SuseStudio – Criar uma distribuição Linux nunca foi tão fácil

WebTux

O SuseStudio é um projecto que permite através de um gerador web based criar uma distribuição Linux com apenas aquilo que necessita, bastante semelhante ao já existente Nimblex, referido anteriormente aqui no WebTuga.

O projecto ainda está em fase Alpha e poderá candidatar-se submetendo o seu endereço de e-mail no formulário presente na página principal do projecto.

Já tinha conhecimento deste projecto à algum tempo e estava ansioso para que me enviassem o convite.

Criar distribuição através de template

SuseStudio
O primeiro passo para criar a sua distribuição através do SuseStudio é escolher o tipo de template que deseja. Todos os templates são baseados em openSuse 11.1 e poderá escolher desde openSuse 11.1 em modo texto, sem ambiente gráfico, optimizado para servidores, openSuse 11.1 Minimal X, onde apenas tem um ambiente gráfico minimalista com o servidor X, openSuse 11.1 KDE 3 com o ambiente KDE3 e OpenSuse 11.1 KDE 4 com o KDE4, o OpenSuse 11.1 com o ambiente gráfico Gnome e ainda o OpenSuse 11.1 JeOS com um ambiente pequeno que apenas ocupa 84MB em ficheiro compactado em zip.

Nome da distribuição Linux

Depois de feita a escolha do tipo de template que deseja, será redireccionado para um novo wizard que lhe irá pedir o nome a dar à sua distribuição.

Nesta nova janela terá acesso a vários menus de configuração onde poderá optar por seguir todos os passos ou saltar os passos que desejar, voltar atrás para alterar, etc…

Adicionar repositórios à distribuição

SuseStudio

Continuando a seguir as indicações do wizard, irá agora chegar à aba “Software”. Nesta nova aba, a primeira opção permite-lhe adicionar repositórios adicionais à sua distribuição baseado em software ou através do url.

Poderá ainda procurar repositórios pesquisando por software, pacotes e pelo nome dos repositórios.

Adicionar software à distribuição

O passo principal para tornar uma distribuição personalizada é permitir instalar software e pacotes que desejamos.

Para tal o SuseStudio tem um conjunto de aplicações separadas por categorias que poderá instalar ou desinstalar a qualquer altura na sua distribuição.

Poderá escolher desde software de desenvolvimento, aplicações servidor, jogos, ferramentas multimédia, etc…

Continue reading “SuseStudio – Criar uma distribuição Linux nunca foi tão fácil”

Alojamento Web
Alojamento Web

Como instalar o KDE 4.1 beta 1 no Ubuntu 8.04

kde desktop kde 4.1 ubuntu

Ainda não chegou à versão final, mas já está disponível para o Ubuntu e respectivas variantes um repositório com a primeira beta do KDE 4.1. Como esta não é ainda a versão estável deste gestor de desktop e eu não tenho paciência para estar a usar um desktop potencialmente não tão estável como eu gostaria, prefiro não adicionar este repositório por enquanto. Mas quando a versão final sair, é a primeira coisa que faço.

Entre as muitas novidades desta primeira beta do KDE 4.1 estão o maior número de aplicações já a utilizar o QT4 – como o Kontact, a PIM do KDE -, mais opções de configuração do desktop e a maior maturidade do Plasma, um componente essencial do KDE4.

As instruções para adição do repositório e instalação do KDE 4.1 beta 1, assim como a link do repositório, estão no site Ubuntugeek.com. Usem, mas não abusem. 😛

Alojamento Web

Fedora 9 – Download

Fedora 9

Já está disponível para download o novo Fedora 9.

De entre as novidades está a versão 2-6-25 do kernel Linux, o Gnome 2.22 e ainda a oferta do KDE 4, que há muito se espera para a distribuição. A beta 5 do Firefox 3 está também incluída, oferecendo um menor consumo de recursos aliado a uma performance de topo, oferecendo uma experiência de navegabilidade muito melhor comparada com a do Firefox 2.

O chamado Sulphur, também inclui novidades a nível mais técnico, como o servidor de som PulseAudio e o PolicyKit que implementa uma segurança muito mais rígida ao sistema, que agora está incorporado de forma mais completa e firme.
O NetworkManager, que facilita configurações de rede e ligações mais simples a redes sem fios, traz agora suporte a dispositivos GSM e CDMA.

Outra novidade é o PackageKit que oferece uma gestão universal de instalações, pacotes e actualizações de forma fácil e rápida. Esta plataforma é compatível com diversos sistemas de gestão de pacotes, deste o YUM do próprio Fedora até aos doutras distribuições, o que faz do PakageKit uma bela implementação para outras soluções.

O tema visual Nodoka foi também aprimordiado. Está mais limpo e mais refinado no Fedora 9. Agora é mais consistente e mais polido e suporta as novidades da nova versão do Gnome.

