O fenómento “e-escolinhas”

e-escolas

Para quem ainda não ouviu falar ou ainda não leu, o “e-escolinhas” é (mais) um programa do governo do Sr. José Sócrates que visa a distribuição de computadores “Magalhães” a um preço máximo de 50€ por alunos do 1º ciclo do ensino básico. Para quem não está muito habituado a estes termos, o 1º ciclo do ensino básico corresponde à antiga escola primária (que compreende alunos dos 6 aos 9 anos).

Olhando para o intervalo de idades e para o nível de escolaridade definido para o programa “e-escolinhas” eis que me surge uma questão: Será que alunos que ainda não sabem ler ou escrever, ou alunos que não têm adquiridas as bases de escolaridade essenciais / primárias, necessitam de um computador (mesmo que de um computador de baixo custo se trate)?

Pois bem, o governo de José Sócrates pensa que sim e vai distribuir computadores a um valor máximo de 50€ a crianças de 6 anos que ainda não sabem ler nem escrever. Vai distribuir computadores destes a um preço máximo de 50€ a crianças com 7 anos que aprenderam a ler (com dificuldade), a escrever (com dificuldade) e a fazer contas de somar e de subtrair (mas que não sabem verificar se as mesmas estão bem feitas ou não usando a prova real, ou a operação inversa). E por aí fora até aos 9 anos.

Que necessidade têm estas crianças de um computador? Será que lhe vão dar o devido uso? Não deveria ser aposta do governo adequar os programas educativos deste nível de escolaridade, tornar estas crianças mais capazes quando terminam a escola primária? Não há, neste momento, investimentos mais importantes para se fazerem a nível nacional? Lanço aqui algumas questões que julgo serem pertinentes e aguardo as vossas respostas bem como outras questões que considerem também relevantes.

É com enorme prazer que aceitei este desafio do cenourinha que me convidou a escrever este artigo no seu blog, o WebTuga! Obrigado.

lfspaulo
Autor: lfspaulo
Blog Pessoal: Há cenas lixadas!
Sobre: Luís Paulo é um leitor e comentador assíduo do WebTuga e o primeiro a aceitar escrever um guest-post no WebTuga. Esperemos que este seja o primeiro de muitos guest-posts.