OWA – Open Web Analytics

OWA

Open Web Analytics é uma ferramenta em PHP, disponibilizada com a licença GPL 2.0, que lhe permite fazer o tracking de todas as suas visitas e gerar relatórios com as estatísticas de cada visita em cada site.

O OWA tem um conjunto de APIs em PHP e HTTP APIs que permitem facilmente integrar o sistema em outros CMS e aplicações web. Já existem inclusive versões do Open Web Analytics para o WordPress, MediaWiki e Gallery2.

Uma excelente ferramenta para quem é viciado em estatísticas ou necessita de partilhar várias vezes as visitas dos seus sites a outras pessoas.

Alojamento Web

Why does Joomla really sucks – Porque é que o Joomla não presta

Joomla Logo

Como é do vosso conhecimento, o WebTuga usou a plataforma Joomla durante cerca de 1 ano, portanto serve este post para vos contar a nossa experiência neste CMS.

O Joomla é um CMS ( Content Management System ), licenciado sob a GNU General Public License, que permite criar desde pequenas páginas, a grandes portais.

Neste caso, o Joomla seria adaptado a plataforma de blogging.

Antes de tudo, a maioria dos themes disponíveis e com alguma qualidade são pagos ou é necessário entrar num clube com subscrições premium anuais ou algo do género, e a criação de themes para Joomla torna-se bastante complicada para o utilizador comum, portanto ou compra um theme, ou então fica com um site visualmente fraco.

A instalação do Joomla é bastante simples, como qualquer outro CMS que usei até hoje, no entanto quando chega à hora de fazer actualizações para novas versões, ai temos graves problemas, pois a maioria dos módulos, dos componentes e dos mambots deixam de trabalhar.

Com uma instalação do Joomla e com um theme já escolhido, chegou a hora de importar os artigos do WordPress. E aí é que temos mesmo um grave problema.

No WordPress os artigos estão separados por categorias e por sua vez, o Joomla separa os artigos por Secções e Categorias, tornando assim a importação muito mais complicada.

Para fazer a importação, foi necessário exportar a base de dados do WordPress em excell, dividindo os campos dos artigos por colunas e criar uma nova folha de Excell com os comandos MySql e com a estrutura da tabela dos artigos do Joomla. Tudo isto foi um processo feito manualmente e que após da importação, deu ainda mais trabalho, pois tivemos que definir as secções e categorias dos artigos, um a um.

Apesar de ambos terem o código aberto, ainda ninguém foi capaz de desenvolver uma aplicação que importa-se tudo automaticamente de um WordPress para o Joomla, mas nós, com uns testes e umas brincadeiras, lá conseguimos em menos de um dia, converter todos os artigos para Joomla.

Feita a conversão, foi necessário adaptar o Joomla a plataforma de blogging. Tivemos portanto que pagar uma licença de um componente para comentários, pois o Joomla não traz por defeito nenhuma.

Além disso, foi necessário um novo componente para criação de RSS feeds, pois as rss feeds que o Joomla criava eram simplesmente pobres, pois apenas mostrava parte do conteúdo.

Colocamos os artigos ordenados por data na FrontPage e assim ficou a nossa plataforma de blogging em Joomla, no entanto sem algumas necessidades como uma ferramenta para pingar os serviços web, quando criados novas entradas.

O Blogging é um hobbie e portanto deve ser fácil criar posts e comentários, no entanto não era isso que o Joomla fazia. O editor do Joomla, não era compatível com o Firefox 3 por exemplo, o que fazia com que aqueles que não estivessem tão habituados a mexer em HTML, tivessem algumas dificuldades a escrever.

Para além disso, quando necessitávamos de alterar algo no template, tornava-se uma tarefa um pouco complicada.

Finalmente, um ano após trabalhar em Joomla, consegui converter os posts do Joomla para WordPress e os comentários do Jomcomment para a tabela dos comentários do WP e aqui estamos nós, felizes da vida, com a melhor plataforma de Blogging.

Por isso, se estão a pensar em criar um blog, ou um site, ponham o Joomla de parte, pois não é uma opção muito agradável.

Alojamento Web

Matroska no DivX 7

Matroska

O DivX 7 poderá vir a suportar o formato Matroska.

Matroska é um formato de ficheiros multimédia opensource, licenciado sob a licença GNU GPL, lançado a 1 de Maio de 2003 que tem como objectivo chegar a todas as plataformas de reprodução de multimédia.

Uma das grandes vantagens do Matroska é permitir incorporar vários codecs, desde os livres aos proprietários.

Por isso, em breve será possível reproduzir ficheiros mkv ou mka no DivX.

Alojamento Web

Android será 100% Open Source

Logo do android

Segundo diz o Google, ao contrário do que se tem dito, a plataforma Android, bem como todos os seus componentes e bibliotecas necessárias para fazer o port da plataforma para novos dispositivos, serão totalmente opensource para uso comum.

A licença usada será a ASL v2, ou seja, Apache Software License v2, usada também em projectos como o servidor HTTP Apache, o Tomcat e muitos outros grandes projectos opensource, existindo apenas duas excepções como é o exemplo do software que já está actualmente coberto por licenças, como é o caso do kernel Linux que usa a GPL ( Gnu Public License ) e ainda no que toca ao software Eclipe, que será licenciado pela licença Eclipse Public License (EPL).

O que poderá não ser open-source, serão as aplicações 3rd party criadas por desenvolvedores, que poderão ao abrigo da licença ASL v2, escolher qual será o licenciamento a proteger o seu software. Ou seja, o desenvolvedor poderá escolher se deseja ou não partilhar o código.

Alojamento Web

CMS sem base de dados

CMS Sem base de dados

Hoje em dia, qualquer plano de alojamento de qualquer empresa de hosting tem suporte a pelo menos uma base de dados.

