Depois de estrear na categoria de telefones touchscreen com o 5800, a Nokia finalmente incluiu o manuseio por toque no seu novo e principal smartphone com S60, o N97.

Não é um mergulho inteiro no toque – ainda há um teclado horizontal QWERTY escondido abaixo da touchscreen de 3,5” e 640 x 360 pixels e que é acessado por meio de um mecanismo flip de 30º. O N97 rodará uma versão do Symbian OS ainda mais otimizada para toque, a S60 v5, com a barra de contatos rápidos do 5800 e uma coleção de widgets de desktop customizáveis que podem ter informações do Facebook, feeds RSS e que tais, como aqueles presentes no sistema operacional de internet tablets da Nokia. Os widgets serão abertos a desenvolvedores terceiros e – “por enquanto”, diz a Nokia – disponíveis pelo tradicional aplicativo Downloads do Symbian. Não é bem o equivalente à App Store que os fãs desejariam, mas a personalização por add-ons é definitivamente a rota adotada.

Como é comum com modelos da Nokia, o N97 deve chegar primeiro à Europa e à Ásia. O pessoal de Moscou e Macau pode esperar pelo novo smartphone por volta do primeiro semestre de 2009; logo depois, chega ao mercado norte-americano. Na Europa, ele sairá por € 550, sem subsídio.

O modelo que manuseamos brevemente em Nova York é, claro, a versão européia, sem 3G norte-americano (e, infelizmente, sem rede Wi-Fi disponível). Sem conectividade, não havia muito a ser testado, mas podemos dizer que o hardware é realmente bonito e condiz com o preço. Os widgets de desktop parecem legais, mas as desvantagens de uma touchscreen resistiva (incluída, como sempre, para assegurar reconhecimento de caracteres via stylus para o mercado asiático) foram imediatamente percebidas ao arrastar os widgets.

As especificações incluem 32 GB de memória on-board (com 16 GB adicionais via microSD), A-GPS com o aplicativo Maps 3.0 da Nokia, suporte a N-Gage e câmera de 5 MP com lentes Zeiss e flash de LED.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.