe,
    Enquanto tem gente aqui que nao sabe de bosta nenhuma e da opinião sobre assuntos simplesmente sem pé e sem cabeça tem alguem uma hora dessa dormindo na rua sem nem se quer ter tocado um dia em um computador pra jogar um jogo pirata ou original , e voces preocupados com um cantor que ganha mais de 50 mil por mes querendo aumentar ainda mais a renda dele,
    vai procurar trabalhar voces todos que ganham mais , e façam o possivel pra quando entrarem em uma discussao dessa saber se voce fez sua parte como cidadão , nao como puxa saco de artista que por sinal são bem pagos,
    desculpem as duras paravras , mais tem gente que nao tem 1 real no bolso e quando navega na internet gosta de bater no peito falar que paga isso aquilo, paga um cerveja pra mim amigo
    Flws e conciencia

  24. De certa maneira a piretaria é boa para musicas e pequenos desconhecideos programas, mas para coias “super” conhcidas( ex: Adobe After Effects)

    Musicas – Sim
    Séries – Sim
    Programas desconhecidos – Sim

    Os mais recentes updates de pirataria em orlydb.com (a página oficial da “scene”)

Comments are closed.