No entanto, para aqueles servidores que não têm suporte ou aqueles que atingiram o limite máximo da base de dados no seu plano de alojamento, existe uma solução para esse problema: usar um CMS que não use uma base de dados, mas sim um ficheiro de texto para guardar a informação.

Desta forma, os ficheiros de texto vão realizar a mesma tarefa que uma base de dados, não havendo a necessidade de haver outro módulo a correr no servidor para a base de dados, tal como no caso do MySql.

Em baixo, deixo algumas soluções de sistemas de gestão de conteúdo que não necessitam de base de dados para correrem.

Flatpress

Já aqui tínhamos falado acerca do Flatpress. Um cms opensource para a plataforma de blogging, bastante semelhante ao WordPress, mas que não necessita de base de dados MySql.

Usa o sistema de templates Smarty e tem o suporte para Widgets e Plugins, tal como no WordPress.

Caso queira e após a instalação e o uso intensivo do FlatPress, deseje instalar o WordPress, poderá importar a base de dados usando este script.

Pivot

O Pivot é uma ferramenta gratuita, distribuída sob a GNU Public General License, que lhe permite criar páginas dinâmicas, como pequenos blogs ou jornais online em PHP, sem a necessidade de funções ou base de dados adicionais.

A razão pela qual o Pivot usa ficheiros de texto e não uma base de dados para guardar a informação, é fazer com que o sistema possa correr numa quantidade maior de servidores possível.

Cute News

Cute News é um poderoso sistema de gestão de notícias que permite facilmente adicionar notícias, comentários, efectuar pesquisas e envio de ficheiros, tudo sem a necessidade de usar MySql.

Para além de um excelente editor WYSIWYG, apresenta ainda um sistema de templates bastante fácil de usar.

simplePHPblog

simplePHPblog é a mais simples ferramenta de criação de blogs que pode existir.

Com este cms poderá em poucos segundos ter o seu blog com as funções básicas e sem a necessidade de uma base de dados.

CMSimple

Um cms dividido em duas versões, uma comercial e outra sob as licenças GPL e AGPL 3. Visite o site do CMSimple OpenSource.

E pronto, penso que podemos ficar por aqui. Caso seja programador e tenha criado algum CMS, leia acerca do txtsql e faça uma versão do seu gestor que não necessite de base de dados.

Alojamento Web

A dança dos Geeks por Richard Stallman

Quem não conhece Richard Stallman, umas das pessoas mais importantes no mundo do software livre, tendo sido fundador da Free Software Foundation (FSF), do projecto GNU e criou várias aplicações como GNU C Compiler e o Emacs. É também o criador das licenças GNU GPL.

Richard Stallman é uma pessoa com um espírito bastante aberto ( será que o espírito dele é open-source? ). Aqui neste vídeo podemos observa-lo a dançar com o seu portátil.

Alojamento Web

Microsoft consegue aprovação da ISO para o formato MSOOXML

A Microsoft, ao fim de vários meses, conseguiu a aprovação da ISO para o seu formato MSOOXML. Mas este processo fica marcado por várias alegadas irregularidades e já valeu a investigação da União Europeia a alguns dos comités.

Mas isto não fica por aqui. De acordo com algumas pessoas que fizeram parte de alguns dos comités, o formato tem demasiados erros, como o mau cálculo de datas e simples operações matemáticas. E o formato, de acordo com o Software Freedom Law Center, não é compatível com a GPL e nem dá garantias de protecção de processos judiciais a quem o implemente ou utilize.

Ainda assim, a Microsoft conseguiu aprovar o seu formato – algo que, na minha opinião, é estranho (no mínimo). Mas a aprovação ainda não tem efeitos imediatos, porque haverá um período de dois meses para serem apresentados recursos da decisão da ISO.

Se quiserem saber mais sobre o caricato processo de aprovação do MSOOXML como norma ISO, visitem os sites Software Livre no Sapo, Groklaw.net, o blog pessoal do delegado brasileiro Jomar Silva e ainda o NoOOXML.org.

Alojamento Web

Messenger Plus! Live permite alterar o aspecto do Windows Live Messenger

Com o Messenger Plus! Live podem mudar o tema do Windows Live Messenger para, por exemplo, algo mais na onda do Mac OS X. Se não gostarem desse tema, podem escolher outro entre os vários disponíveis.

Messenger Plus! Live, via appaholic.co.uk

Alojamento Web

Nokia prepara-se para adquirir a Trolltech

A finlandesa Nokia anunciou a realização de uma oferta pública pela norueguesa Trolltech, com o valor total da oferta a rondar os 150 milhões de euros. Para a realização do negócio, a Nokia impôs como obrigatório a aprovação da aquisição por parte de, pelo menos, 90% dos accionistas da Trolltech.

A Trolltech é a empresa responsável pela criação das bibliotecas multi-plataforma de desenvolvimento QT, utilizadas para a criação do gestor de desktop KDE. Essas bibliotecas estão sob a licença GPL.

Com esta aquisição, a Nokia pretende acelerar o desenvolvimento de aplicações multi-plataforma para os seus dispositivos, para a web e para os computadores pessoais – as duas grandes áreas de especialidade da Trolltech.

“Trolltech’s deep understanding of open source software and its strong technology assets will enable both Nokia and others to innovate on our device platforms while reducing time-to-market. This acquisition will also further increase the competitiveness of S60 and Series 40.”

Em comunicado dirigido à comunidade que desenvolve e utiliza software livre, a Trolltech garantiu que irá continuar a desenvolver e a disponibilizar sob a licença GPL as bibliotecas QT. A Nokia afirmou que, caso se concretize o negócio, irá disponibilizar as bibliotecas sob uma licença livre e uma proprietária.

Alojamento Web