O Fedora está disponível em 3 downloads: Install Media, Desktop Live Media e KDE Live Media. As dua últimas são versões LiveCD com instalador.
Alojamento Web

KDE 4.1 Alpha – Deliciem-se com as novidades

Recentemente a comunidade KDE lançou um Press-Release a anunciar a disponibilidade imediata do KDE 4.1 Alpha que nos traz novidades fantásticas.

Segundo nos é dito na Press-Release, esta versão serve apenas para fazer um preview ao que será lançado em Julho com a versão final do KDE 4.1.

Algumas das principais novidades do KDE 4.1 são:

Akonadi, uma ferramenta que irá armazenar informação das aplicações de Gestão de Informação Pessoal (PIM), integrando aplicações como o KOrganizer, KMail e Evolution e interligando-as com o sistema de armazenamento através da API do KDE e Gnome.
Windows, MacOSx e OpenSolaris – Enquanto que o KDE 4.0 está apenas disponível para plataformas X11, o KDE 4.1 vai também estar disponível para Windows, macOSx e OpenSolaris. No entanto os ports ainda não estão completos.
Qt 4.4 – KDE 4.1 Alpha1 é baseado na framework de desenvolvimento Qt 4.4 que complementa melhorias no desempenho e nas funcionalidades do KDE 4.1.

O KDE 4.1 Alpha não está ainda preparado para ser usado no dia a dia, por isso use apenas como plataforma de testes.

Alojamento Web

Gnome Do 0.4.0 disponível

David Siegel anunciou o lançamento da mais recente versão do Gnome Do, Gnome Do 0.4. Esta versão introduz algumas funcionalidades interessantes, que passarei a enumerar.

A maior novidade do Gnome Do é esta aplicação poder ser utilizada em ecrãs pequenos, como o monitor do Asus Eee PC, sem ocupar boa parte da imagem.

gnome do

Outra novidade é a introdução de um novo interface, semelhante ao do KDE 4. Para ver o Gnome Do com esse interface, basta executar a aplicação com o parâmetro –glassframe.

Para facilitar o acesso à pasta de plugins, foi adicionado um menu ao Gnome Do que permite abrir esta pasta automaticamente, o que facilita a vida ao utilizador na hora de gerir os plugins.

Mais novidades são a adicção de novos plugins, como o plugin para o Twitter ou o plugin para o Google Reader, e o funcionamento das teclas de atalho mesmo sem a presença do Tomboy no sistema.

Os utilizadores que desejarem instalar a nova versão do Gnome Do, podem descarregar e compilar a aplicação.

A imagem, disponibilizada sob a licença Creative Commons 2.0 by-sa, é da autoria do próprio autor da aplicação.

Alojamento Web

Como instalar o KDE 4 no Fedora 8

No Fedora 8, o KDE 3.5.x ainda é a versão do K Desktop Environment utilizada. A versão 4 será apenas incluída no Fedora 9.

Se não querem aguardar até ao lançamento da próxima versão do Fedora, o blog lokuhetty.blogspot.com tem um tutorial que explica como compilar e configurar o KDE 4.0.2 no Fedora 8.

Este tutorial é feito com recurso exclusivo à linha de comandos. Mas está bem explicado, por isso não deverão ter grandes dificuldades.

Alojamento Web

LiveCD do Kubuntu 8.04 com KDE 4 disponibilizado

A Canonical disponibilizou o primeiro LiveCD do Kubuntu 8.04 com o KDE 4.0.1. Este LiveCD, versão alpha, é o primeiro a incluir a série 4 do KDE.

A próxima versão estável do Kubuntu irá ter duas versões: uma com o KDE 3.5.x e outra como KDE 4. A primeira terá suporte oficial da Canonical, enquanto a segunda terá apenas suporte comunitário.

Download, via Tombuntu.com

Alojamento Web

Compiz 0.7.0 lançado

Aí está ele. O Compiz, a aplicação que adiciona aqueles efeitos todos xpto aos sistemas livres, chegou à versão 0.7.0.

As grandes novidades são o suporte para dois ou mais monitores, um novo sistema de plugins e suporte para a nova versão do KWin (o gestor de janelas do KDE) incluída no KDE 4.

Há mais novidades, como a actualização das traduções e correcções de vários bugs. Mas como são muitas, prefiro deixar-vos a link para o anúncio oficial.

Anúncio oficial, via phoronix.com

Alojamento Web

Entrevista a Nuno Pinheiro, um dos responsáveis pelo interface do KDE 4

banner do KDE 4

Depois da entrevista aos responsáveis da Caixa Mágica, o Webtuga tem o prazer de apresentar a entrevista ao Nuno Pinheiro, uma das masterminds por detrás do KDE 4.

O KDE 4, recorde-se, é a nova versão do gestor de desktop KDE. Consigo trás muitas novidades, entre as quais uma nova framework multimédia e um interface brutal!

Passemos à entrevista.

Bruno: Eu segui com alguma atenção o desenvolvimento do KDE 4. Durante esse desenvolvimento, a data de lançamento da versão oficial sofreu alguns atrasos. Como lidou o projecto com eles?

Nuno: Com naturalidade, quando mudamos para este novo kde já havia uma ideia bastante clara do que pretendamos fazer, portanto enquanto a base dessas coisas não estivessem prontas não poderíamos fazer uma release.
Com este kde 4.0 as tecnologias base estão lá o que quer dizer que todo mar de aplicações KDE mas que não fazem parte do kde podem começar a fazer uso delas, sejam elas o phonon, strigi, solid, decibel ou o plasma.

Bruno: A versão 4.0 do KDE é um marco importante neste projecto, já que foram feitas várias alterações de fundo. Por essa internet fora tenho lido vários comentários que dizem que o KDE 4.0 não está pronto para produção. Qual é a tua opinião sobre isso?

Nuno: Não está claramente, dá para usar, mas não é um substituto para o 3.5 por exemplo.
Como disse na resposta anterior, esta release tem como principal objectivo os pilares do kde 4, e esses estão prontos code wise isto é o grosso do trabalho dos pilares esta feito, é a partir destes pilares que tudo o resto se vai construir, e na minha opinião de engenheiro civil são grandes e fantásticos pilares.
Acho incrível o que conseguimos especialmente que dê para usar e funcione minimamente.

Bruno: Recentemente, a Canonical anunciou que não iria suportar o KDE 4.0 na próxima versão Long Term Support do Ubuntu. Qual a tua opinião sobre esta decisão?

Nuno: Concordo acho que faz todo o sentido a Canonical tem a sua forma de funcionar e de acordo como trabalha não é possível eles de forma seria suportar o KDE 4.0.
Mais uma vez o kde tomou um risco muito sério com este 4.0 mas é um risco que acredito que era impossível de não tomar, se queremos realmente ser um desktop com capacidade de fazer frente a todos os outros, tínhamos de ser muito melhores que todos os outros m todos os aspectos. É isso que este kde promete, a capacidade de ser muito melhor que tudo o resto por aí. Não sei se vamos conseguir mas pelo menos devemos tentar.

Bruno: Eu tenho que admitir que acho o novo interface do KDE fabuloso, extraordinário. Como foi desenvolve-lo? Muito difícil, fácil, muitas dores de cabeça, muitos litros de café bebidos, muitos maços fumados?

Nuno: Obrigado.
🙂 Deixei de fumar e cortei no café a bastante tempo.
Como a maior parte das coisas do kde 4 o que se pode ver agora ainda está muito longe do que poderemos ter, sério é para ficar muito muito muito melhor, o que se vê agora aponta o caminho mas ainda tenho de trabalhar imensos aspectos e muito muito polimento das coisas.
O tema de ícones só estabilizou a cerca de dois meses.
O widget theme qt oxygen ainda precisa de muito muito trabalho até ficar perfeito.
Em relação aos plasmoids bem são mesmo muito recentes e pouquíssimo polidos, mas é normal porque o plasma é o pilar do kde que sendo mais revolucionário, também é o mais inacabado.
Mas é uma uma experiência fenomenal que me gastou a mim e a muitos outros milhares de horas e que outros milhares vai gastar.

Bruno: Os utilizadores de GNU/Linux costumam discutir, muitas vezes de uma forma pouco saudável, as virtudes do KDE em relação ao GNOME e vice-versa. Qual é a tua opinião sobre este assunto? Consideras que um é superior ao outro ou que são apenas duas escolhas entre tantas?

Nuno: Acho que muita gente que não sabe nada do assunto fala demais sobre o assunto.
Acho que o que une o gnome e o kde é muito mais do que os separa.
Acho que são diferentes.
Acho que as questões fundamentais que levaram o kde a dar um salto em frente deveram levar o gnome a também o dar. (o gnome tem questões internas muito importantes para decidir no próximo salto)
Acho que o qt 4.4 nos dá uma vantagem competitiva.
Acho a comunidade gnome fantástica.
Acho muita coisa 🙂

Bruno: Na tua opinião, achas que o GNU/Linux está pronto para o desktop ou consideras que ainda precisa de melhorar nesse campo?

Nuno: Acho que sim, eu uso em exclusivo para cima de 3 anos o kde 3.5 é completamente utilizável por qualquer pessoa. (experiência própria de por linux’s a trabalhar no mundo real com gente real de limitados conhecimentos de computadores, temos mais problemas com uma pessoa que julgue já dominar de computadores do que com aleguem que de facto não tenha grande experiencia).
O objectivo do kde 4 é colocar o kde e o Desktop Linux bem acima de outros Desktops.
Não sei se vamos conseguir mas vamos tentar. e sabemos que temos as tecnologias para o fazer.

Em nome do Webtuga, quero agradecer ao Nuno pela disponibilidade em responder a estas seis questões e desejar-lhe as maiores felicidades no desenvolvimento de interface do KDE.